Gays na cam

Segunda-feira, 06 de Junho de 2011
CONTOS DOS LEITORES
De Joelhos para o Padre
O encontro do padre com um estudante no Centro do Rio de Janeiro é mais um conto da série Segredo Sagrado, do escritor Peter Cummer.
por Peter Cummer

Eu estava no início da faculdade quando completei vinte e um anos. Nessa época eu havia tido pouquíssimas relações com homens. Minha iniciação com o filho do pastor me deixou algumas impressões negativas a respeito da expectativa do tesão a ser correspondido. Mas, por outro lado, o episódio que narrarei a seguir veio romper com qualquer frustração acerca do tesão do outro.

Era ainda de manhã quando eu percorria as ruas do Centro do Rio de Janeiro em busca de livros para a faculdade. Já estava desanimado de tanto procurar o livro do qual eu precisava. Ao sair de um dos sebos, já desapontado, cruzei com um cara de meia idade. Deveria ter uns 40 anos ou um pouco menos. Cabelos grisalhos e um corpo bem atraente. Olhos pretos, tinha barba e também pêlos sobressalentes nos braços. Foi inevitável olhar para trás e quando virei para conferir o produto, estava lá ele parado, na porta do sebo, acompanhando–me com o olhar. Fiquei sem graça e entrei numa lanchonete de esquina. Quando ainda fazia meu lanche, senti um braço se encostar ao meu, e um corpo se aproximar de mim, por trás, pedindo à atendente um suco de uva.

– Você gosta de quibe? – Disse o sujeito que, para minha surpresa, era o mesmo homem que passou por mim no sebo.

– Gosto, respondi.

– E está gostoso?

– Sim, está. Está quentinho!

– Então vou te acompanhar. Pode trazer um quibe pra mim também, por favor? – E sentou–se ao meu lado, puxando assunto como se me conhecesse há muito tempo.

Eu não quis deixar transparecer, mas estava completamente excitado! Aquele homem que aparecera do nada, feito mágica, ressurgiu atrás de mim e iniciou um assunto qualquer enquanto me penetrava com seu olhar. E era justamente seu olhar que me deixava consternado, sem chão, de pau duro. Quando acabamos o lanche, ele foi bastante direto comigo. Perguntou se eu não estaria disposto a acompanhá–lo num passeio pelo centro do Rio, ao que eu respondi afirmativamente. A essas horas, esqueci completamente do livro de que precisava e me peguei prestando atenção em fachadas, construções, avenidas. Estávamos na Candelária, quando ele me convidou para conhecer a famosa igreja diante da qual ocorrera uma grande e famosa chacina, que dizimou centenas de moradores de rua. Entramos na igreja e ele me explicava cada detalhe. Perguntou–me o que eu achava de toda aquela estrutura, e eu, muito mais acostumado com a estética de templos evangélicos, respondi com um certo desdém, embora estivesse impressionado. Perguntei a ele como ele sabia de tantos detalhes, e foi aqui que ele me revelou um pequeno grande detalhe de sua vida.

– Tirando o fato de que sou padre, tenho completa paixão por arquitetura religiosa.

– Você é o quê?

– Apaixonado por arquitetura religiosa...

– Não, não. Digo, antes...

– Ah... padre!?

– Sim.

– Sim, sou, por que o espanto?

Ora, e por que eu deveria me espantar? Poderia simplesmente ser um homem gentil que passou por mim na rua e se tornou um amigo. Preferi pensar assim porque, de outra forma, eu estaria completamente constrangido. Aliás, eu já estava me sentindo encabulado por pensar que o sujeito, de alguma forma, me olhara com outros olhos. E prosseguimos o nosso passeio, eu e meu novo amigo padre.

Quando saímos da Igreja da Candelária, percorremos muitas outras ruas do centro do Rio até que lembrei que precisava adquirir meu livro. Acabei encontrando um exemplar num sebo da Avenida Gomes Freire. E então, teoricamente, minha aventura teria terminado.

– Agora que você já encontrou o que queria, podemos descansar um pouco?

– É, já é tarde. Vamos indo, então? – preparei para me despedir – Acabou que você nem disse seu nome...

– Rômulo!

– Prazer, Rômulo! – e também me apresentei. – Obrigado pelo passeio.

– Tá indo pra casa, agora?

– É, tô sim.

– Não tá a fim de descansar comigo?

– Como assim?

– Vamos andando e eu te mostro.

Com certo temor, aceitei a proposta. Enquanto andávamos pela calçada, cerca de dois minutos decorridos do diálogo anterior, Rômulo me surpreende novamente. Repentinamente, entrou por uma porta que, para meu espanto, era um hotel. Emudeci.

– Uma suíte simples, por favor! – disse ele ao recepcionista.

– Mas você não é padre?

– Padre, homem, e tantas outras coisas mais... você não quer descansar comigo?

– Tudo bem.

Subimos para a suíte e eu não sabia o que esperar daquele homem. Ele me dava uma lição de visão de mundo e eu talvez não estivesse preparado para lidar com um religioso tão libertário a ponto de entrar num hotel com outro homem. E logicamente a última coisa que Rômulo queria fazer era descansar. Tampouco eu o queria. Mal chegamos no quarto e ele me segurou pela cintura com uma das mãos e com a outra, meu pescoço.

