Entrar na área VIP

Engavetado?

Marta Suplicy nega o arquivamento do Projeto, e Jean Wyllys lamenta o abandono de anos de luta por aprovação do PLC 122.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 06 de Julho de 2011

O deputado Jean Wyllys encarou como derrota o abandono do PLC 122.O deputado Jean Wyllys encarou como derrota o abandono do PLC 122.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) negou que o PLC 122, projeto que criminaliza a homofobia em território nacional, será arquivado no Congresso.

A assessoria da senadora explicou que um novo projeto de lei será apresentado nos próximos meses, mas que "as principais diretrizes no combate à homofobia" serão mantidas. Ainda de acordo com a assessoria, o PLC 122, do qual Suplicy é relatora, continua em trâmite no Senado.

Nos debates que tenho travado no Senado, em todas as conversas, tenho observado para que os princípios do PLC 122 não se percam. E percebo avanços. Tenho aberto o diálogo com as bancadas religiosas e com todos os setores que se colocam a favor e contra pontos do projeto, diz Suplicy em nota.

A polêmica em torno do possível engavetamento do projeto teve início na semana passada, quando Marta Suplicy se reuniu com os senadores Magno Malta (PR-ES) e Walter Pinheiro (PT-BA), e os deputados Benedita da Silva (PT-RJ), Lauriete Almeida (PSC-ES) e Gilmar Machado (PT-MG). Na reunião, ficou acertado que o objetivo era ampliar o número de apoiadores ao PLC 122, que, segundo Marta Suplicy, foi "demonizado" nos últimos meses pela bancada evangélica.

Supremo Tribunal Federal

Durante a coletiva de imprensa da 15ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, realizada no último dia 25 de junho, a senadora Marta Suplicy chegou a sugerir que o movimento LGBT procurasse o Supremo Tribunal Federal (STF) para que ele decidisse a favor do projeto de lei que criminaliza a homofobia.

Entre os ativistas LGBT, é consenso que o PLC 122 sofrerá resistência por parte dos senadores que compõem a bancada religiosa. De acordo com Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros (ABGLT), o PLC continuará tramitando e que o foco sempre foi "o combate à homofobia".

Em junho, Toni Reis se reuniu com Marta Suplicy, Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Demóstenes Torres (DEM-GO) para discutir o projeto. Naquele dia, ficou acordado que todos nós somos contra a discriminação e a violência contra LGBT, revela o presidente da ABGLT. O senador Demóstenes ficou responsável por elaborar um novo projeto, mas por enquanto não há nada acertado, acrescenta.

Na opinião de Reis, "o PLC não tem votos para passar na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado do jeito que está". Em maio, durante votação na CDH, o PLC 122 teve que ser retirado da pauta porque corria o risco de não ser aprovado.

O que gera discórdia entre os senadores evangélicos é o ponto onde a lei prevê punição para os discursos que incitem o ódio e a violência. Marta Suplicy já havia sinalizado que retiraria a criminalização dos discursos em púlpitos religiosos, por entender que estes ferem a "liberdade doutrinária". De acordo com a senadora, o novo texto vai apenas "punir aqueles que induzirem a violência".

Derrota?

O deputado Jean Wyllys classificou como uma “derrota” a decisão de engavetar o PLC 122 pela relatora do projeto, a senadora Marta Suplicy.

Do mesmo modo como aconteceu na Câmara Federal, em que o projeto foi aprovado graças ao protagonismo dos LGBT, deveria ter sido no Senado, mas nas últimas semanas a senadora Marta Suplicy e o Toni Reis [presidente da ABLGT] passaram a negociar diretamente com os senadores e deputados da oposição, sem qualquer tipo de consulta ou participação dos demais parlamentares apoiadores do projeto. Até mesmo membros da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT ficaram de fora, criticou o deputado. A senadora Marta Suplicy está desconsiderando os outros parlamentares e os demais segmentos da militância LGBT, completou.

Jean Wyllys ainda definiu como lamentável a decisão de abandonar o projeto por conta da chamada “demonização”. Não dá para admitir que agora deputados e senadores que historicamente sempre se opuseram aos direitos LGBT venham querer apresentar um projeto que contemple as nossas reivindicações. Os negros não aceitaram, as mulheres não aceitaram. Por que nós temos que aceitar?, questionou o deputado.

Levando em conta as dificuldades em se aprovar o PLC 122, o deputado Jean Wyllys sugeriu que uma alternativa seria reunir os parlamentares apoiadores da causa, a mídia LGBT e os mais diversos segmentos da militância, e não somente a ABGLT, para criarem juntos um novo projeto.

Para discutir esta alternativa e os rumos a serem tomados após os últimos acontecimentos, o deputado pretende se reunir nesta quarta-feira, em Brasília, com alguns membros da Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT.

De lá, poderá sair um esboço para um futuro projeto que será amplamente discutido com deputados e senadores e com toda a militância, disse Wyllys.

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • Oiiiii!!!!

