Quinta-feira, 10 de Março de 2011
CONTOS DOS LEITORES
Uma Ajudinha do Cobrador
Depois de sair da faculdade, peguei o ônibus e o cobrador foi muito simpático, ajudando-me a passar com minha mochila pesada. Simpático até demais...
por Peter Cummer

Quando eu estava terminando a faculdade, eu fazia estágio numa escola em Itaboraí, região metropolitana do Rio. Morava em Niterói e o fazia o estágio no turno da noite, saindo da escola entre nove e meia e dez horas. Na época eu não tinha carro e o jeito era fazer o trajeto de ônibus mesmo e gastar quase uma hora no trânsito.

Nesse dia eu saí às dez da noite e não consegui pegar o ônibus de costume. Esperei o próximo, que demorou bastante. Por sorte veio o ônibus com ar condicionado, pois era verão e estava muito calor. O lotação estava vazio e eu não precisaria fazer o percurso de pé. Paguei a passagem e sentei-me no banco de trás, atrás de onde fica o cobrador. Antes, porém, paguei a passagem, com uma certa dificuldade de passar na roleta. Estava carregando a casa dentro de bolsas, mochilas e sacolas. Foi nesse contexto que o cobrador me deu uma ajudinha para girar a roleta.

– Tem alguém enrolado aí? – ele disse.

– Valeu, parceiro! – repliquei quando o cobrador se predispôs a segurar parte da minha bagagem.

– Quando precisar de uma ajudinha é só chamar. – disse em voz baixa, sorrindo pelo verde dos olhos.

Passei da roleta, mas a ajudinha do cobrador me deixou com a pulga atrás da orelha. Seu sorriso entrecortado e o olhar que penetrava meus olhos me instigavam a pensar que o cara tinha segundas intenções. O sujeito era másculo, viril, deveria ter uns trinta e cinco anos. No máximo trinta e sete. Não era bonito. Tinha a pele branca, meio rústica, cabelos crespos cortados à máquina e em tom castanho claro. Tinha algumas marcas de espinha no rosto e uma barba que lhe espetava a face, notadamente precisando ser aparada. Trajava o uniforme da empresa, calça social preta e a blusa semi-aberta deixava aparecer os pêlos aparados que possuía no peito com certa fartura.

Enquanto o ônibus não pegava a rodovia, percebi que o cara tava disfarçando e me olhando. Virava-se pra trás como se estivesse procurando alguma coisa perdida no chão do ônibus, ou mesmo do lado de fora dele, e ao retornar à sua posição original, dava um jeito de levar os olhos até mim. No começo eu estava evitando, mas depois comecei a encarar. Nossa comunicação era visual apenas, não tinha gestos, sorrisos, palavras, absolutamente nada! Apenas o olhar...

Quando o ônibus pegou a rodovia, o motorista desligou a luz do salão e a escuridão tomou o ônibus. Os poucos passageiros que tinham certamente dormiam ou estavam muito preocupados em relaxar com um fone de ouvido tocando alguma música, ou ainda lendo algum livro com a luz baixa que ainda podia ser ligada acima de cada poltrona. O único que parecia bastante desinteressado em relaxar era o cobrador, que estava inquieto na sua cadeira. Até que ele saiu e foi pro banco de trás, mas do lado oposto ao meu. Foi quando puxou assunto comigo:

– E aí, pega sempre esse ônibus?

– Nada, cara. Geralmente pego antes, mas hoje precisei sair mais tarde.

– Não entendi.

– Senta aqui, cara. Aí você não vai ouvir mesmo. – arrisquei uma indireta, colocando no chão minha bagagem que estava no lugar ao lado no chão.

– Saí dali porque tava frio, o vento do ar condicionado batendo em cima de mim direto... – justificava-se.

– Melhor que o calor lá de fora, não é?

– Não sei, eu gosto de calor. Sou quente por natureza. – disse ele pegando no pau.

– Ah, é?

– É, sim.

– Sua mulher que deve gostar, né? Chegando junto em casa, “comparecendo”... – falei descontraindo.

– O jeito é comparecer, não é, irmão? Dentro de casa e fora também.

– Quer dizer que você comparece fora de casa?

– É... – falou com sua cara de safado – de vez em quando.

– De vez em quando, quando?

– Ah, irmão. Qualquer hora é hora. Pode até ser agora.

– Ah, pode?

– Pode.

