Gays na cam

Quarta-feira, 20 de Abril de 2011
CONTOS DOS LEITORES
O Filho do Pastor
Este é o primeiro conto da série “Segredo Sagrado”, por Peter Cummer. Os temas giram em torno de tabus religiosos e pessoas que vivem divididas entre o prazer da carne e a moral da Igreja.
por Peter Cummer

Eu tinha 16 anos quando meus pais se separaram. Eu me encontrava completamente perdido em meio a essas relações familiares em crise, motivo pelo qual comecei a buscar na espiritualidade uma solução equilibrada para minha adolescência conturbada.

Perto da minha casa havia uma igreja evangélica pentecostal, cuja denominação é uma das mais famosas do Brasil, provavelmente a maior. Rapidamente me envolvi com as atividades nos cultos e aos poucos minha mãe e eu tornamo-nos frequentadores assíduos das reuniões dominicais, estudos bíblicos e eventos. Ela, muito debilitada em função da separação, recebia semanalmente as visitas pastorais ou dos demais clérigos que se reuniam habitualmente nos lares daqueles mais necessitados. Foi assim que ela se tornou amiga da esposa do pastor e este, por sua vez, junto com a mulher, passaram a frequentar minha casa. O casal possuía dois filhos, Elias e Jônatas, sendo este último bastante moço, e o primeiro, dois anos mais velho do que eu. Todos os domingos eu o via tocando bateria durante os cultos e também muito envolvido com os acordes musicais das reuniões. Depois de alguns meses, passei a admirar o trabalho do Elias e assim começamos uma amizade bastante saudável. Com frequência eu recebia aulas amadoras de bateria e de teclado, muito embora nunca houvesse me interessado por música antes.

Com algumas semanas já havíamos nos tornado grandes amigos, Elias e eu – adolescentes tornam-se grandes amigos em questão de dias! – e ele passou a frequentar minha casa, mesmo quando seus pais não visitavam minha mãe nas reuniões semanais. Foi num domingo de manhã, depois da escola dominical, que decidimos estudar teclado na minha casa. Ele levou o instrumento da igreja e começamos a treinar após o almoço servido por minha mãe. Logo depois da refeição, minha mãe precisou sair para visitar irmãs da igreja, e aí ficamos sozinhos, Elias e eu, dentro de casa. Perguntei ao meu amigo se ele não queria tomar um banho, ficar mais à vontade, colocar uma bermuda, enfim, e ele aceitou a ideia do banho. Contudo, declinou da ideia da bermuda porque, segundo ele, não estava acostumado a trajar roupas “do mundo”. Eu o emprestei uma camisa mais fresca e resolvi tomar o meu banho. Não havia toalha no banheiro e fui obrigado a gritar Elias para que ele me desse a toalha que eu o havia emprestado. Imaginei que ele fosse esperar que eu acabasse de tomar banho para me dar a toalha, mas quando dei por mim, Elias já estava dentro do banheiro com a toalha nas mãos. Quando saí de baixo do chuveiro e abri os olhos, estava ele lá, com um sorriso no rosto e a toalha estendida para me entregar. Eu tomei um susto, e por um segundo esqueci que estava completamente nu. Como num piscar de olhos, ao reconhecer a nudez, tentei cobrir meu pau com as mãos, em vão. Eu, bastante constrangido, agradeci pela toalha, e ele, muito confortável, retribuiu o agradecimento com um “de nada” e deixou o banheiro.

Na sala começamos a dedilhar alguns acordes no teclado. Era um dia muito quente e o ventilador não estava dando vazão. Mal saí do banho, comecei a suar. De maneira semelhante, Elias, que me surpreendeu ao tirar a blusa e ficar desnudo de peito. Quando vi aquele corpo jovial, não tive como disfarçar a atração e acabei desviando o olhar para não dar na telha. Elias era magro, mas com um tórax definido e sem gordura nenhuma. Abaixo do umbigo, seu corpo desenhava duas linhas a partir dos quadris, como se estivessem apontando para sua genitália. Essa marca em “V” em homens sarados sempre me chamou atenção, e ele possuía essa característica. Nunca podia imaginar que por baixo daquela roupa social mal acabada escondia-se um corpo tão bem desenhado. Jovem ainda, sem muitos músculos, mas incrivelmente atraente. Sem blusa, pude ver que entre seu umbigo e a calça larga demais que ele vestia – a ponto de descer quase até a púbis – traçava-se um espesso caminho feito de pêlos, como que direcionando o olhar do umbigo para dentro das calças. Elias parecia não se depilar. Obviamente não se depilava, se as próprias mulheres evitavam essas práticas consideradas como “vaidade”, haveria um homem de ousar raspar os pêlos do corpo? Foi bastante difícil prestar atenção aos acordes depois que aquele garoto, de bigodinho ralo e pentelhos aparentes, despiu-se parcialmente diante dos meus olhos.

Apesar de eu achar bastante esquisito o fato de ele se recusar a usar bermudas, mas tomar a atitude de ficar parcialmente desnudo, preferi não perguntar. Sobretudo depois de ele ter se mostrado cansado de dedilhar acordes e ter deitado no tapete da sala. Preferi admirar a cena que se revelava sob aquela tarde.

– Cansou, irmão? Perguntei a ele, usando-me do pronome inerente à comunicação entre evangélicos.

– É, irmão, o almoço da sua mãe deu uma canseira... Vamos descansar um pouquinho e a gente recomeça depois das três.

– Tudo bem, quer que eu pegue um travesseiro?

– Não precisa, pô. O tapete mesmo resolve.

– Então deixa eu tirar um cochilo aqui no sofá também. Daqui a pouco a gente retoma.

Passados alguns instantes, Elias interrompeu o silêncio:

– O que você achou da escola dominical hoje?

– Uma bênção. O diácono Joel é um homem muito usado por Deus! – respondi.

– O mundo tá perdido mesmo, irmão. Pecado sobre pecado. Muita gente tá precisando da Palavra.

– Verdade.

– Você vê só. Viu o que o diabo tá fazendo com a humanidade? Essa prostituição, esse homossexualismo, onde é que isso vai parar? – interrogou Elias.

– É o Juízo Final chegando, irmão.

– Homem com homem, mulher com mulher...

– Que nojo! – completei, pra não discordar do filho do pastor.

– Uma abominação aos olhos de Deus! A Bíblia diz...

– Será falta de vergonha? – Interrompi.

– Acho que é demônio, irmão. Só muita oração pra tirar o espírito do homossexualismo.

– E força de vontade, irmão. A carne é fraca, mas o espírito é forte.

– Uma coisa é certa: não deve ser moleza resistir à tentação. – Retrucou Elias.

– É, deve ser muito difícil mesmo, irmão.

– Deus ama o pecador, mas abomina o pecado!

– Glória a Deus!

– Amém.