    É o velho Nereu, com sua mentalidade lavada pela ideologia da ditadura militar de extrema direita, de fobia cega e sem fundamento contra as esquerdas, especialmente o PT.

    em 18 de julho de 2011, às 12:13
  • rafa-sp para nereu

    não dá para ter dialogo com vc devido sua forte ideologia politica. Você infelizmente, tenta impor sua opinião como uma verdade obsoluta!.

    em 17 de julho de 2011, às 22:49
  • Nereu p/Theo

    Theo, você esta certo em muitas colocações, mas PLC 122 não quer fazer dos gays seres superiores ou melhores que os outros. A PLC quer que sejamos respeitados em nossos direitos. Os evangélicos querem negar esse direito já concedido pela Constituição. Eles acreditam em uma verdade e quer que todos acreditam nessa verdade. Alguns evangélicos, principalmente os lideres (pastores) querem fazer da vida das pessoas que não os seguem (espiritas, umbandistas, gays e até mesmo católicos) pessoas de classe inferior. Eles querem é mídia e quanto mais convertidos melhor para eles, pois recebem dízimos. Também não concordo com parada gay e outras coisas que alguns fazem.... mas fazer o que se eles acham que estão certos, não podemos tolher seus direitos. É exatamente contra isso que lutamos.... pelos nossos direitos... gostaria que existisse uma parada gay séria, realmente com base, tema, assunto.... mas as lideranças preferem o carnaval.... então.... Lutamos pelos direitos de todo o cidadão que trabalha, consome e paga seus impostos.... sem pastores, padres interfirirem em nossas vidas... Não preciso de ninguém para dizer o que devo fazer, eu sei o que fazer... Jean não é lunático, ele só não percebeu que lutar ao lado de Marta é uma fria.... e todo o grupo petista também o é! Marta e PT é mais homofóbico que o Bolsonaro.... Bolsonaro mostra a cara.... a gente conhece.... Marta e PT são mascarados e engana o povo.... nada mais... Pelos mesmos direitos de viver como cidadão.... com preferências sexuais diferentes das convencionais.... PLC 122... completa.

    em 13 de julho de 2011, às 18:14
  • RecFesta

    Concordo com o Théo, aqui abaixo...

    em 13 de julho de 2011, às 15:51
  • RecFesta

    SOU GAY... ASSUMIDO. SOU MACHO, SOU HOMEM... TENHO MEU NAMORADO, VIVEMOS DE ACORDOS COM A CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA, E NÃO CONCORDO COM A APROVAÇÃO DESSA PL 122... daqui a alguns anos, os cegos vaõ querer uma lei, os gordo, os gagos, os carecas.. e por ai vai. - Minha opnião - Tenho direito de Expressão.

    em 13 de julho de 2011, às 15:48
  • Theo

    Jean é um lunático, quase como o Bolsonaro. Tudo p ele é homofobia. Quer instaurar no país um conta de fadas gay. Esse PLC122 do jeito que está quer colocar os gays num patamar acima do resto da população. Isso nunca será aprovado!! Devemos lutar por igualdade apenas, não por benfícios que o resto da população não possui. Isso só aumentaria o preconceito. Como os gays querem ser respeitados se a maior parte dos gays assumidos não se dão o respeito? Fazem putaria em qualquer banheiro público, a parada gay de SP não passa de uma micareta regada a mto álcool, drogas e sexo em plena luz do dia. Os governos de SP e RJ têm feito algo pela causa gay não por ideologia, mas sim de olho no dinheiro gasto pelos gays com turismo! Mais de 25% do que o Rio lucra com turismo se devem aos gays. Violência é crime em qualquer forma q seja. Colocar apenas uma lei contra violência contra gays vai ser só mais do mesmo. Ou seja, apenas se aplica para quem não tem dinheiro p pagar bons advogados. Eskeceram onde vcs vivem?? Acordem Alices!!!

    em 13 de julho de 2011, às 14:59
  • Nereu //Danilo SP

    Escreveu bonito..... mas de tudo o que escreveu o que foi que ajudou os gays..... ? Quero ver a aprovação da PLC 122. Quero ver o fim das agressões... Quero ver o fim das merdas que os pastores falam.... Participar de congressos.... conferências e outras reuniões que só ficam no papel não trás. nada para ninguém.... Quero algo de concreto..... o governo Paulista e o Carioca fizeram mais pelos gays do que o governo federal.... Lula foi e é ilusão..... e a Dilma é continuação....

    em 12 de julho de 2011, às 08:33
  • Nereu p/Rafa SP

    Rafa, me mostra algo que essa mulher fez para os gays.... uma só... E a pior espécie de político, safada, mentirosa, manipuladora. O mais estranho é que ainda existem pessoas que acreditam nela. Marta é um câncer que não pode se eliminar....

    em 12 de julho de 2011, às 08:29
  • Rafa - sampa

    corrigindo o total de votos da Marta foi de 8.314.027 votos.

    em 11 de julho de 2011, às 23:47
  • Rafa - sampa

    Porque eu tenho que ser privilegiado só porque sou homossexual?? Não quero privilégios, mas sim igualdade de direitos. Do jeito que o Jean Wyllys está tratando o assunto, é certo que a lei não vai ir prá frente. Marta é uma politica experiente, ao contrario do Jean Wyllys. Ela se elegeu com quase 8 milhões de votos, enquanto o Jean teve apenas 13 mil votos! ". É chato ter que ler aqui no site pessoas dizendo que a Marta só está querendo ganhar voto com essa história. Pessoal pelo que todos sabemos essa historia da PL 122 só vai tirar votos da Marta, pois duvido que ela foi eleita por 8 milhoes de gays. Acorda gente, vamos dar valor para aqueles que querem nos ajudar de verdade.

    em 11 de julho de 2011, às 23:44