Dizendo isso pegou na minha mão e levou até seu pau. A rola do cara pulsava dentro da calça. O cara tava com o pau muito duro. Abri o zíper e puxei seu cacete para fora e comecei a masturbá-lo. Seu dote não era dos maiores, mas era grosso e tinha um cheiro forte de pau. Mas não era ruim. Ele cheirava a homem.

– E aí, irmão? Vai ficar só na punheta? Não ta a fim de dar uma mamada, não?

– Só se for agora...

Caí de boca naquele caralho e chupei com muita intensidade. O balanço do ônibus até ajudava na hora do boquete. Abri o botão da calça e também o cinto, pra facilitar. O cara arriou a roupa até pouco acima do joelho e eu pude continuar o trabalho. Sussurrando, o cobrador ordenava:

– É isso aí, irmão. Chupa gostoso essa piroca.

E eu aproveitava pra lamber também sua virilha e seu saco. Colocava aquelas bolas na boca cheias de pentelho e brincava de lambê-las com bastante saliva. Quando eu estava chupando o pau propriamente dito, fazia questão de ir até a base, colocando o mastro todo na boca, até quase regurgitar. Isso fazia com que sua rola ficasse absolutamente molhada com tanta saliva que era empreendida naquele ato de prazer.

Comecei a tocar uma também e, como estava com o tesão à flor da pele, interrompi o boquete para tentar beijá-lo. Ele esquivou-se. Disse que não beijava homem, que não curtia. Pedi pra que ele me chupasse também, e ele disse que não, ameaçando parar tudo por ali, do jeito que estava. Preferi fazer o jogo dele. Perguntei, então, o que ele curtia, e ele disse que queria ser lambido. Não apenas o pau, mas o corpo. Foi a minha sorte e minha felicidade. Ele abriu a blusa e comecei a lamber seu pescoço. Ele levantava a cabeça e eu metia a língua por entre sua barba. Até hoje lembro da sensação da língua doendo, de tanto ser ralada naqueles pêlos duros do rosto do cobrador. Como eu sabia que beijo na boca era fora de cogitação, eu ousava ir até o queixo. Lambia o queixo dele metendo a língua e saboreando com os lábios o sabor de seu rosto, que suava nesse momento. Desci até o peito e comecei a lambê-lo. Isso com certa dificuldade, também em virtude dos pêlos. Na hora de lamber seus mamilos o cobrador delirou e começou a gemer. Então, após abusar bastante de seu tórax, comecei a lamber a barriga. Não era nenhum sarado. O cara tinha uma barriguinha como a de quem bebe cerveja depois do futebol. Mas não diminuía em nada a excitação daquele momento. O cara era gostoso e ponto. Desci até os pêlos pubianos, que eram grandes, talvez não fosse costume seu apará-los. Particularmente não gosto de pêlos pubianos grandes, mas sentir a pica do cobrador sendo arremessada no meu rosto nessa hora compensava qualquer desconforto.

– Agora chega, continua chupando. Isso, garoto. Chupa gostoso... mama essa rola, mama... isso... ah.... delícia.... ah.... ah... Ta gostando, garoto? – e eu dizia que sim, com a pica dentro da boca já doída de tanto chupar – Então chupa mais, vai. Chupa... chupa...

O boquete já estava perdendo a graça e meu pau começou a amolecer. Ele forçava a barra pra que eu continuasse chupando e o cara simplesmente não gozava. Ficamos assim mais de vinte minutos, só na chupação. Foi quando ele disse que queria gozar. Pensei comigo: “Até que enfim!”, mas para a minha surpresa, ele explicou como ele queria gozar.

– Quero gozar... mas quero comer seu cu antes.

– Como assim? Aqui!? – questionei com espanto.

– Agora, irmão.

– Mas aqui não, cara. O pessoal no ônibus pode...

– Relaxa, parceiro. Ainda tem uns dez minutos de estrada ainda. Aqui no ônibus é tranqüilo, vai por mim. Anda, deixa eu comer esse rabo, deixa.

– Não vou conseguir, cara.

– Relaxa, porra. Daqui a pouco a gente não vai poder continuar.

Pegou uma camisinha que estava em algum lugar de sua calça e a vestiu no pau. Cuspiu na mão e passou em volta da cabeça de seu caralho. Arriei as calças até o pé pra facilitar a abertura das pernas. Eu estava muito tenso, com muita dificuldade de relaxar. Aquela situação do ônibus, sob o risco de ser percebido pelos passageiros, me deixavam com um pavor fora de série. Mas ao mesmo tempo era muito excitante.