– Você é muito gostoso, sabia? – me disse o padre, com cara de safado.

– Cara, nem sei o que dizer.

– Não diz nada. Faça.

Começamos a nos beijar e eu já podia sentir o volume do pau do padre se engraçando contra meu corpo. Beijávamos feito dois adolescentes repletos de hormônios! Rômulo me beijava de uma forma muito experiente para um padre. Sua língua passeava por dentro da minha boca. Ele sugava minha língua com seus lábios molhados, intensamente molhados, e beijava–me o pescoço com sua barba espessa e cheirosa. Aos pouquinhos seu perfume era substituído por um cheiro forte, um cheiro de homem, cheiro de suor, de tesão. Ele desabotoou a blusa tão rapidamente que chegou a cair um dos botões. E eu aproveitei e fiquei só de cueca. Rômulo, ainda de calça, enfiou a mão pelas minhas costas, desceu por dentro da minha cueca e agarrou forte a minha bunda. Nesta posição, aproveitava para me puxar contra seu próprio corpo, fazendo com que eu pudesse sentir com mais intensidade o latejar do seu pau.

– Ajoelha! – ele ordenou. E eu ajoelhei, não sem antes rir da ironia que era o pedido do padre naquele momento.

– Quer que eu me confesse agora?

– Quero que você me confesse todos os seus pecados.

– Confesso. A começar por este...

Baixei o zíper da calça do Rômulo e toquei sua cueca melada. Primeiro com a mão. Depois com a boca.

– Ajoelhou? Agora reza! – disse ele como quem dissesse: "Chupa". E eu comecei a "rezar".

Puxei aquela pica úmida para fora da cueca e comecei a sugá–la. Passei a língua pela cabeça e não tardei muito para engolir cada centímetro daque piroca grossa e curva. Seu pau era daqueles pesados, que fazem peso e volume em qualquer cueca. Além disso, Rômulo era dotado de um par de ovos absurdamente avantajados. Eu mal conseguia mamar aquele cacete porque ele atolava na minha boca. Era muita carne para ser devorada, mas eu insistia.

Decidimos ir para a cama. Ele deitou de pernas abertas e pediu para que eu continuasse a boquetar sua pica. Eu me masturbava enquanto ele tentava, com uma das mãos, batia com a piroca na minha cara. Com a outra, tentava alcançar meu rabo. Percebendo sua intenção, facilitei a investida! Empinei em sua direção e logo senti seu dedo penetrar meu cu de maneira bastante gentil. Melava–o com com saliva e passava na portinha. Molhava mais um pouco e entrava mais um pouquinho. Sem que eu percebesse, já eram dois dedos que se acomodavam confortavelmente no meu rabo, que se abria, ávido, sedento, a cada estocada que o padre dava com os dedos das mãos.

– Agora deixa eu sentir teu gosto! Deixa eu provar você.

– À vontade, sou todo teu.

– Deita de bruços e empina o rabinho. Isso! Empina mais. Assim...

Rômulo abrir meu rabo com as duas mãos e como se estivesse com muito desesperado começou a linguar meu cu. Sua língua dura massageava meu rabo ao mesmo tempo em que também ela me penetrava, e eu ia às nuvens! O padre cuspia e lambia, cuspia e lambia. E eu já estava quase gozando de tanto prazer sentir. Foi então que ele se deitou sobre mim.

Senti todo o seu corpo pesar sobre o meu e sua barba roçar o meu cangote. Rômulo dizia que era assim que eu conheceria o que era homem de verdade. Mordia minha nuca enquanto seu mastro tentava achar espaço no vão do meu rabo. Eu rebolava. E ele dizia que queria meter. Perguntou–me se eu tinha camisinha e eu não tinha. Acabamos pegando uma que o hotel oferecia.

O padre deitou–se sobre mim novamente, recuperando a mesma posição de outrora. Mas dessa vez, sabia que ele estaria dentro de mim. Foi à base de muita saliva que senti seu pau rasgar–me por dentro, e com estocadas fortes e profundas eu delirava de dor e prazer. Não estava mais ali o homem gentil, de hábitos gentis, de dedos gentis. Estava ali um homem com H maiúsculo, um homem que cheirava a homem, que suava, que gemia, que xingava, que não queria saber o quão elástico era meu cu. Ele penetrava, e o fazia com força. Mas a dor não era ruim, não. Tanto foi assim que não me importei em ficar de quatro para que ele se saciasse.

– Toma piroca, cachorra! Toma no cu.

– Me come, meu macho. Come o rabo do teu moleque.

– Vadia!

– Safado!

– Rebola, putinha... rebola.

– Isso, fode gostoso... que delícia cara.

Eu já estava a ponto de gozar. Não aguentava mais. Disse pra ele que iria gozar e ele, percebendo meu cansaço notório, compadeceu–se.

– Tá cansado, safado? Tá cansado de tomar no cu?

– Sim, vamos gozar, por favor.

– Então ajoelha de novo.

