C'est voté!

Paris terá local público com nome de Marielle Franco.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 03 de Abril de 2019

O conselho de Paris, capital da França, aprovou nesta segunda-feira (1º) batizar um lugar público da cidade com o nome de Marielle Franco, ex-vereadora do Rio de Janeiro assassinada em março de 2018.

Os conselheiros – cargo semelhante ao de vereador municipal – aprovaram a proposta enviada pela prefeita de Paris, Anne Hidalgo. Pelas redes sociais, ela comemorou a votação a favor da homenagem.

“Votado! Os conselheiros parisienses aprovaram nesta manhã a proposta que eu enviei com minha equipe: um local parisiense levará o nome de Marielle Franco, militante dos direitos humanos, vereadora do Rio de Janeiro, assassinada em março de 2018”, escreveu a prefeita de Paris.

Ainda não está certo qual local público vai receber o nome de Marielle – pode ser uma rua, uma praça ou outro logradouro. Segundo a agência francesa RFI, cogita-se que ela batize algum lugar no Marais, bairro no centro da cidade frequentado pela comunidade LGBT de Paris.

Também segundo a RFI, a moção apresentada pela prefeita Hidalgo recebeu votos de partidos de esquerda e direita.

Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes foram assassinados a tiros em 14 de março de 2018, no centro do Rio de Janeiro. Duas pessoas foram presas suspeitas de terem matado Marielle e Anderson: o PM reformado Ronnie Lessa – denunciado por ter efetuado os disparos – e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, que dirigiu o carro na noite do crime.

Comentários (6)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 07-04-2019 às 17:33 Alexandre
    Quanta bobagem e falta de informação, mariele defendia os direitos humanos, nunca defendeu bandido, agora se disserem que a terra e chata todos vão acreditar, o mas impressionante e que num site gay , os administradores permitem destilação de ódio e preconceitos. Muito triste
  • em 05-04-2019 às 05:38 Belami
    Esse Armani Exchange deve ser o Jorge Jorge disfarçado...
  • em 04-04-2019 às 16:40 Para Hannibal
    Verdade!!!
  • em 04-04-2019 às 11:10 HANNIBAL
    França não é aquele pais que começa a expulsar brasileiros transexuais soro positivos, em matéria mostrada aqui mesmo nesse folhetim ??? Que coisa em !!!!!
  • em 03-04-2019 às 13:00 Armani Exchange
    Morreu miseravelmente, é verdade. Resta saber não apenas quem a matou, mas também quem se empenhava em proteger. Paris é Paris. O Rio é o Rio. Mergulhado numa guerra insana, em que políticos, descaradamente, se põem ao lado de traficantes, contra milicianos, o estado virou uma terra de ninguém, acossada pela mídia, que é mentirosa e tendenciosa, e vítima de si mesmo. O ideal, quase isso, seria cercar o Rio de Janeiro e transformá-lo, por inteiro, num imenso presídio. Só sairia do presídio o povo: garçons, alfaiates, esmoleiros, artistas (estas nem todos), trabalhadores braçais, intelectuais, professores. Marielle, sem dúvida, não inovou: meteu-se entre os bandidos. Fez escolhas. Morreu, repita-se, miseravelmente. Mas, no final das contas, foi vítima do que ela mesma defendeu: que é possível dividir o mundo entre bandidos bons e bandidos ruins.
  • em 03-04-2019 às 11:29 Rainha
    Merecido!!