'Música para Morrer de Amor' é o filme certo para este momento, diz diretor

Rafael Gomes fala sobre seu segundo longa, que estreia em cinemas drive-in a partir desta quinta (13).

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020

Um filme feito para corações sentimentais de todas as idades. É assim que o diretor Rafael Gomes descreve Música Para Morrer de Amor, filme que após ser exibido em importantes festivais como o NEW FEST - Festival de Cinema LGBTQ+ de Nova York, o 52º Festival de Brasília e o 27º Festival Mix Brasil, estreia no circuito brasileiro a partir desta quinta (13), em drive-ins de São Paulo, Rio de Janeiro, Maceió e Goiânia.

“No começo foi um processo lidar com a frustração de não ver o seu filme estreando nas salas de cinema, mas depois entendemos que há poucos filmes brasileiros sendo lançados no momento. Ainda mais o filme ser sobre o que é. Porque eu acho que ele pode funcionar como um alento a essa enorme carência que nós estamos tendo das relações, do contato social. Nós achamos que o tema do filme viria a calhar para ser uma companhia acolhedora para as pessoas”, diz o cineasta e autor da peça que originou o filme, Música Para Cortar os Pulsos, que está completando dez anos em 2020 e recebeu o prêmio APCA de Melhor Peça Jovem.

Da mesma produtora de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, Música Para Morrer de Amor é sobre três jovens de vinte e poucos anos provando que na vida, assim como nas canções de amor, só os clichês são verdade. Isabela (Mayara Constantino) sofre de um coração partido por Gabriel (Ícaro Silva), Felipe (Caio Horowicz) quer desesperadamente se apaixonar, e Ricardo (Victor Mendes), um colega de trabalho que se torna um grande amigo, está apaixonado por ele.

Comentários (0)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.