Rômulo tirou o pau de dentro de mim e eu ajoelhei, obedecendo–o. Ele tirou a camisinha e agarrou–me pela nuca, dizendo que iria me dar leite. Ele disse que esta era a sua fantasia e que nunca conseguira fazer isto com ninguém. Sabendo disto, meu tesão explodiu e eu já não tinha mais como me conter. Eu era o objeto de desejo daquele homem. Saber do prazer que eu lhe proporcionava aumentava ainda mais aquele que eu sentia. E foi assim que aquele homem de cabelos grisalhos e barba preta entregou–se à carne por inteiro e concretizou sua fantasia. Eu, ajoelhado aos seus pés, agarrado pela nuca, sentindo os pêlos dos seus braços passeando em meu rosto, sentindo seus dedos ainda melados abrirem minha boca... e ele, em pé na cama, tocando forte o seu membro, tendo minhas mãos em sua cintura e meu corpo todo à sua frente, à sua inteira disposição. Rômulo encheu minha cara de leite, e eu acabei gozando em seguida, sentindo escorrer o líquido do prazer do padre pelo meu rosto e corpo. E então, depois do prazer, nos deitamos embebidos em porra e pudemos relaxar e denscansar do nosso passeio. Até hoje mantenho contato com Rômulo, que se tornou meu amigo. Ele ainda é padre, mas continua a transgredir a regra da castidade. Talvez porque ele ouse pensar, uma raridade entre os religiosos do nosso tempo.

Peter Cummer
Gostou do conto? Escreva–me: petercummer@hotmail.com
Este conto faz parte da série Segredo Sagrado.
Leia também "O filho do pastor", o primeiro conto da série.

Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (80)
Peu07/11/2014 20:23
Peu07/11/2014 20:23
Sou católico e acho que isso é blasfêmia! Mais gostei..
paulo gostsao23/02/2014 4:57
paulo gostsao23/02/2014 4:57
Ai eu tambem quero comer meu primo yago
Miguel RP23/03/2013 14:32
Miguel RP23/03/2013 14:32
Quero contato do padre.
joserobertosilvanomatos16/03/2013 21:36
joserobertosilvanomatos16/03/2013 21:36
quero fazer amizades com pessoas de todas idades 85-82143996
oi quero perder a vigidede se algun homen tiver afim de comer 1 cu bem apertadinho so deixar contato nao gosto de afeminados o tem q ser em palmas mesmo
Cesar07/06/2012 22:16
Cesar07/06/2012 22:16
Parabens Peter, Amei sua experiencia...adoraria ter contato com esse padre, vc tem o contato dele...eu Amo Homem Maduro!!! Aguardo resposta..
julio21/04/2012 20:28
julio21/04/2012 20:28
Cara me desculpe mas não foram centenas de moradores de rua, não foram nem10. Invente mas não aumente. ok.? Outra coisa andaram o dia todo pelo RIio de Janeiro, foram a um hotel, e nem tomaram um banho antes.? Ai FEDEU....
Felipe28/03/2012 0:44
Felipe28/03/2012 0:44
Não gostei muito do conto, mas esses casos n são tao raros em conventos, eu fui noviço e quase todas as noites chupava o pau de um padre lindo, ele gozava de duas a tres vezes por noite. Um dia ainda vou escrever um conto sobre isso. Eu sai do convento, mas ele é um padre muito famoso no Nordeste.
junior22/02/2012 13:49
junior22/02/2012 13:49
q pecado!
adora chupar 25/12/2011 0:43
adora chupar 25/12/2011 0:43
adorei quem quiser me comer me add no msn kaic-meira@hotmail.com obs: adoro chupar qualquer tipo de rola
jmaschetti@gmail.com08/12/2011 19:07
jmaschetti@gmail.com08/12/2011 19:07
Olá. Tenho 33 anos, 1,77, 72 kg gostaria de conhecer um homem casado.
passiva06/12/2011 15:31
passiva06/12/2011 15:31
adorei, já dei pra padres tb, sabem fazer direitinho! bettoedfbac@hotmail.com
tranquiloeusou05/10/2011 18:36
tranquiloeusou05/10/2011 18:36
Pois é, sou PADRE e curto tudo o que vc esreveu... a diferença é que eu sou PASSIVO... mas castidade? rs! vivi apenas quando era noviço, pq não tinha como sair.... mas depois.... tranquiloeusou@hotmail.com
João 11/09/2011 20:21
João 11/09/2011 20:21
Só errou quando falou que comprou um livro no sebo da gomes freire. Não existe sebo na Gomes Freire, é uma rua no centro do rio onde praticamente só existe motéis( para gays)
Misterioso11/09/2011 0:23
Misterioso11/09/2011 0:23
agora meu cu pisca toda vez que vejo um padre!!!
PESSIMO...26/08/2011 23:23
PESSIMO...26/08/2011 23:23
APRENDAM A FAZER CONTO ....
melconha22/08/2011 1:56
melconha22/08/2011 1:56
iaeee tudo numa boa né valeu o conto e boca de confusão.
Tanan xD17/08/2011 2:13
Tanan xD17/08/2011 2:13
Rachei de rir! :X As bixas querendo aparecer oksaokasosaKOsaok! Ai ai... depois de Justin Bibier, Luan Santana e Restart agora ... TALS e Ricardo. AHOASOKSAOKSHOKHASKASHKO"! eu RachO! :X
marcello.14/08/2011 5:17
marcello.14/08/2011 5:17
cara bati uma, lendo esse conto!!!
Brandon 16/07/2011 13:27
Brandon 16/07/2011 13:27
Hey from London! Rapaz, "mal", em "mal informado", escreve-se com "L". O conto está ótimo!
Centanas!!!!15/07/2011 9:15
Centanas!!!!15/07/2011 9:15
Vc eh carioca mesmo ou é apenas mau informado? fora isso o conto está muito bom!
leo.eu@blue.com.br13/07/2011 15:57
leo.eu@blue.com.br13/07/2011 15:57
olha colocar padre ai ja é mexer com Deus, mas fora isso cara ficou muito boom nota 10..,..
DRACENENSE 11/07/2011 19:58
DRACENENSE 11/07/2011 19:58
BEM ESCRITO. GOSTEI MUITO... QUEM NUNCA SE EROTIZOU COM PADRES, PROFESSORES, POLICIAIS... E TALS?
karlus11/07/2011 6:21
karlus11/07/2011 6:21
nossa demais... karlusvidaloka@hotmail.com
Guthyerre Mendes10/07/2011 17:21
Guthyerre Mendes10/07/2011 17:21
nossa muito legal esse conto, até me inspirou...kkkkkkkkk, legal mesmo prabens
Brenopassboy 29/06/2011 23:50
Brenopassboy 29/06/2011 23:50
quero um padre igual a esse do conto... Me adcionem gatopass222@hotmail.com SOU branquinho de 23 ANOS
tinho ssa29/06/2011 10:11
tinho ssa29/06/2011 10:11
Primeiramente agradecer a equipe do mundo mais por mais um conto estraordinário...sempre. Tb já tive uma experiência maravilhosa com um amigo religioso que despertou além de uma grande amizade, um lindo conto de fadas.
samuel27/06/2011 15:45
samuel27/06/2011 15:45
sou filhode pastor e meu pau subiu com esse assunto me add oescolhido_91@hotmail.com
lico 27/06/2011 0:00
lico 27/06/2011 0:00
ja tranzei com pastor,mas se tiver um padre ai afim pode me add lico.dionbh@hotmail.com eu chupo e dou gostoso.
juliano23/06/2011 14:16
juliano23/06/2011 14:16
oI SE TIVER ALGUN PADRE COMO TO CONTO,ME ADD EU QUERO MAMAR E DAR PARA VC!JULICEMU@HOTMAIL.COM
moreno flex21/06/2011 8:52
moreno flex21/06/2011 8:52
legal e acredito nisso plena mente pois sou casado com um frei, ficamos um ano juntos e ele ainda atuava como tal, ele se desligou e estamos juntos ja faz um bom tempo. sp.
Eu_Rj19/06/2011 20:54
Eu_Rj19/06/2011 20:54