A partir daquele instante, Elias começou a engatar versículo após versículo. De Levítico a Coríntios, todos eles versos supostamente condenatórios da homossexualidade. Eu, enquanto neófito e pouco instruído, limitava-me a concordar ou a exclamar alguma frase de aprovação ou de louvor a Deus! Comecei a perceber a insistência dele neste assunto, mas a princípio estava muito mais preocupado em admirar o corpo do meu amigo semi-desnudo em segredo do que contestá-lo. Mesmo porque no fundo eu concordava com ele. De fato a aula da Escola Dominical discorreu sobre os pecados carnais, dentre os quais a homossexualidade - ou “homossexualismo”, como preferiam dizer - era o mais notório. Notório também era o incômodo desse assunto para Elias, que insistentemente reproduzia o discurso do diácono Joel. Comecei a achar aquilo um pouco estranho. Após uma bateria de versículos, Elias silenciou e, logo em seguida, tornou a dialogar.

– Você acha que os homossexuais vão pro inferno?

– Na Bíblia diz assim, não diz?

– Dizer, diz, mas... cara, deve ser muito ruim arder no inferno eternamente. Será que esses caras não pensam nisso quando escolhem essa vida?

– Eu não sei, Elias.

– Você acredita que Deus pode perdoar esse pecado, cara?

– Por que você está me perguntando isso?

– Porque... deixa pra lá.

– Fala.

– Porque... vamos supor... um cara que gosta de mulher, de repente comete um ato homossexual... se ele se arrepender, será que Deus perdoa?

– Acho que perdoa, irmão. Se for de verdade, perdoa.

– Hum... eu também acho.

–Agora me conta – intervim – por que a pergunta?

– Por isso...

Elias levantou-se do tapete e me deu um beijo na boca.

– Sai fora, cara!

– Por favor, deixa, depois a gente se arrepende.

– Não, cara, não é certo! – tentei evitar, com medo do inferno.

– Você não disse que se a gente se arrepender, Deus perdoa? Caramba, quero muito te beijar, deixa... ninguém vai ver, é só agora.

– Só agora? – perguntei.

– Só agora.

Começamos a nos beijar ali no sofá. Eu nunca havia beijado um garoto antes, embora eu me sentisse atraído por homens. Sempre pensei que meus desejos pudessem eventualmente mudar, que fossem passageiros, que fosse apenas uma fase adolescente. Elias, por sua vez, encontrava-se notoriamente em conflito interior. E tudo levava a crer que desde o banheiro sua intenção era me dar um beijo. Mas agora, o beijo era apenas o início...

Deitado no sofá, eu recebia os beijos de Elias, que de joelhos beijava meus lábios enquanto uma de suas mãos apertava o volume de minha bermuda. Com a outra mão, masturbava-se de maneira insaciável! Fiquei sentado e Elias deitou-se sobre mim, beijando-me o pescoço e lambendo-me os mamilos. Pedi para que ele tirasse minha bermuda e ele o fez. Começou a bater uma punheta na minha vara, e eu, virgem, enlouquecia com a possibilidade de receber uma chupada. Não tive como resistir!

– Chupa aí, vai. – Pedi ao Elias.

– Você deixa?

– Com certeza, mama meu pau!

Elias caiu de boca no meu cacete. Sua boca deslizava sobre a cabeça da pica como se fosse algo muito, muito, muito desejado. Às vezes seu dente arranhava, mas eu o advertia e ele tornava a cair de boca, lambendo, como se quisesse aliviar-me a dor da mordida que me dera sem querer. Eu o segurava pela cabeça enquanto sua boca se abria involuntariamente para que meu pau a penetrasse. Quando já estava a ponto de gozar, avisei que o faria dentro de sua boca, e ele resistiu!

– Não! Agora é a sua vez!

– Nunca fiz isso, cara.

– Com o tempo você se acostuma, você vai gostar! – respondeu ele, bastante experiente, para filho de pastor evangélico, na arte do boquete.

Elias ficou de pé na minha frente, apresentando diante de mim aquele mastro enorme! Aquilo devia ter, por baixo, uns 18 ou 19 centímetros. O garoto tinha um saco absurdo! Parecia que acumulava porra há séculos! Em volta do pau, os pentelhos lhe desenhavam, à altura da púbis, uma cabeleira negra, ainda molhada pela água do chuveiro. Os traços de masculinidade dele me excitavam cada vez mais. Embora hoje eu deteste pêlos, naquela época a existência deles me fazia lembrar de algo que eu viria a descobrir ser meu objeto de desejo: homem. Por isso caí de boca no pau do Elias, desvirginando minha boca, aprendendo a chupar um homem. Neste caso, um garoto de dezoito anos.

– Ai... chupa! Isso, chupa, vai... ai, que delícia de boca!

E eu, como não tinha o que falar, de boca ocupada, limitava-me a gemer enquanto engolia seu cacete.

– Que gostoso! Meu Deus, que delícia... mama tudinho, cara! Me faz feliz, só hoje... engole esse pau até o saco!

Depois de lamber as virilhas do Elias e levá-lo à loucura, caí de boca em seu peito, que há horas eu estava desejando. Ele deitou-se no tapete e eu sentei em cima de seu pau. Estávamos completamente nus. A posição me favorecia para chupar seu peito. As lambidas começaram no mamilo esquerdo, mas acabaram em suas axilas... Lambi cada centímetro de suas axilas, que cheiravam a homem, cujos pêlos tornaram-se ainda mais molhados com a saliva que emanava de minha boca. Elias estava extremamente excitado. Eu podia sentir seu pau latejar na minha bunda. Tomei a iniciativa de perguntar-lhe se era para pararmos por ali ou continuar. Ele pediu pra continuar e eu, logicamente, aceitei. Nunca havia transado com ninguém antes, mas, como se diz em adágio popular, “a ocasião faz o ladrão”. E eu estava pronto a ladrar!

Molhei meu rabo com cuspe e procedi da mesma forma ao longo do pau do Elias. Aos pouquinhos comecei a enfiar a cabeça na portinha do cu. Doeu muito, muito. Ele me pedia calma, e eu cheguei a pensar em desistir. Mas o tesão falava mais forte, e eu decidi tentar relaxar com a cabeça dele dentro de mim, latejando. Quando a musculatura relaxou, enfiei mais um pouquinho, e a partir dali para entrar o resto foi uma questão de segundos. Após uns dois minutos não havia nem lembrança da dor. Sentia os pentelhos do Elias roçando minha bunda quando ele estocava seu pau até o talo dentro do meu cu. Nós dois éramos muito inexperientes, mas Elias tinha mais experiência que eu. Depois descobri que ele comia outros moleques da igreja, mas isso é história pra outro conto. Como não tínhamos muita experiência, não inovamos muito nas posições, e ficamos praticamente no papai-e-mamãe. Ou, pra ser politicamente correto, papai-e-papai. Eu cavalgava em seu mastro e parava os movimentos para beijar-lhe a boca. Tornava a cavalgar. Num desses beijos acabei não me contendo e meu pau explodiu um jato de porra que melou completamente nossos corpos. Elias ainda recebeu uma leitada no queixo. Gozei sem tocar no pau. E eu, gentil que era, não podia deixar meu amigo na mão. Comecei a rebolar naquela vara e ele começou a respirar forte, ofegante.