O cobrador enfiou um dedo em mim, com o propósito de abrir caminho para sua piroca. Molhava meu cuzinho enquanto me lambia o pescoço. Eu fiquei de costas pra ele, vigiando quem pudesse estar olhando. Como minha bunda estivesse na direção de seu rosto, porque eu ainda não havia sentado, ele começou a me fazer um cunete. Lambia meu cu como macho, sem nojo, sem frescura. Aquela língua dura penetrando meu rabo protagonizou uma das melhores lambidas que já levei no cu. De vez em quando ele também mordia minha bunda, ou mesmo meu ânus. Quando eu sentei naquela vara, senti uma dor incomensurável. Sua pica era muito grossa, embora o comprimento não fosse dos maiores. E como eu ainda estava tenso, só fez aumentar a dor. Mas não tinha jeito. O ônibus sairia da rodovia e aquela era a minha chance. Segurei a dor e sentei firme no caralho do cobrador. Aproveitava o sacolejo do ônibus pra cavalgar naquele mastro de respeito. Sentia aquele homem me lamber o pescoço com tesão, conseguia ainda sentir no pescoço seu rosto molhado do suor e também da saliva advinda do cunete que ele me pagou. Seu rosto estava com cheiro de rabo de moleque. Enfim, como era previsto, não demorou muito pra que o cobrador soltasse seu leite no meu cuzinho, e eu aproveitei a oportunidade pra bater uma e gozar no chão do ônibus. Acabei gozando sobre minha bagagem e tive o maior trabalho em casa pra limpar a porra espalhada pelas bolsas. Ainda estávamos com as calças arriadas quando a luz do salão do ônibus acendeu, e para nossa sorte conseguimos nos vestir a tempo de não sermos percebidos. Não deu tempo de, e também não tinha como, nos limparmos. Ele escorreu a porra da camisinha no chão do ônibus e guardou-a em seu bolso até a primeira oportunidade de lançar fora, já que as janelas do ônibus não abriam. Deixá-la no ônibus poderia comprometê-lo.

Desci no ponto final e, embora não precisasse de fato, o cobrador safado não conseguiu segurar sua gentileza enquanto eu descia do ônibus com a bagagem:

– Quer uma ajudinha aí, irmão?