Sempre desconfiei fda vida sedentaria dos religiosos... !? Quase fui selibadto, mais desisti no último tempo, achando, ser um pecado vil. Creio em seu depoimento, até por que, convivi com alguns com alguns iniciados na sede da igreja, na Benjamin Contante 23, na Glória. Vi que na maioria,todos eram bem animados e chegados, tipos meninas...!? Não me arrependo de não seguir o selibato,mais creio, que dentro dele, talvez, viveria um mjundo tão sexual,ou homossexual, quanto no dia socialo!!! Nunca tive nada com religiosos, mais percebi essa sexualidade, quando me apresentei, pra meu bispo carismático !!!! Creia, foi verdade !!!
Romano (Maceió AL)19/06/2011 19:51
Romano (Maceió AL)19/06/2011 19:51
Parabéns. Adorei saber que ñ sou o único a ter histórias com religiosos, um forte abraço e até o proximo conto. romano.xy@hotmail.com
Ricardo Para Almir19/06/2011 13:36
Ricardo Para Almir19/06/2011 13:36
Almir casaso to aqui afim tbm.. Me add no msn rickelmesp@hotmail.com sou discreto, de sao paulo/sp to no.aguardo do seu contato. Abraco
almir18/06/2011 15:44
almir18/06/2011 15:44
gostei do conto, parabéns. quando leio estas coisas dá vontade de fazer também. sou evangélico, casado, e tenho vontade de trransar com um homen assim. o que devo fazer?
gerson lopes xavier junior14/06/2011 20:11
gerson lopes xavier junior14/06/2011 20:11
sou gay e estou sofrendo preconceito em meu serviço, pois a um rapaz que trabalha lá que eu queria muito ser amigo dele, porém ele é homofóbico, tem odio dos gays.
andré belém pará13/06/2011 23:29
andré belém pará13/06/2011 23:29
nossa mundo mais adoro os seus contos mas essa de colocar padres em contos sexuais é foda em , issi ja é mecher com deus ,por favor ne manera nos atores ae veleu .
James13/06/2011 18:42
James13/06/2011 18:42
estou adorando os outros contos que ando lendo, d+++!!!!,mas esse foi meio fraquinho sem contar que sexo envolvendo lideres religiosos não me agradam muito mas despulpem-me os de opiniões diferentes apesar de tudo respeito os fetichis de cada um e acredito que cada um precisa cuidar de suas proprias vidas enfim o importante de tudo é ser feliz, certo??!!!
RICARDO13/06/2011 8:52
RICARDO13/06/2011 8:52
Não seim que mandou um recado para mim ai em baixo..Mas kara nao sou homofobico. e tambem nao presciso sair do ármario. E sempre estou fazendo minha polilica em prol dos gays. Pois tambem sou gay, mas cara é sao poucas as pessoas que aprovam as atitudes dos gays que parecem gazelas... E tambem são poucos os gays que gostam de homens assim.. Mas como sempre falo, cada um vivi como quer.. agora so term que aguentar as conseguencias.. Sou gay e sou feliz, com meu namorado. E nunca sofremos preconceitos,somos ate usados como exemplo. As pessoas falam: se todos comportassem assim nao tinha preconceito...
Verdade13/06/2011 0:12
Verdade13/06/2011 0:12
toma piroca cachorra? safada? você é homem ou mulher ? isso é sexo homoxessual ou heteroxessual ? Ridiculo passivos querendo dar uma de mulher.
CLAA12/06/2011 23:36
CLAA12/06/2011 23:36
Tentei bater uma, não deu. Até na imaginação você é brocha. kkkkkk
"Tals"12/06/2011 15:38
"Tals"12/06/2011 15:38
CLAA, meu cu é bom demais pra você. Fica só na imaginação mesmo, meu irmão.
Anjo da noite.12/06/2011 14:37
Anjo da noite.12/06/2011 14:37
Primeiro conto que paro para ler. Exelente escrita. Me surpreendeu!!! Muito bom, só tinha que ter dado mais detalhes em relação ao aspecto do padre.
amiga cuidado para voce nao vira mula sem cabeça kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
JUNINHO11/06/2011 23:36
JUNINHO11/06/2011 23:36
gostei do conto, mas nao acredito q ele tenha sido verdadeiro, certo que tem alguns padres q são gays e transam com os coroinhas da igreja, mas um qchega chegando num outro cara...
CLAA11/06/2011 20:36
CLAA11/06/2011 20:36
Sinceramente, odeio "bixinha" revolucionárias ainda mais com jeito de "mulherzinha". Que coisa deprimente! Pelo visto você é deprimente e nota-se que a sua altoestima está lá em baixo. Atrevo-me a dizer que você é mais uma daquelas barraqueiras. Isso é um conto CARAI se não tem movimento GAY no mês para você soltar a franga de revolucionária, e por consequência você entra em um site erótico, então cala a sua boa e escreve melhor, do contrário enfia seu dedo no cu e vai se masturbar, porque é o único motivo que eu estou aqui. Para de querer atacar alguém com essa "purpurina estragada" e vai a merda. Finalizando vou bater uma pensando eu você rasgando esse cu arrombado. Revolucionária... puff, deve tá virando moda.
RICARDO11/06/2011 11:09
RICARDO11/06/2011 11:09