– Rebola gostoso, cara... ah! Que cu maravilhoso, irmão! Rebola pro teu amigo, rebola... Senta, putinho! Hmmm... ohhh... Ta gostoso, ta? Responde, safado...

– Ta gostoso, Elias! Que pica gostosa, cara! Me fode, vai, forte! Forte! Forte, porra! Isso... continua, forte, continua... ah... hum... vai... vai...

Rapidamente Elias jorrou litros de leite dentro de mim. Nossa transa foi muito intensa, e também muito irresponsável, pois nem pensamos na possibilidade de usar camisinha. Era muito constrangedor para um evangélico naquela época ser surpreendido com uma camisinha. Assim que acabamos de transar, fui beijá-lo, e ele esquivou-se. Fiquei puto e perguntei o que tinha acontecido. Elias se trancou no banheiro e começou a chorar. Dali, pediu para que eu devolvesse sua blusa e, vestindo-a, saiu da minha casa, com o cheiro do sexo ainda exalando sobre seu corpo. Nunca mais fomos amigos, infelizmente. Hoje Elias é casado, continua na mesma igreja, mas certamente vive uma vida dupla, porque está preso ainda aos dogmas religiosos. Sua consciência não é livre. Felizmente meu caminho foi outro. Não por desacreditar em Deus ou algo assim. Com o tempo fui me libertando dessas amarras religiosas. Mas mesmo assim, ainda haveria de esbarrar outras vezes com pessoas mal resolvidas em sua relação pessoal com Deus.