Peter Cummer
O Gozador do Rio
petercummer@hotmail.com

Facebook do MundoMais
Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (55)
Luis Otavio16/11/2013 20:55
Luis Otavio16/11/2013 20:55
Cada um com suas fantasias né! Eu não arriscava
marcos 03/11/2012 22:53
marcos 03/11/2012 22:53
eca!!!!
Onix03/01/2012 0:38
Onix03/01/2012 0:38
HISTORIA BACANA,POREM A PARTE DO NAO BEIJA E DO NAO MAMA PAU,MAIS CHUPA CU FICO MEIO ENRROLADO.
passivim01/12/2011 23:32
passivim01/12/2011 23:32
Um cobrador durante uma viagem de ônibus...isso já rolou comigo....é demais,simplesmente um luxo...e olha q moro no interior de minas..conto muito bom!!!
goianinho10/11/2011 23:16
goianinho10/11/2011 23:16
podre esse conto,e ainda pau com mau cheiro que nojo.....
Renato22/09/2011 17:30
Renato22/09/2011 17:30
Tenho tesão por trocadores tb... mas ainda não rolou...uma hora rola.r..r.s legal o conto
jkl11/05/2011 12:23
jkl11/05/2011 12:23
NOSSA QUE LOUCURAAAAAAAAA!!! MAIS DEVE SER MESMO UMA DELICIA!! SER ENRABADO NUM ONIBUS ASSIM.TOMARA QUE EU ENCONTE UM COBRADOR SAFADO COMO ESSES EM MINHA VIAGENS PARA ME FUDERA ASSIM .
jeferson23/04/2011 22:18
jeferson23/04/2011 22:18
esse conto so abasta vc o conbrador ci vc quiser traser traga
SAMYRA BABADOSS09/04/2011 23:48
SAMYRA BABADOSS09/04/2011 23:48
AMei o conto do TROCADOR ! EU mesmma ja atendi varios no banco la do fundo, liiinnnda Ketinha mamei messsmo.... isso no busao d roleta pq akeles de ar com tarifa bem alta eu DOU Sempre q POSSO ! Linnnnnda! AHAZOUU garotoooo firma irma!! Buniiiiiiiiiiita !!!! Bjos
Fuego.30/03/2011 1:50
Fuego.30/03/2011 1:50
Mentira nada ja fiz e muito dentro de ônibus que ja cansei. se me perguntar não sei nem contar.
ZDYJ28/03/2011 7:15
ZDYJ28/03/2011 7:15
EU QUERO KAGA,EU QUERO KAGA ,EU QUERO KAGA
Ernani27/03/2011 1:35
Ernani27/03/2011 1:35
Uma vez... eu tive uma ilusão e não soube o que fazer... não soube o que fazer... com ela!! Não soube o que fazer e er... e er... E ela se foi!! Porque eu a deixei... Porque eu a deixei... e ei... e ei... Eu só sei que ela se foi!! (Julieta Venegas & Marisa Monte)
Davi25/03/2011 23:37
Davi25/03/2011 23:37
Ai gente, pode se rmentira ou nao .. Mas eu ja chupei um cara no ultimo banco, com um outro praticamnete do meu lado, e finjia que estava dormindo. Sendo que as pessoas q estavam no banco da frente perceberam kkkkk Mas fazer o que ? o cara gozou ainda na camisa.
gui22/03/2011 8:03
gui22/03/2011 8:03
foi engraçado ver que o protagonista da história só coloca defeito no cobrador... feio, barrigudo, pau com cheiro...
Casal19/03/2011 17:28
Casal19/03/2011 17:28
Realmente tenho pena destas pobres almas que não sabem o significado de um conto erótico. Sendo mentira ou verdade, foi otima a história e a escrita. parabens continue fudendo nos bus cara.
???18/03/2011 18:41
???18/03/2011 18:41
FALARAM QUE O CONTO EH MENTIRA E REALMENTE EH AFINAL EH UM CONTO SE FOSSE VERDADE A REALIDADE SERIA OUTRA BEM DIFERENTE AINDA MAIS NUM ONIBUS
Pedro Carioca16/03/2011 14:08
Pedro Carioca16/03/2011 14:08
Olô pessoal isso é um conto, quem nunca teve uma fantasia com um motorista ou mesmo trocador?! Parabéns gostei do conto!!
xxx16/03/2011 1:36
xxx16/03/2011 1:36
Acho incrível como essas bixas burras perdem o tempo questionando se é verídico ou não... Hello isso é um conto erótico... Senão está afim de entrar na fantasia então não leia suas escrotas.... Talentoso o autor, apesar de controvérsias na narração, porém com introdução, desenvolvimento e conclusão, Perfeito!!! Vamos avaliar a criatividade do autor e sua competência, afinal isso são para poucos... parabénssss....
henrique15/03/2011 1:30
henrique15/03/2011 1:30
mentira das grossas
eros 14/03/2011 23:35
eros 14/03/2011 23:35
nossa que doce ilusao rsrsrs
Marcos14/03/2011 8:23
Marcos14/03/2011 8:23
Tudo muito fácil, mas para fins literários foi muito bom "viajar" nessa foda.. Que que tem pessoal, a história foi ótima, verdadeira ou não...