Me desculpe, cara, mas seu discurso é completamente homofóbico. Sim, vc é gay, mas o seu discurso tem uma classificação bem conhecida: HOMOFOBIA INTERNALIZADA!!! Ou seja, ser gay pode. Só não pode dar pinta, né? E por que não pode dar pinta? Por que não pode usar fio dental na avenida, se no carnaval milhares de mulheres fazem a mesma coisa? Qual é, irmão? Não existe liberdade meia-boca. Ou todo mundo pode, ou ninguém pode. Doa a quem doer, mas eu acho que o problema da homofobia, dos assassinatos, do bullying, não é apenas a carnalivalização das paradas gays. É também, mas não só isso. Isso é o de menos. O maior problema, ao meu ver, é a desunião da classe. Uma desunião provocada por esse bando de viado que se acha homem demais em relação aos outros. Meu amigo, se você dá o seu rabo ou come um outro, você tá no mesmo barco que a bichinha pintosa, meu querido. No mesmo barco da travesti. Não adianta querer se diferenciar não. É mais bonito você abraçar a causa e fazer uma frente colorida do que querer bancar o gay-quase-hétero. Saber por que? Porque pra vc a referência é a heterossexualidade e vc tem que ser o mais próximo dela. Liberte-se. Solte a franga que há em você! Deixa de preconceito em relação a tudo aquilo que aproxima o homem do universo feminino, seja a pinta da bichinha, seja a travesti de fio dental, ou qualquer outra coisa. Nossa luta anda junto com a luta contra a misoginia, camarada. Não dá pra ter preconceito com o universo feminino a essa altura do campeonato não! Consciência né, galera?
RICARDO PARA O TALS10/06/2011 14:57
RICARDO PARA O TALS10/06/2011 14:57
Entao amigo tals, nao sei onde vamos ganhar respeito se "todos" os gays continuarem a comportarem como se comportam. Sabe um dia desse estive assistindo um programa de tv, onde estava presente o vereador Agnaldo Timoteo e mais um deputado, pow veio uma transexual de fora do pais, para falar um pouco, mas essa "moça" so falava besteira, é increvel como a maioria dos gays tem uma boca suja, so sabem falar palavroes, pica, fuder, nossa entre tantos.Assim como dentro da sociedade "perfeita" tens os escluidos, dentro dos gays vai ter tambem por causa das atitudes, a sociade aceita gays na boa. Desde que saibam respeitar o direito do outro. Eu jamais teria coragem de beijar o meu companheiro em publico, assim como é ridiculo ver um hetero quase fazendo sexo explito, como um vez peguei um aviao, tinha um casal do lado que pensei que eles fossem fazer sexo ali mesmo, e todos dentro do aviao, pelo menos quem estava ali proximo se sentiu imcomodados e reclamaram.. se fosse um casal gay seria preconceito.. Só temos uma coisa, respeitar o direito dos outros. Acho que temos o direito de viver com quem quisermos, os mesmo direito dos heteros, pois a maioria da familia as vezes nao aceitam o filho morar com outro homem, mas quando um deles morem a familia que todos os bens do filho, ai sim eu acho que deveria ficar com o campanheiro.. todos os bens de direito. Tals gostei das suas opinioes, apensar que a maioria nao concorda conosco, mas tenho certeza que os contra sao os que a sociedade, chamam de viadinho, gazelas, e por ai vai....vc tem msn tals?
"Tals"10/06/2011 13:53
"Tals"10/06/2011 13:53
Obrigado aos companheiros que partilham do bom senso compartilhado aqui, por mim. Eu só queria deixar claro que eu não acredito em instituições perfeitas, e menos ainda as que são compostas por homens, como eu, que sou imperfeito também. Eu, não vejo o menor problema em expor erros e “nomes” de lideres que fazem coisas que não lhes condiz. Padres, pastores, rabinos ou pais de santo dá no mesmo. A questão inteira é o momento político e o papel dos gays nesse burburinho e confusão que anda acontecendo. Também quero dizer que eu sou a favor da liberdade e que não vejo problema em cada um ser o que quer e fazer o que quer, desde que isso não afete o seu semelhante. Muito bem colocado pelo amigo ali em baixo – Um gay que faz coisas ridículas é semelhante a um hetero que faz coisas ridículas, a diferença é que ele sempre vai levar consigo um nome a mais...(bicha, viadinho e afins.) E isso é mt ruim. Acho que pela nossa posição “inferior” frente a sociedade, deveríamos mostrar do nosso melhor e não o quinhão que nós faz semelhante a classe ruim do povo pois nesse ponto, saímos perdendo sempre. Pensem bem; um hetero que afronta as pessoas de modo rude vai ser sempre o idiota, o pitboy ou o babacão. E os gays que fazem o mesmo vão ser sempre os “viadinhos idiotas”, as “bichinhas babacas” e afins...Temos de lutar por direito , sim. Mas também temos que lutar pela igualdade social e por rótulos que valham a pena se levar!
ff belem pará10/06/2011 12:16
ff belem pará10/06/2011 12:16
nossa que deprimente uma bicha dessa expondo tanto assim a igreja católica, naum querndo defender os padres, pq sei que existem padres safados msm, mais por favor né já temos tantos conflitos religiosos e muitos outros, em relaçao a religião ele faz questao de colocar UM PADRE, PQ NAUM UM RELIGIOSO ??? acho que seria menos vulgar. Em fim esse conto foi deprimente.... ALÔ mundo mais !!!!!!!!!!
cicero10/06/2011 9:41
cicero10/06/2011 9:41
Seria interessante que aqueles que namoram ou vivem com sacerdotes nos contaram sua experiencia... Eu namorei um sacerdote por quase 5 anos e foi uma experiência maravilhosa, até hoje posso dizer que é o melhor amante e a melhor experiência da minha vida... Ele com seu serviço e eu no meu e na nossa relação eramos somente dois homens que se amavam e mais nada....
Tals09/06/2011 19:51
Tals09/06/2011 19:51