Peter Cummer
petercummer@hotmail.com

Norma para comentários:
Acusações insultuosas e comentários em desacordo com o tema da matéria serão despublicados.
Comentários dos leitores (102)
Vinicius01/01/2016 17:37
Vinicius01/01/2016 17:37
Ola! pessoal sou evangélico e luto contra esses desejos a muito tempo. o conto fica em duvida se é real ou não. eu já conheci um cara que a mulher dele é missionaria ele dirigente dos jovens da igreja. conheci no bate papo na uol, ele muito bonito beijei e ele me chupava como um bezerro desmamado. tem um amigo meu também que é evangélico e demorou muito tempo pra bate e chupar ele. hoje de vez em quando a gente faz oral. mas luto com isso.
paulo sao vicente10/09/2015 16:50
paulo sao vicente10/09/2015 16:50
ja aconteceu comigo essa sena de filho de pastor ele me abordou nesses temas e falei pra ele que era pecado ele querer ficar com homens e ele me respondeu sou homem de carne e nao de ferro mas fiquei com ele tbm nos beijos e depois sempre transavamos ele era o meu macho de cama delirava quando ele me comia gostoso
Tony03/08/2015 16:46
Tony03/08/2015 16:46
Conto parecido com minha historia...
carlos06/07/2015 17:21
carlos06/07/2015 17:21
eu ja fiz troca troca com um cara que tinha uma pica muito gostosa igual do filho do pastor até hoje é so lembrar que fico de pau duro com vontade de dar pra ele.
JC22/02/2015 16:13
JC22/02/2015 16:13
Querem saber, no momento em que se chupa um homem ou se fica de quatro para o homem, na hora não se pensa em nada, sei o que falo o que importa é o prazer, a satisfação, já dei para um tio irmão por parte de pai da minha mãe, já dei para um primo dela, chupei ex-colegas de aula, de vez em quando faço ainda, com pouca frequência, mas não me afastou de Deus, por praticar tais coisas, puderá eu poder chupar um pastor, filho de pastor, irmão da igreja, mas os mais bonitos musculosos que fico delirando imaginando cada coisa.
raika10/11/2014 0:21
raika10/11/2014 0:21
Ai q vontade de sente um pau assim um delicia sera q tem algum assim pra me mostra Meu skype. Raikaray@hotmail.com
lindo gostoso06/02/2014 12:04
lindo gostoso06/02/2014 12:04
Quero da o cu ja dei meu cu pra meu primo ja dei pro meu amigo quero beija senti o calor de um amigo meu da escola ele se chama breno ele e lindo eu tenho 15anos ele tem 14anos
Pica doce30/12/2013 3:26
Pica doce30/12/2013 3:26
Adorei seus contos mas acho que deveria mais
marcio01/12/2013 11:00
marcio01/12/2013 11:00
da o ku e bom
Fabio Mezaque03/01/2013 16:47
Fabio Mezaque03/01/2013 16:47
Tanta gente falando besteira sobre este conto,e logico que Deus pode liberta as pessoas do homossexualismo,cada têm o seu livre arbitro de escolher o certo ou errado,mais e abominável aos olhos de Deus.
Vitor m stinglin 10/06/2012 3:06
Vitor m stinglin 10/06/2012 3:06
Foi um dos melhores contos que já li vc foi de mais parabens mande mais contos com certeza todos vamos gostar se for igual a esse foi espetacular e inovador para um iniciante mas se vc achava ele gostoso na hora em que te beijou não dívida reclamar e já ter tomado ok
Davi.ba05/04/2012 20:02
Davi.ba05/04/2012 20:02
Também ja peguei filho de pastor e cristão desde infância,estarei enviando para o mundo mais.Pra FALARA A VERDADE PARECE QUE TENHO SORTE COM CRISTÃOS KKKK.. SOU Baiano de Mata de são João quem quiser so adc,quero sexo real.
SERGIO03/02/2012 4:23
SERGIO03/02/2012 4:23
Onix, vai aprender a escrever, meu filho. Besha burra nasce hétero!
ONIX15/01/2012 18:28
ONIX15/01/2012 18:28
GENTE QUANTO O CARA ENFIA A CABEÇA DO PAU NAO DOI TANTO ASSIM NAO,NAO ESAJEREM.
silvio20cm17/11/2011 6:55
silvio20cm17/11/2011 6:55
Jorrar litros de leite dentro de mim...me recordo das vacas na fazenda que dão diariamente quinze litros de leite.Rssssssssssss
Diôgo 24/09/2011 21:51
Diôgo 24/09/2011 21:51
Seu conto é muito interessante, pena que que parece tão irreal, só uma pessoa completamente idiota pensaria que esse conto realmente aconteceu, ou então, que ele é uma representação da realidade... Nossa como é q vc explica a mudança repentina do garoto... Derepente ele torna-se adepto do sexo homosexual... segundos depois de citar a biblia inteira... Caia na real, meu filho. As coisas religiosas não se processam assim.... mudanças repentinas, paradoxos, doutrinas e dogmas mudando tão rapidamente. Essa questão envolve muitos conflitos, principalmente nesse contexto, pois envolve muito do psicológico do indivíduo. Sou psicólogo e recebo muitos jovens protestantes nessa situação e na maioria dos casos do primeiro contato paera io sexo é um processo de meses e, ás vezes, até de anos. Não gostaria d edesapontar os leitores, mas esse conto não tem nada de real, a não ser a criatividade desmedida e irracional do escritor.
Biju02/09/2011 16:17
Biju02/09/2011 16:17
E real mesmo não existe ex gay, que sente tesão por homens vai sentir sempre não tem religião que vai tirar isso conheço varos evangelicos casados e saem com outros homens são muitos parabéns pelo conto
renan24/08/2011 8:46
renan24/08/2011 8:46
ufa acabei gozando q conto hein ? Rolou um historia precida comigo dpois do culto fui dorm na ksa d pastos pois mnha mae havia viajado acabei dormindo no quarto do filho do pstor q era um tesao No meio da noite perdi o sono e fiquei sentado na kma e logo em seguida ele tambem acordou dizendo esta cm sede e sem sono ficamos ali conversando e do nada ele sugeriu uma brinkdra quem errase tirava 1 peca d roupa d assim foi 30minutos dpois estavamos os 2 nus e nao me contive e comecei a acaricia lo e a chupalo ele sem reacao dxou q eu continua se Ele meteu sua jeba d 25 cm no meu cu apertadinho .gozou na minha boca e no meu cu Hoje somos casados e moramos no rio g do norte transamos todas as noites e estamos em processo d adocao pra um bebe Beijos xau .Dizendo esta cm
Maxmixtagem(twitter)08/08/2011 19:42
Maxmixtagem(twitter)08/08/2011 19:42
Irmão esse conto foi mt bom kkkk molhei minha vestimenta... Quem quiser me comer esse e o msn Maxwueldapv@hotmail.com sou do cantro do Rio de Janeiro bjs de lingua irmãos :)
ali kaliu08/08/2011 18:20
ali kaliu08/08/2011 18:20
Religiao , igreja , filosofias , nao vai mudar a natureza de ninguem...
senhorq09/07/2011 3:16
senhorq09/07/2011 3:16
ME ADD msn senhorq@hotmail.com
Para @Miron Fahiel09/06/2011 23:28
Para @Miron Fahiel09/06/2011 23:28
Cara, essas questões religiosas são difíceis de lidar, porém não é impossível. Se você não vive sua opção sexual por causa da sua igreja ou sua mãe, é melhor repensar suas decisões. Um dia vc não terá mais sua mãe, a igreja vai continuar com ou sem vc e não vai mudar sua doutrina por isso, sua vida vai passar e quando perceber vai ter perdido o melhor da vida... E assim vai muitas outras coisas que podem acontecer. Sabe o que muitas pessoas fazem? Simplesmente deixam as religiões de lado mas não deixam de crer em deus como um ser que ama todos de forma igual, independente do sexo ou orientação sexual, e que é capaz de perdoar caso vc cometa algum erro.
