Assine o MundoMais

Violência gratuita

Adolescente gay de 17 anos é agredido em escola municipal de Vitória, ES.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 16 de Março de 2012

Um jovem de 17 anos foi agredido por um colega de classe nesta quarta-feira (14), em uma escola municipal, no bairro Santo Antônio, em Vitória. O motivo da briga seria a orientação sexual da vítima.

O rapaz agredido é homossexual, e muito assustado contou como a violência aconteceu. Ele pegou a cadeira e jogou em mim e não satisfeito ele ainda tentou me agredir com a lixeira da sala de aula, contou o jovem, que não quis identificar-se.

A agressão homofóbica aconteceu na Escola Municipal Alvimar Silva, e os envolvidos são alunos do sétimo ano. Amigos da vítima tentaram defendê-la e chamaram a polícia. Todos os envolvidos foram parar no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória.

De acordo com testemunhas, além de agredir a vítima, o adolescente acusado de homofobia causou um verdadeiro tumulto no refeitório da escola. Segundo informações, o adolescente quebrou objetos e móveis da instituição de ensino.

O que revoltou os familiares da vítima é que, mesmo tendo o patrimônio destruído, a direção da escola ainda tentou abafar o caso. A direção é a lei dentro da escola, então eles teriam que ter tratado o caso com mais seriedade, falou a avó da vítima.

Nos braços do agredido ficaram as marcas da violência. Segundo o jovem, esta não é a primeira vez que ele é humilhado pelo agressor, por conta da sua orientação sexual. Ele afirmou que é perseguido e vive com medo. Ele já havia me ameaçado e disse que iria me bater, declarou.

O adolescente que cometeu a agressão tem apenas 15 anos. A mãe dele esteve na delegacia, mas não quis falar com a imprensa. Segundo informações do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória, todos os envolvidos na agressão prestaram depoimentos e foram liberados, inclusive o menor acusado de cometer a agressão.

A Secretaria Municipal de Educação (Seme) informa que vai abrir uma sindicância para apurar o caso. A secretaria esclarece ainda que, quando há casos de agressão nas unidades da rede municipal de ensino, os pais dos envolvidos são chamados para conversar. Outras providências podem ser tomadas e, entre elas, até a transferência do aluno agressor.

Comentários (41)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 03-06-2012 às 00:44 garoto
    Já sofrie muitas perseguisoês na minha época de escola lembro que uma vez o garoto sempre adorava pega na minha bunda para me humilhar na frente de todos,mais não vinha só da parte masculina não as garotas quando perceber que vc é diferente dão em cima de vc só pra gozar da sua cara por que elas saber que vc é gay e mexendo com seus instintos fica bem mais facil de lhe reprimir.
  • em 03-06-2012 às 00:38 vitão
    Até parece que abrindo uma sindicância vai da em alguma coisa o muleque tem apenas 15 anos e todos saber que menores no Brasil fica impune seja qual for o crime cometido além do mais a própria justisa passa a mão na cabeça dessa gurizada.
  • em 01-04-2012 às 22:32 Arthur
    Eu sempre revidava. Se sofria alguma agressão verbal, eu retornava a agressão verbal. Se passava pra agressão física, eu retornava com agressão física. Tinha vários amigos héteros que não deixavam barato também não.. já briguei muito. Hoje em dia sou assumido e respeitado. Essa coisa de "Violência não leva à nada" não funciona nas escolas. Quanto mais você apanha e deixa, pior a situação fica.
  • em 27-03-2012 às 16:54 Clóvis Santana
    GOSTARIA DE ME RETRATAR E ME DESCULPAR PELO COMENTÁRIO QUE FIZ. NADA JUSTIFICA A AGRESSÃO CONTRA O PRÓXIMO. ME RETRATO PELO COMENTÁRIO POSTADO NO SITE E REPENSO ESSA ATITUDE. NADA JUSTIFICA QUALQUER TIPO DE AGRESSÃO. PREGUEMOS O AMOR UNS PARA COM OS OUTROS. ME RETRATO E ME DESCULPO AO SITE A COMUNIDADE GAY.
  • em 24-03-2012 às 14:18 Marcelo Lagoa
    Quando eu tinha 12 anos e estudava num colégio só de homens, e preparatório para colégios militares, por me envolver com um dos meninos, a minha condição vazou e justamente o menino mais homofóbico armou uma cilada, mas não pra me bater: queria me comer a força, que eu rolasse com ele. Abri a bolsa dos livros que estava comigo, peguei um compasso e furei as duas mãos dele. O caso foi parar na diretoria e quando me perguntaram o motivo pelo qual eu fiz aquilo, respondi: ele queria me comer a força e eu só dou pra quem quero..... nunca mais nem ele nem ninguém me incomodou, nem mesmo os coronéis donos da escola...
  • em 24-03-2012 às 08:12 marcellus
    Ninguém é GAY porque quer ser GAY; Ninguém tem Síndrome de Down porque resolveu ter; Ninguém é um bom jogador de futebol porque resolveu ser; Ninguém é namorador porque resolveu ser; Ninguém é deficiente porque resolveu ser; Vamos entender os outros e respeitar a individualidade de cada um.
  • em 23-03-2012 às 23:50 Higo
    Se sou eu, dava tanta porrada nele, e não ia jogar só uma cadeira de volta não ia jogar a mesa do professor que é maior, e depois só de raiva ia fuder o rabo dele, pq esse muleke deve mesmo é gosta de pica e ta com raiva pq não tem coragem de se assumir e não tem ninguém pra comer o rabo dele. E ser gay não é sinônimo de fraqueza não vamos tomar vergonha e impor respeito galera, bateu levou, fica a dica em!
  • em 22-03-2012 às 15:59 EDDY GUÍMELL
    COM CERTEZA O MENINO QUE AGREDIU SENTE ALGO PELO OUTRO... POIS TODOS HOMOFÓBICOS OU NÃO ASSUME SER GAY OU ENTÃO ADORA FAZER GOSTOSO COM GAYS...
  • em 21-03-2012 às 21:34 Ao Renam
    na adolescencia se vc revida ao inves de um te bater, varios vao juntar e te bater, por isso muitos nao revidam, nao todos....
  • em 20-03-2012 às 15:39 Diógenes
    Futuramente se o agressor se casar e tiver filhos e um deles fosse gay qual seria a atitude dele ? será que vai matar o próprio filho ?
  • Mostrar mais comentários...