Pedrão13/03/2011 23:20
Pedrão13/03/2011 23:20
Muito bom! Gostei!
Talvez um carioca mais culto e mais letrado que você, Carioca. E outra, quem te disse que eu sou carioca?
Carioca13/03/2011 15:09
Carioca13/03/2011 15:09
Qual o carioca que fala: 'O lotação estava vazio e eu não precisaria fazer o percurso de pé." FAKE TOTAL
thi...13/03/2011 8:06
thi...13/03/2011 8:06
sinceramente de todos os contos q ja li esse foi o mais artificial
DANIEL12/03/2011 21:35
DANIEL12/03/2011 21:35
Muito bom seu conto cara valeu ai eu adoro ler essas historias parabens e pra nao esquecer !! quer uma ajudinha ai irmao ?? rssrsr
Julio (Belém)12/03/2011 19:22
Julio (Belém)12/03/2011 19:22
Fala meu Lindão, adorei o conto ae...sou teu fã numero um, rs adorei ter conversado contigo ainda pouco mesmo que rapidamente! es muito simpático e agradavel..Beijão adorei mesmo....
alex12/03/2011 18:46
alex12/03/2011 18:46
meu comia vc e seu namorado numa boa
alexandre12/03/2011 16:54
alexandre12/03/2011 16:54
Já repararam que os carinhas mais machos são menos encanados e até jogam um cao pra dar o cú? Conheci varios malandros que na hora H dizem: se me der 10 reais eu deixo me comer...
Leandro12/03/2011 12:07
Leandro12/03/2011 12:07
ah..se eu pego um onibus com um cobrador desses..msm nao sendo carne de primeira..mas valeria a pena..
Leke12/03/2011 5:45
Leke12/03/2011 5:45
Não achei o conto tão mentiroso como disseram nos comentários...
Junior show12/03/2011 1:01
Junior show12/03/2011 1:01
Minha nossa senhora... ée muito closee , essas bixa que vem aqui pocotiá os contos das colegas... bixx... caian em seee isso é um contoo bukado de fuleraas.. aff/ me extressa isso .. essas bixas que vem aqui dizer que é mintira isso é um projeto de punheta mal batida... nun tem oq fazeer..?
KYLE11/03/2011 22:51
KYLE11/03/2011 22:51
eu acho q os contos enviados sofrem uma modificação no portugues, reparou q todos os contos tem uma semelhança nas palavras utilizadas? eu nao acreditei nesse. Qualquer dia envio o meu ai sim vcs vao ver que o conto é verdadeiro.
Gil11/03/2011 22:22
Gil11/03/2011 22:22
Adoro so contos, mas confesso que os comentários me divertem por váááários minutos! É cada um melhor que o outro. Nesse então, to rindo horrores das bichas xingando as outras de burras e concordo com elas: vamos viajar nos contos cambada! Pára de ficar gongando as outras!!! Mas que é engraçado, isso é...kkkkkk
comedor11/03/2011 18:02
comedor11/03/2011 18:02
o bicharada, isso é um conto!!!!!!!!!! n quer dizer q seja real.. nuss parecem um bando de viado encalhado doidas p/ bater punheta. ah vao caçar um macho p vcs!!!!
Bahia Bruno11/03/2011 13:35
Bahia Bruno11/03/2011 13:35
Adorei. Tô de casete duro.
Lukas CALDAS NOVAS11/03/2011 13:10
Lukas CALDAS NOVAS11/03/2011 13:10
calma gnt vamos respeitar a opiniao de cada um.. fikei muito excitado com esse conto... o cara do onibus podia ter dado o cuzin tbm nao acha?? me adc.. lucas_loj@hotmail.com
LJ-RN11/03/2011 7:33
LJ-RN11/03/2011 7:33
Não foi bom esse conto!
JOAQUIM PALMAS TO11/03/2011 3:23
JOAQUIM PALMAS TO11/03/2011 3:23
ESSAS BICHAS AO INVÉS DE EMBARCAREM NA FANTASIA, FAZEM QUESTÃO DE OSTENTAR PRA TODO MUNDO A BURRICE E A ALIENAÇÃO. ALÔ GALERA, VAMOS NOS INTEIRAR DO QUE É UM CONTO!!! NINGUÉM TÁ AQUI ESCREVENDO A REALIDADE, NÃO É ESSE O PROPÓSITO. SE VOCÊ TÁ BUSCANDO RELATO DE REALIDADE, PARTE PRA UMA REAL OU, NO MÍNIMO, UMA EXPERIÊNCIA PELA WEBCAM. VAI NAMORAR, VAI FAZER PEGAÇÃO, SEI LÁ... AGORA, A BICHA ME PARA NO MEIO DE UMA SESSÃO DE CONTOS E ESPERA ENCONTRAR O QUÊ!?!? QUERO SABER, QUE TIPO DE RELATO ESSAS BICHAS ESPERAM! NADA DO QUE ESCREVEM AQUI É VERDADE PRA ELAS, IMPRESSIONANTE! E NEM TEM QUE SER! QUER VERDADE? VAI DAR UM DEPOIMENTO NA DELEGACIA E DEIXA OS AUTORES EM PAZ!
ES10/03/2011 23:45
ES10/03/2011 23:45