lindomar veloso05/06/2011 17:48
lindomar veloso05/06/2011 17:48
A vida nso tras grandes surpresas kra ,e essa foia sua se ue fosse vc tinha feito o mesmo fikado , sei q vcs se arrependeram depois, mas valeu apena não valeu.............
Miron Fahiel01/06/2011 8:42
Miron Fahiel01/06/2011 8:42
____ Leiam com atenção ! ____Não tenho nehuma dúvida desta História, pois sou Evangélico de berço[Nascí e crescí criado nos princípios da Igreja Evangélica Assembleia de Deus-CGADB, do Pr.Silas Malafaia] mas desdemeus 05 anos de idade sinto atração por homens, hoje tenho 34 anos de idade ainda não namorei com mulher nenhuma nem com homem nunca tive relação sexual, já lutei de todas formas pra me livrar deste desejo[atração] mas não consigo o que piora a situação é que moro com minha mãe ela é viúva, não trabalho e mulher nehuma quer homem sem trabalho e inesperiente, o que no meio Gay essas coisas não são problemas para até acontecer uma transa, o filme Oração para Bobby quase seria eu.___Email: mironfahiel@bol.com.br
Juliano17/05/2011 13:56
Juliano17/05/2011 13:56
A maioria dos evangélicos são assim,axam q podem fazer o cão aq fora e q serão "purificados" na igreja,homossexualidad não é opção,é condição,ninguém seria tão insano de escolher uma coisa assim,nascemos assim e cabe a nós decidir sermos felizes na nossa condição ou viver uma vida dupla enganando as pessoas e a nós mesmos. msn: jnunes80@hotmail.com
Muito bom o conto.. Só achei engraçado a parte que diz: Por favor, deixa, depois a gente se arrepende. kkkk
Sylvio Mendes14/05/2011 19:09
Sylvio Mendes14/05/2011 19:09
Nossa adorei esse conto, já aconteceu isso comigo, só que o meu amigo era católico,mais com um tempo ele foi mora fora do país, ele tem familía por la... ele foi estudar pra ser padre, era o sonho dele...mais rolou com a gente quando eramos adolescente, eu tinha na época 12 pra 13 anos e ele eu acho q tinha uns 14 por aí...a gente ficava sempre, ele tinha um pau maravilhoso, amava fica com ele...hoje não somos amigos como antes, a gente conversar normalmente quando ele vem aqui na minha cidade, mais foi muitoo bom o tempo q eu ficava com ele, desejo boa sorte na carreira dele!! quem quizer me add no msn pra bater uma papo : sylvio.mendes@hotmail.com vlw
ecio12/05/2011 12:25
ecio12/05/2011 12:25
adorei o conto isso é o que mais eles fazem depois se arempende mais nao deixam a igreja e usa os seus membros
Ninfetinhu09/05/2011 20:04
Ninfetinhu09/05/2011 20:04
Nossa tesão de conto!
WILL05/05/2011 21:04
WILL05/05/2011 21:04
PARABÉNS PELO NÃO ME CONTIVE E BATE DUAS TENHO 20 ANOS WILL-DAMASCENO@LIVE.COM
jean junior...macapa...05/05/2011 15:20
jean junior...macapa...05/05/2011 15:20
adorei a sua historia legal abraçossss
CHUPETINHA04/05/2011 18:09
CHUPETINHA04/05/2011 18:09
MUITO BOM ESSE TEU CONTO,PARABENS,NAUM ME CONTIVE E ACABEI BATENDO UMA,RSRSRSRSRSR
luis04/05/2011 14:24
luis04/05/2011 14:24
cara, muito bom o conto, tem otima qualidade, e o lada psicológico tbm é interessantíssimo, além da transa, eu já fikei com um padre sem saber que ele era padre, dias depois fui a um casamento e me deparei com ele, super constrrangedor, e ao mesmo tempo divertido! elias precisa de analise! fjuazeiro@hotmail.com
luciano03/05/2011 20:39
luciano03/05/2011 20:39
querido adorei seu conto, qria ver mais relatos ou istorias
eduardo rj02/05/2011 9:15
eduardo rj02/05/2011 9:15
eu ja tive uma história parecida com essa ,não foi com o filho , mas sim com o pastor
Marcelo Lima01/05/2011 13:57
Marcelo Lima01/05/2011 13:57
A história contada pelo rapaz que era evangélico se repete muito mais frequentemente do que imaginamos. Há muitos gays dentro das igrejas e, eu era um deles. Mas, decidi sair porque não condizia mais com os meus princípios e, hoje tenho muito mais qualidade de vida.
Ex-evangélico26/04/2011 22:38
Ex-evangélico26/04/2011 22:38
É exatamente como vc descreveu. Vc deve ter tido a experiência mesmo, pois não seria tão fiel a detalhes que só que vive sabe. Geralmente quem, no meio evangélico, critica o homossexualismo no fundo é um gay enrustido. Parabéns. (em tempo: devemos lutar contra o preconceito; jamais não contra o cristianismo ou qq que seja a religião!)
Caill26/04/2011 21:00
Caill26/04/2011 21:00
Recenseador dotadão Wins!!!!...Leve, gostoso de ler, tesão ao ler, fetiche por ler a continuação....ai... ai
LIFEstyle26/04/2011 20:59
LIFEstyle26/04/2011 20:59
Não acho que isso seja um lugar ficar defendendo ponto de vista, mais eu concordo com o pessoal que fala sobre um conto - pelo menos - politicamente correto. Seria horrendo imaginar um conto hetero narrando experiencia com uma adolescente, da mesma forma, me desculpem os machistas, acho tão errado quanto. Mal saber que o pessoal tem mandado contos e a site não tem publicado. Esse peter tem emplacado um conto atras do outro, ou melhor publicado.
Douglas RG26/04/2011 20:38
Douglas RG26/04/2011 20:38
concorco com vc coerco, to ateh hoje esperando para ler a continuação do conto do recenseador. o carinha que escreveu o conto disse que ja mandou a continuação a semanas, e até agora nada. Adorei aquele conto.imaginei cada detalhe.
Coerco26/04/2011 20:36
Coerco26/04/2011 20:36
É verdade...ao menos deveriam prezar por uma leitura de uma aventura entre maiores. Não pelo fato de ser politicamente correto, mais pelo fato de não ser verdade poderia ao menos ser mais conveniente. Falamos tanto em direitos, temos medo de homofobia...então sejamos, minimamente, defensores de direito minimos - ou ao menos - ambienta-los assim nas narrativas do site. Acho uma SACANAGEM publicarem esse tipo de conto e deixarem de lado vários contos que eu e conhecidos mandamos. Sequer tivemos um retorno da equipe do Mundo mais.
leandro26/04/2011 12:04
leandro26/04/2011 12:04
Contos eróticos que tentam disfarçar suas verdadeiras características com um português de memorando são sempre ridículos. Sempre ambientados com garotos de 16 anos ou menos, servem como válvula de escape para velhas gordas e suas taras pedófilas. Não que se cobre verdade desse tipo de literatura de segunda grandeza, mas ao menos que sejam entre maiores de idade. Ruim.
Cristão26/04/2011 12:01
Cristão26/04/2011 12:01
Um dos fatores que levam à não aceitação dos homossexuais por parte da sociedade é a desconstrução do sagrado que estes tentam fazer, elemento este que alguns antropólogos identificam como parte da natureza humana. Pela minha experiência creio que a maioria dos homossexuais tem uma grande sensibilidade para com o divino, por isso digo que não não os homossexuais que se opõem ao sagrado, mas alguns que, infelizmente, tem acesso à midia. Acho que ao invés de lutar contra o cristianismo, os homossexuais deveriam se apoiar no evangelho e encontrar um ponto comum para o diálogo e a tolerancia. A discriminação não é própria do cristão; aqueles que usam o argumento do "Adao e Ivo" geralmente não são cristãos praticantes, usam a bíblia como manobra para justificar seus preconceitos! Acho certos contos, obras de arte que usam o terço e imagens de santos como travestis, um desrespeito tão grande quanto à discriminação por condição sexual. Pense nisso, as igrejas estão cheias de homossexuais que convivem e vivem muito bem como cristãos. Não lutemos contra o cristianismo, lutemos junto com ele contra a discriminação.