Querido, eu não entendi nada no texto. O que eu disse é que nesse momento politico, este texto, não vem a calhar, na minha opinião. E parabéns por ter conseguido interpretar o texto, mas eu também sei fazer isso. Eu não sou hipocrita, me acho bem consciente até. Conciente o bastante pra não me deixar levar por qualquer buraco com um pano rosa pra encobrir. E outra coisa; Meter-se em movimentos de protesto contra isso ou aquilo com o publico GLBT é uma grande piada, pois o que era protesto vira rapidamente festejo sexual. E Claa, fico, eu mt feliz por poder ter outro adjetivo junto ao nome "Bixinha" ou "Bichinha". Isso mostra que eu sou mais que só uma "Bixinha" ou "Bichinha". E você, é "Bixinha" ou "Bichinha" o que?
AASS09/06/2011 17:05
AASS09/06/2011 17:05
me add no orkut kaka_petar@ig.com.br
AASS09/06/2011 16:59
AASS09/06/2011 16:59
Peter Muito bom Seu Contos da Um tesao gostoso mais escreva mais tah de parabens
léo09/06/2011 9:35
léo09/06/2011 9:35
engraçado que nesses contos não aprece ninguem feio,franzino, todos são lindos e sarados, e esta bicha louca está mais louca que nunca. quero saber quando ela vai pegar um pai de santo kkkkkkk.
xD09/06/2011 2:05
xD09/06/2011 2:05
Se não existissem alguns erros ortográficos, ainda seria melhor. Mas, está ótimo.
CLAA09/06/2011 0:23
CLAA09/06/2011 0:23
Tirando a "bixinha" revolucionária que postou uma comentário em 08/06 22:54... De Joelhos para o Padre foi o melhor."Não queria saber o quão elástico era meu cu" kkkkkkkkkkk (mijei de rir). Muito bem escrito este conto. No mais meus parabéns e espero ler outros contos mais.
Para o Tals...08/06/2011 22:54
Para o Tals...08/06/2011 22:54
Querido, em que parte do conto vc entendeu como disseminando o ódio? Onde neste conto está apontando o erro de religiosos? Pelo q eu entendi, o conto fala sobre histórias envolvendo tabus religiosos, mas em nenhum momento está dizendo que esses religiosos estão errados por transarem com outro homem, quem ta dizendo isso é vc! Me desculpe mas eu tenho que falar. E outra, se vc se diz tao consciente, deveria sim apoiar a causa que desmascara a hipocrisia religiosa. Varios outros colegas internautas ja colocaram aqui que historias similares à do peter aconteceram. Então pra q essa hipocrisia religiosa e política. Isso aqui é só um conto, meu amigo, mas o que acontece na política não é. É real, e se alimenta da alienação de pessoas como vc, que querem o tempo todo ficar invisíveis. Já dizia um ditado antigo: "quem muito abaixa mostra a bunda". Ao invés de gastar tempo criticando uma produção literária, vc deveria se ocupar em marchas e protestos contra a homofobia, contra a corrupção e contra o fundamentalismo religioso na política. Pronto, falei.
Tals08/06/2011 13:55
Tals08/06/2011 13:55
Meu nome é "Tals", sou do Rio De Janeiro e tenho 25 anos. Navego no site a algum, pouco, tempo e acho ótimo o trabalho prestado aqui, parabéns. A informação, o trabalho e a dedicação que torna o Mundo Mais tão bom, não só pra diversão sexual, mas pra informação de todo um grupo e seus "admiradores". Sobre mim, sou gay, estudante universitário e namoro a quase dois anos com um homem e sou muito feliz, graças a Deus. Essa é a primeira vez que vou fazer uma postagem no site e queria ser direto nela, não como uma forma de briga mas sim de concientização de todos. Nós, gays, realmente, precisamos sujar nossas mãos e nos rebaixar com essa briga política que está acontecendo atualmente? será que é de interesse do site e seus organizadores difamar as estruturas cristãs do pais apenas por despeito do poder deles? Será que os meios realmente justificam os fins? Nunca tive grandes problemas com preconceito e acredito que teriamos menos desses casos se soubessemos nos portar, assim como me esforço. (Postura social de respeito e carater são fundamentais, pra mim.) O que eu acho é que esses contos não cabem bem no momento pois eles incitam o odio as classes. Eu honestamente não sei se é por mero acaso que esses contos sobre padres e pastores estão na pagina mas eu acredito que todos nos perdemos quando se coloca segamente na cabeça de alguém que outros também estão fadados a erros e o que acontece é uma briga cega e sem sentido. Sou de familia evangélica com uma solida formação cristã ativa e eu, em quanto ser pensante, sei admitir os erros do estilo de vida que amo mas não consigo seguir, não porque seja ou não verdade, mas sim, porque todos temos conflitos internos. Meu ponto de vista é que nesse momento delicado, não deveríamos alavancar o ódio politico nas mentes que não conseguem formar opiniões próprias. O que a sociedade cristã não consegue enxergar nessa luta é que privando certos direitos das "subclasses", estão também, privando direito a vida. Burramente estão contrariando os "mandamentos divinos" que eles tanto creêm e de quebra estão desobedecendo a ordem natural dos direitos humanos, que é a lei humana e que eles deveriam respeitar também, pois é mandamento biblico. Ou seja, estão pecando duplamente. E é por conseguir ver tantos erros nos interesses cristãos que eu me coloco na posição de estar integro com essa luta, mesmo que eu só não faça diferença mas mesmo assim, me mantenho reto e integro. Gostaria que os gays pensassem nisso também! Fogo com fogo só trás destruição, agora é hora de tentarmos as bandeiras brancas. PS: Brichas do Brasil, deixem de pensar só em sexo...Não sejam manipuladas, PENSEM TAMBÉM.