Obrigado, ler sua história me fez ter esperança de novo nessa seção do mundo mais, já que a anterior.... nem quero lembrar... confesso: - meu sonho isso que você narrou, fantasia ou não, ADOREI!!!! Continue assim!!!
Diego10/03/2011 23:43
Diego10/03/2011 23:43
Bando de bichas burras. Isso é um conto e não o relato de um fato . É para viajarmos na fantasia.
Paulo10/03/2011 23:41
Paulo10/03/2011 23:41
Quero uma ajudinha dessa, comofaz?
revoltado 210/03/2011 21:08
revoltado 210/03/2011 21:08
bixas malditas, isso é um conto! quem lê conto já parte do pressuposto que a coisa é imaginação. ou vcs acham que machado de assis escrevia só o que acontecia de verdade? e o fato dele inventar suas historias o desmereceu em que??? pelo contrario, se tornou um grande icone da literatura brasileira. se é mentira ou nao, nao interessa. nao me importa! o que vale é "viajar", como lembrou o colega aqui debaixo. eu acho que a historia é verdadeira. vcs deviam é parar de ficar xoxando o conto dos outros e aproveitar melhor o fundo dos onibus pra saber se dá ou não dá pra brincar la atras! punto e basta.
heldo10/03/2011 21:04
heldo10/03/2011 21:04
Achei esta melhor que a última. Lógico que não podemos ficar a espera de verdades. São fantasias... algo que gostaria que tivesse acontecido consigo. Fruto de sua imaginação! Apesar de pequenas tropicadas gramaticais, eu gostei. De zero a dez, dou 7,50. Parabens!
regis/sp10/03/2011 20:34
regis/sp10/03/2011 20:34
gente, pelamordedeus, isso é um conto!!!! kkkkkkk
revoltada10/03/2011 20:31
revoltada10/03/2011 20:31
aaf . suas bixas see acham que é mentra porq lêem ? isso é um contoo .. normalmente contos ñ são verídicos só podem ser burras ou ñ sabem ler
Interior_SP10/03/2011 20:31
Interior_SP10/03/2011 20:31
Com maestria, o Peter nos fez "viajar" também! Valew irmão! d78901@hotmail.com
FALA SÈRIO10/03/2011 19:50
FALA SÈRIO10/03/2011 19:50
nada ver mentira pura melhor tentar inventar uma outra coisa que de mais liga por que esse ai ñ cola so besta mesmo pra acreditar nessa historia nossa que falta de imaginação
morango mel10/03/2011 19:16
morango mel10/03/2011 19:16
mas que biba metirosa ,dar pra faze sim detro de onibus mas nem tanto . bichas de cao !
cidnei...10/03/2011 18:29
cidnei...10/03/2011 18:29
eu não acredito que seja mentira...do jeito que aconteceu com ele pode até ser, ma que dá pra fazer um seo bem gostoso no onibus, isso dá sim, com certeza, a linha bh-ipa é que sabe bem...
Ítalo10/03/2011 17:00
Ítalo10/03/2011 17:00
Cara mto legal ate acredito sim pq dá pra fazer sexo em onibus, ja tive essa experiencia. Se alguem quiser é so add: italospace@hotmail.com
whats?10/03/2011 16:58
whats?10/03/2011 16:58
nossa que mentira. essa historia e puro caô. nao gostei
Sorry10/03/2011 16:40
Sorry10/03/2011 16:40
Uma Droga ;S
Rafael10/03/2011 13:59
Rafael10/03/2011 13:59
Primeirrroooooooo!!!!!!!!!!!!
marcos mogi guaçu10/03/2011 13:46
marcos mogi guaçu10/03/2011 13:46
e a branca de neve?? nossssaa literalmente uma viagem, vai contar mentira assim em outro lugar!!
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

LEIA TAMBÉM
LEIA MAIS
24/07/2014 NOTíCIAS » Confira fotos incríveis do Brother americano Cody Calafiore. De dar água na boca!
24/07/2014 NOTíCIAS » Ricky Martin estaria conhecendo melhor nadador Ian Thorpe.
23/07/2014 NOTíCIAS » Ator pornô Bruno Knight é preso em aeroporto com drogas no ânus.
23/07/2014 NOTíCIAS » Klebber Toledo sobre personagem gay em Império: Não sou amante, sou a inspiração!
22/07/2014 NOTíCIAS » Como podemos (e devemos) agir diante de uma traição? Descubra!
22/07/2014 CINEMA » Pai da computação (e gay) ganha filme em que mostra genialidade na 2ª Guerra Mundial.
21/07/2014 NOTíCIAS » Marcelo Adnet faz sátira e exibe primeiro beijo hétero em novela gay.
21/07/2014 NOTíCIAS » Modelo canadense chama atenção pelo belo corpo e rosto tatuados. Vem ver!
Twitter
Facebook
© Copyright 2013 MundoMais. Todos os direitos reservados.