Alencar26/04/2011 0:16
Alencar26/04/2011 0:16
Muito bom Peter. Eu acredito que seja verdade sim. A minha primeira transa foi com um Padre, Depois meus pais se converteram a ingrejaq evangélica e com o tempo meu pai se tornou pastor. E nessa época eu peguei vários meninos da Igreja, A única diferença é que EU era o FILHO do pastor. Me aproveitei muito disso, confesso! Heheheeh ADOREI.
Marcos25/04/2011 21:14
Marcos25/04/2011 21:14
Mais uma conto de uma passiva delirante. Tem mais "aleluia" do que foda de MACHO.
RONNAN25/04/2011 16:53
RONNAN25/04/2011 16:53
NÃO GOSTEI DO CONTO, ACHEI MUITA QUEBRAÇÃO DE LOUÇA ENTRE DUAS PROVÁVEIS BIBAS!!!
paulo25/04/2011 14:21
paulo25/04/2011 14:21
estes evangelicos nao gostao de ninguei sao tds filho do capeta odeio evangelicos, sao falso, egoista, conheço muitos evangelicos e td sao assim so gostao deles
Paulo25/04/2011 14:13
Paulo25/04/2011 14:13
Achei legal,tambem tive umcaso com um, filho d um apstor, epoca ele nao frequentava a igreja, mas com o pssar dos anos ele voltou pra igreja, a acaabau o qu era, bom, hj somos casados , e algumas vezes rolou mas ficava sempre um sentiomento de culpa por pare dele. hj nao somos mais amigos, a forma deresistirmos um ao outro é nos manter afastados. Karlos_31313@hotmail.com
Gregory25/04/2011 11:57
Gregory25/04/2011 11:57
é legal imaginaçao do caralho.....vc eh fda mais valleww.gostei..
Ipatinga MG25/04/2011 0:16
Ipatinga MG25/04/2011 0:16
delicia de conto, excelente, boa narrativa e excelente historia...
marcio25/04/2011 0:09
marcio25/04/2011 0:09
o conto é bom, mas tmb nao acredito q os fatos sejam reais, cara tu deveria escrever livros, novelas, ...
Eretus24/04/2011 23:16
Eretus24/04/2011 23:16
Escreve bem, boa narrativa. Portanto, não acreditei nos fatos!
Nonese24/04/2011 22:12
Nonese24/04/2011 22:12
Ótima idéia tratar esse assunto com lastro nas imposições da igreja. Sejamos felizes sempre, independente da religião...
lonelyboy24/04/2011 19:33
lonelyboy24/04/2011 19:33
Sinceramente eu não entendo como pode haver uma condenação para algo que foi criado da mesma forma que todas as outras coisas...
Beto24/04/2011 18:03
Beto24/04/2011 18:03
Muito interessante sua história, tbm passei muito por isso, por várias vezes trair minha esposa e desviava do caminho da igreja so pra curtir cara que adoravam ser fodidos. oq mais me chamou atenção foi o fato de Elias rejeitar o beijo depois da foda e chorar, pois, lembro que uma vez, prometi pra mim mesmo que nunca mais faria isso, nunca mais mais trairia minha mulher....................e............num belo dia........conheci um rapaz muito legal, inteligente e ficamos tc no bate papo da uol e depois continuamos a nos comunicar no celular..............e........num certo dia..........ficamos de nos conhecer pessoalmente...........nisso a conversa a cada dia se esquentava............ele mostrava a foto do cuzinho dele pela net.........e eu que naum sou nenhum santo......ficava de pau duro sempre............nunca esquecendo de que eu tinha prometido pra mim mesmo que nunca mais faria aquilo.........como achava que ja aguentava a pressão..........fui conhece-lo.............e...........depois de muita conversa............fomos pro seu quarto e deitamos na cama e ele sempre qurendo pegar no meu cacete e eu sempre desviando. então pensei: vou deixar ele pegar no meu pau porque vou resistir a tentação..........então ele começou a massagear meu pau e daqui a pouco abriu minha calça..........e meu cacete latejando de duro........fazendo o possível para não desconcentrar.............massagem vai, massagem vem.........quando me deparei...............ele tinha engolido meu cacete...........e eu sempre pesando: daqui não passa, dqui não passa, na hora certa vou dizer que não vai dar.................e...........tempos depois meu amigo...................ja estava com o pau todinho no cuzinho dele..........então lembrei da promessa que havia feito.........lembrei da igreja, lembrei de tudo...........so que eu ja estava com o pau engatado e naumresistir aquele cuzinho e safisfiz a vontade do meu cacete...........fodi ele por duas horas..........até acabra toda gala do pau........rsrsrs
Renato24/04/2011 17:53
Renato24/04/2011 17:53
Tenho 19 anos e já passei por isso . O que deixo bem claro é que o homossexualismo faz parte da natureza de todas as espécies. E que sejamos livre para amar e que o amor sempre vai ser a maior de todas as escolhas. Sempre ficarei com o amor e qe não devemos negar a nossa felicidade. Viva o amor no mundo.
anjo d epvh24/04/2011 2:56
anjo d epvh24/04/2011 2:56
olhe vc não foi o primeiro que aconteceu isso conheço muito caras que passou por essa situação mas conseguira sair numa boa e são feliz na vida
lico24/04/2011 1:13
lico24/04/2011 1:13
legal gostei,tambem ja tive um caso bem parecido,depois da tranza o irmao chorava de arrependimento,a culpa ficava em mim,isso a uns 15 anos atraz,hoje é ele que me procura e chora de prazer.é muito bom.
jeferson23/04/2011 22:07
jeferson23/04/2011 22:07
adoro conto assim mim deixa louco de tesao ai petter o vc aki em casa
gatinho23/04/2011 21:46
gatinho23/04/2011 21:46
peter vc esta de parabens seus contos sao otimos continue assim e nao ligue para comentarios idiotas como no outro conto, conto é conto e nao realidade
André - ES23/04/2011 15:18
André - ES23/04/2011 15:18
Gostei do conto meninos. Galera, fui evangélico da igreja Batista dos meus 13 aos 23 anos. E depois fui Adventista, dos 23 aos 35 anos. Me casei na igreja Adventista com uma moça que sabia da minha situação de luta contra a minha homossexualidade. Vivi grandes conflitos desde a minha adolescência. Sei o quanto é difícil a aceitação. Meu pai sempre foi evangélico e vivia lendo versículos condenatórios às práticas homossexuais. Toda a bíblia condena isto. Mas ninguém sabe compreender e entender que não escolhemos sermos ou nos tornarmos homossexuais. Simplesmente acontece. Aos meus 27 anos tive minha primeira experiência homossexual, e durou em 3 meses de "namoro". Quase pirei, pois entrava em conflito com minha religião. Aos 32 anos me casei com uma mulher, que, como disse antes, sabia das minhas lutas. Vivemos 10 anos de um casamento meio conturbado. Mas nunca consegui ser fiel, pois sempre me envolvia com outros homens. Até que ano passado resolvemos nos separar em julho/2010. Somos ótimos amigos eu e ela. Mas confesso, do fundo do coração, que preferia nunca ter passado por estas lutas. Preferia não ter tido os problemas que me levaram a sentir desejo por outro homem. Hoje em dia fazendo uma análise de toda minha vida, descobri que dois motivos me levaram a ingressar no