Val Dion08/06/2011 13:25
Val Dion08/06/2011 13:25
hehehe...bem sugestivo o homem do escritor, neh? Cummer...very nice tale! It made me cum:)
rafaell08/06/2011 4:05
rafaell08/06/2011 4:05
Otimo conteudo! Exelente! (mas, vamos melhorar no linguajar entre 4 paredes né.... nunca precisou!)
o/08/06/2011 1:53
o/08/06/2011 1:53
ahuahauhauahauahauhauahauhau... mto comédia! mto divertido!!! "não queria saber o quão elástico era meu cu" ahuahauahuahauahauhauhauahau... = )
Safado!08/06/2011 0:49
Safado!08/06/2011 0:49
Meu Deus!!!!!!!!!!! Sou de Divinópolis (MG). Por falar em padre, tem um aqui que é o maior tesão! Além de ser um gato, é malhado! Deus me perdoe...
roberto07/06/2011 23:10
roberto07/06/2011 23:10
Bi a senhora é religiosa mes,o desse jeito esta garantido um lugar no céu
David 07/06/2011 22:01
David 07/06/2011 22:01
Adoro esse contos do mundo mundo mais . muito bom viajo na historia . Parabéns equipe pela matéria . !
JOKA07/06/2011 19:10
JOKA07/06/2011 19:10
TAVA DE ROLA DURA...BATENDO GOSTOSO..QUANTO LI - PUTINHAAAA- MINHA ROLA BAIXOU NO ATO. CONTOS DE MACHOS COM MACHOS NAUM DEVEM ENVOLVER PUTAS, PUTINHAS, SAFADA E TALS....PORRA.! LEIA OU ECREVA CONTOS PRA HETEROS ENTÃO...CURTO SAFADO..PUTO SAFADO, MACHO TEZUDO ETC. POR AE..
eu_ce07/06/2011 14:56
eu_ce07/06/2011 14:56
Seus contos são mt bons! Já tinha lido o anterior! Mas cuidado com algumas colocações que tendem enriquecer o conto! A Chacina da Candelária não teve CENTENAS de mortes, como você falou, apenas um grupo de pessoas que estavam no local foi morto. Estou dando esse "toque" por que notei seu empenho em escrever bem! Acredito que possa vir a agregar!;) Abraço e Parabéns!
Ricardo07/06/2011 10:05
Ricardo07/06/2011 10:05
Quero muito um religioso imteressante pra me forçar a orar igual a este rapaz com certeza farei todo o terço sou moreno 169m 68 kg corpo bem bunda deliciosa quem for ativo pode me ligar 85 99298994 ricardo
Eu fui coroinha na infancia ate os 15 anos e poco antes de dexar de ser, um Padre local me descabaçou o rabo. Na época fiquei mto traumatizado apesar de que ele foi mto carinhoso e so transamos com o meu consentimento. Só transamus umas 2 ou 3 vezes. Pedi pro meus Pais que me mandassem pra Capital pra estudar melhor. Alguns anos depois o procurei, mas ele tinha falecido. Quer saber mais??? eumorolongemg@hotmail.com
Pablo07/06/2011 2:00
Pablo07/06/2011 2:00
PETER.....vc mente bem !! 1º foi o filho do pastor, agora um padre....qual o próximo religioso ? Um monge ? um rabino ? um pai de santo ?? aaaafffff !! E quando terminar as fantasias religiosa.....será o que ?
PAULO06/06/2011 23:17
PAULO06/06/2011 23:17
Nossa gostei do conto, uma vez em Palmas Capital do Tocantins, conheçe um homem pelo pate papo, e vomos para o motel, nossa como esse homem sabia fuder, meter, beijar e tinha cada pegada, passei horas dando para ele. Nossa e como ele demorou para gozar, e depois que tudo acabou, quando estavamos saindo do motel ele confesou para mim que era padre,, Ficamos no motel na entrada de Taquaralto... muito bom mesmo,, mas na verdade depois que descobri que ele éra padre,, me deu raiva dele,, mas tambem nunca mais nos encontramos..
Jose06/06/2011 21:31
Jose06/06/2011 21:31
Peter, adorei seu conto, muito emocionante, fiquei louco de tesão, adoro seus contos, como o filho do pastor, me excitou bastante, tbm fui evangelico, por 22 anos, e tinha muita tara por um irmão o qual me levou pra igreja, e pelo qual me apaixonei loucamente, acho q ele sabia. No interior do nordeste, agente sempre tomava banho junto no riacho e ele ficava sempre de pau duro, era enorme, eu tbm ficava, mais agente so se olhava, e ninguem tomava iniciativa. eu tinha medo q ele me repreendesse e se afastasse de mim. O conto me lembrou muito, agora esse do padre, nossa, tenho a maior curiosidade sobre eles, e sonho um dia encontrar um como vc. Abraço, vc é 10.
jeferson06/06/2011 20:56
jeferson06/06/2011 20:56
e otimo obrigado por dar esse relato com um padre jeferson_matossilva@hotmail.com msn
Pedro06/06/2011 19:47
Pedro06/06/2011 19:47
Parabéns pelo conto, especialmente pela riqueza de detalhes.
o pe fabio de melo ja tem dono, um deputado estadual
gala benta06/06/2011 19:24
gala benta06/06/2011 19:24
Não gos(t)ei mesmo. Tenho nojo de padre safado! Pronto falei.
Ksdo06/06/2011 17:31
Ksdo06/06/2011 17:31
Muito bom o conto... realidade ou não meu tesão foi as alturas... Imaginei o tempo todo o Padre Fábio de Melo... que Homem!!! Concordam?
Nego06/06/2011 16:29
Nego06/06/2011 16:29
Eu sou um homem casado e namoro um padre faz quatro anos e somos imensamente felizes. Ele realmente é um homem com H e penso que o fato de ser padre o torna mais humano e com um toque de algo a mais.... Parabens pelo conto!!!!!
Caíque06/06/2011 16:21
Caíque06/06/2011 16:21
Até aqui esses viados com essa idiotice de primeiro, vamos crescer queridas??
gatinho06/06/2011 16:03
gatinho06/06/2011 16:03
primeiro a ler...michaelzinho.gato@hotmail.com
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário:

Wilker