mundo do homossexualismo: primeiro, fui abusado por uma mulher quando eu tinha cerca de 10 a 12 anos. E segundo, o meu pai era muito ausente em minha casa, vivia viajando, pois ele tinha negócios em Colatina, e também uma primeira família lá. Fui criado por minha mãe e cinco irmãs. E deseja ter um pai igual dois amigos meus de rua tinham. Este desejo de proteção pela figura paterna me fazia “desejar” ter um pai igual ao dos meus amigos Alexandre e Marcelo da minha infância. Então, na minha fase adulta, sempre que tenho um amigo hétero, gente boa, simpático, gentil, agradável e másculo, e este amigo me dá mais atenção do que o normal, a sensação de proteção que isto me trás, acaba virando amor e paixão. E sofro pra caramba com isto. E acabo tendo que me afastar deste amigo. Atualmente tenho um amigo assim, mas contei para ele que vivo esta luta e não mais luto contra, sigo meu destino e fico com outros caras. E disse para ele que, caso ele quisesse deixar de ser meu amigo por este motivo, que eu entenderia. Ele disse: não, jamais vou deixar de ser teu amigo por isto. Ele é casado, tem esposa e dois filhos. E falou: eu te aceito do jeito que você é, e você sabe que gosto de você como amigo e irmão. Mas, infelizmente eu gosto dele muito mais do que isto. Sinto vontade de abraçá-lo e beijá-lo. Mas me contenho, e tenho sofrido um bocado por conta disto. Mas vou sobrevivendo.
Hamalek23/04/2011 9:18
Hamalek23/04/2011 9:18
è verdade auditor...heheheh...o conto também não é toda essa maravilha naum, em matéria de putaria deixou bem a desejar.
Auditor23/04/2011 9:16
Auditor23/04/2011 9:16
Acho que tem autor se auto elogiando. Observe a sequencia de parágrafos médios entre os comentários, sempre salientando a "maravilha" do autor e cutucando os outros leitores que deixam comentários adversos...ai, ai... usando outro nick, uma mesma pessoa pode mesmo ficar chamando "sardinha" pra si.
Halles23/04/2011 1:26
Halles23/04/2011 1:26
Peter Parabéns você é um ótimo escritor, este conto é muito bom por vários motivos. Muito bom mesmo, fiquei excitado, curioso, espantado, tive até um momento de reflexão, quando no conto o Elias diz : Será que esses caras não pensam nisso quando escolhem essa vida?. Eu me lembrei de mim, antes de me aceitar. Mas eu pensei assim : Se eu vou para o Inferno por nascer assim, e irei pro inferno se acabar com minha vida ( é já pensei em me matar, Coisas de adolescente. ^^ ). Ai eu decide se é para ir para o inferno, pelo menos serei feliz na terra. E hoje eu nem vejo penso mais nessa idéia de ir para o inferno, até por que pensem comigo se homosexualismo fosse realmente uma doença ou coisa do capeta, com certeza não existiria gays se assumindo. Acho que escrevi um pouco mais do que era necessário. ^^ O Conto realmente foi maravilho, obrigado por compartilhar isso conosco Peter.
Lucio23/04/2011 1:18
Lucio23/04/2011 1:18
Almir de qual cidade voce é não sou evangelico, sou catolico mais sou igual a voce...
Caio23/04/2011 0:35
Caio23/04/2011 0:35
Estava tudo lindo! Até essa perola "Por favor, deixa, depois a gente se arrepende." Ou esse elias era uma criança ou um mongoloide.
mathews vasconcellos22/04/2011 22:27
mathews vasconcellos22/04/2011 22:27
ao gean jiulia resposta do seu comentario. claro que ele falou giria,por que ja estav com segundas intenções,na certeza de que os batimentos cardiacos aceleram e logo as ideias mais modernas... pense bem antes de escrever.
duderson 22/04/2011 21:05
duderson 22/04/2011 21:05
trabalhei muito tempo em padaria como chapeiro e um dia me deparei com um evangélico que pediu para servir uma pinga na xícara para que o irmão que passasse na rua não o visse bebendo,lógico que mesmo na frente do meu patrao eu disse que se ele quizesse beber pinga seria no copo e perguntei se o Deus dele era cego,nada que é compartilhado de forma a saciara a vontade de ambas as pessoas pode ser considerado pecado pois até animais praticam atos homo,Deus é u só HOMEM E MULHER,portano o que vale é gozar muito o que não se deve é deixar a religião interferir na sua vontade,pior pecado é passar vontade ou fazer como AQUELE IRMÃO que pediu pinga na xícara
almir22/04/2011 19:44
almir22/04/2011 19:44
seu conto é muito parecido com minha vida, sou evangélico e me sinto atraido por homens, sou casado e me masturbo pensando em rapaz da minha igreja, tento sair da igreja mais não consigo, pois tenho medo de me arrepender depois. abraçãooooooooo
Peter Cummer22/04/2011 19:41
Peter Cummer22/04/2011 19:41
Aproveito para deixar aqui o meu agradecimento a todos aqueles que vêm acompanhando meus contos! Muito obrigado mesmo, de coração. Obrigado pelos comentários e pelos elogios. As críticas, as bem construídas, certamente estão sendo ouvidas! Obrigado também aos críticos, pois vocês me fazem melhorar cada vez mais.
Peter Cummer22/04/2011 19:39
Peter Cummer22/04/2011 19:39
"Perguntei ao meu amigo se ele não queria tomar um banho, ficar mais à vontade, colocar uma bermuda, enfim, e ele aceitou a ideia do banho." Como assim o Elias não tomou banho!?!? Do ponto de vista da coesão, não há NENHUM erro com os pêlos do Elias estarem molhados. No conto está CLARO que o cara aceitou a ideia de tomar banho. Ô povo, antes de fazer comentário e crítica rasa, vamos treinar a leitura hein... Aos que se cansam com o tamanho do texto, melhor não ler mesmo! Cada um que se contente com as suas limitações!
LYPI DINOSO22/04/2011 16:48
LYPI DINOSO22/04/2011 16:48
Também sou autor de contos. ESCREVI o conto: O Recenseador Dotadão - ja mandei o conto de continuação e também não apareceu no site. E Assim como o Renzo não tive retorno. Ainda assim espero que meu conto seja postado em breve. Se o primeiro ja foi bom a continuação eu fiz ainda melhor, para todo se deliciarem....Vamos esperar pela equipe do Mundo Mais e torcer para ser postado logo. Neste eu dediquei todo a minha libido....quem sabe em breve....
Ex-evangélico!22/04/2011 14:00
Ex-evangélico!22/04/2011 14:00
Muito fantasioso! Mas bacana...É exatamente o que acontece...primeiro a intenção, depois o desejo desenfreado, e logo depois de gozar a culpa...causada pela lavagem cerebral que a igreja e seus dogmas fazem...
Renzo22/04/2011 10:18
Renzo22/04/2011 10:18
Nossa se for por causa do conto grande que essa galera está discutindo ai é por que não leram o meu "Um encontro na praia com um militar"...e enviei mais um que não sei se será aprovado que é enoooooooorme, mas sempre penso que deve haver uma avaliação...e pensar: será que vale a pena ler? Eu particularmente gosto de contos detalhados, desde que esses detalhes contribuam para atiçar e prender a atenção do autor...esses contos do tipo fomos lá, baixamos a calça e fizemos o negócio é ruim e banal demais. Principalmente no meu caso onde as histórias são verídicas, as vezes se torna difícil resumir privando vocês de detalhes que contribuam para a história. Peter está de parabéns, até por que trás a tona um assunto que ocorre com muitos envolvidos com religião, eu mesmo já passei por casos assim e não foi uma vez só. Gostei do conto.
Thiago MM22/04/2011 9:08
Thiago MM22/04/2011 9:08
Brochei! conto chato.
Gean Jiulian22/04/2011 1:53
Gean Jiulian22/04/2011 1:53
"Tudo bem, quer que eu pegue um travesseiro? – Não precisa, pô. O tapete mesmo resolve." Pô... evangélico fala na gíria, mano?? O pecado está na escrita... e não no ato sexual! Muito extenso o teu conto... por vezes... meu pau endureceu e amoleceu... várias vezes.. ao longo da leitura desse "livro". Abraço!
RAFAEL22/04/2011 0:31
RAFAEL22/04/2011 0:31
Cara, gostei muito do conto, não sei se é autobiográfico, mas de qualquer forma está muito legal. Eu já me senti como Elias e agora estou como vc. Parabéns
daniel21/04/2011 17:55
daniel21/04/2011 17:55
é cara gostei do conto...eu ja vivi uma experiencia paricidissima com essa tembém,é complicado quando envolve religião,sofro muito com isso tento me libertar mas Deus sabe tudo,ele não julga ninguém como o proprio homem faz, o conto é muito bom cara!!
Lollypop Kyrsh21/04/2011 17:49
Lollypop Kyrsh21/04/2011 17:49
Sinto neste conto a sinceridade de uma pessoa que viveu essas grande emoção em sua vida. Tive também relações sexuais com um vizinho evangelico ao qual a mãe dele não gostava muito que ele frequentasse minha casa ela era da Deus e Amor, eles não podia assistir tv e sempre vinha em minha casa ele e suas irmãs. Meu irmão estudava de manhã e eu a tarde ai ele ficava comigo e transavamos quase todos os dias era só mãe dele ir orar que nos ficavamos juntos.Parabénssss pelo seu conto!!!
matheus21/04/2011 16:23
matheus21/04/2011 16:23
gostei muito do conto.. muito bem escrito... parabens.. gostei tb do comentario do cara: SALGADO 2011. me identifiquei..pois tb sou espirita e namorei um cara evangélico.. complicado.... se quizer conversar SALGADO..MANDE MSN , vlw
téio21/04/2011 14:15
téio21/04/2011 14:15
MAS O BOFE NÃO TOMOU BANHO O TAL ELIAS?
salgado 201121/04/2011 10:04
salgado 201121/04/2011 10:04
Eu tambem ja tive um relacionamento com um pastor da Igreja Congregaçao do Brasil, esse relato do autor é verdadeiro pois passei quase a mesma situaçao, mas havia uma diferença eu sou espirita, entao que acabou praticamente com nossa relaçao foi o tal Divino Espirito Santo. pois o dito cujo revelou coisas que eu nao entendo até hoje,mas voces podem acreditar ou nao, certo tempo depois ele encontrou um namorado, mas so que era um dependente quimico, agora pq o Espirito Santo nao o avisou dessa fria que ele entrou. esse é uma verdadeira historia, nao é conto nao eu moro na zona leste Tatuape ele mora na zona oeste Vila Brasilandia.
lucas21/04/2011 7:46
lucas21/04/2011 7:46
GENTE, já pensaram o quanto os "HETEROS" religiosos ou casados sofrem? Porque é LÓGICO que de vez em quando ou alguma vez na vida eles devem ter uma vontadezinha de experimentar homem, ou sempre né, rsrs! Imgina quando eles passam nas bancas de revista e veem aquelas revistas de homem pelado e ficam loucos pra dar uma folheada, ou estão andando na rua e passa aqueles bofes descamisados e gostosos, daí eles ficam sem jeito, já repararam?
xD21/04/2011 2:26
xD21/04/2011 2:26
Só errou ao dizer que os pentelhos dele estavam molhados do banheiro, já que ele não tomou banho.
JOÃO ba21/04/2011 0:49
JOÃO ba21/04/2011 0:49
Cara, achoque você deve chamar a irmã CLEYCIANNE, a diva loura do Senhor, e ser Varão WANDESON... vamos orar muito e libertar você da homossexualidade passiva... todas crente ora.
heldo21/04/2011 0:11
heldo21/04/2011 0:11
Peter, gostei do seu conto. Ficção ou realidade, o conto foi bem trabalhado, me levando a imaginar quão satisfeito ficou o "irmão" com aquela piroca do Elias na boca e em seguida dentro cu. Fiquei com inveja, viu? Bjos!
cesar20/04/2011 23:42
cesar20/04/2011 23:42
peter alguma coisa,seu conto não poderia ser menor não.longo assim faz perder o tesão.
FF20/04/2011 23:23
FF20/04/2011 23:23
NEM VOU PERDER MEU TEMPO EM LER ...É UM LIVRO
JOKA20/04/2011 22:35
JOKA20/04/2011 22:35
NEMMMMMMM O VOU COMENTARRRRRR.OUTRA COISA , NADA A VER, GENTE, KARALHO ..SAIBAM EMPREGAR O -MAU- E O MAL- TENHAM PACIENCIA ISSO É BASICO..POR ISSO ALINGUA PORTUGUESA TAUM DESVALORIZADA.
ES20/04/2011 22:30
ES20/04/2011 22:30
Peter, adorei o conto!!! Super excitante. Essa "proibição" religiosa aliada ao tesão e o desejo de adolescente ficou incrível mesmo parabéns!!! Espero ansiosamente os próximos!
Interior_SP20/04/2011 22:15
Interior_SP20/04/2011 22:15
Peter, você realmente é um artista! Toda vez que leio seus contos mergulho na sua imaginação (ou não rs). Continue postando! Abração!
Diego20/04/2011 21:43
Diego20/04/2011 21:43
Isto q tanto me irrita nessas igrejas que pregam ser tão corretos, e ficam aprontando tanto as escondidas...vivem de pura imagem, odeio isso. Agora tenho certeza q Deus ama todos como eles são, independente da opção sexual de cada um. Na minha rua mesmo tem varios crentes q chamam de irmão pra ca e pra lá e falam mau ate um dos outros, o pecado maior é viver nesse mundo de enganação e não o amor entre duas pessoas, mesmo q sejam do mesmo sexo.
Julio (Belém)20/04/2011 21:27
Julio (Belém)20/04/2011 21:27
Peter, adoro teus contos sabes disso? além de seres lindo tua inteligencia é magnifica, excitante...espero ler sempre cada vez teus contos, que estão se superando cada vez mais..Beijos, TE ADOROOO, Saudades!
Marcos20/04/2011 20:44
Marcos20/04/2011 20:44
Esse professor é um safado, não perde uma, até com o filho do Pastor! hahaha Deixa, não viu nada ainda... =]
Uni Touro20/04/2011 20:09
Uni Touro20/04/2011 20:09
O enredo ficou pesado...ficou demasiado na história da religião, e putaria que é bom, mal sobrou alguns paragrafos...isso ta parecendo conto de ex evangélico frustrado e preocupado em atacar a "crença" dos caras... Prefiro um conto erótico realmente ERÓTICO.
Marcelo20/04/2011 19:29
Marcelo20/04/2011 19:29
Um conto tão envolvente com uma linguaguem tão culta fica muito mais excitante. Sexo com cultura...
Caio20/04/2011 19:07
Caio20/04/2011 19:07
Coo leito gostei do conto pelo menos o começo pois so li ate as linhas amarelas. Porem fico triste por vc expor esta situação sei que de deus ninguem esconde nada porem que exemplo vc vai dar as pessoas que querem servi a Deus? escanda los dentro da igreja? as pessoas so estao procurando motivo para criticar os cristãos. da mesma forma que tem isto acontece na igreja evnagelica acontece em todas as religioes. Portanto cuidado amado no que vc falar se vais pagar um preço por ter feito isto vais pagar mais ainda por expor isto a um soite onde milhars de pessoas vao ler e possivelemente como o Mundo mais tem muitos leitores pessoas que conhece este Joel ja sabe onde é dai fica estreito!! abraços a todos. ah iusto nao é critica ok so é o que eu acho.
Neno SP20/04/2011 18:55
Neno SP20/04/2011 18:55
Excelente seu conto , rapaz !!!
carlos 20/04/2011 18:28
carlos 20/04/2011 18:28
peterrrr adorei a parte: por favor deixa. Depois agente se arrepende. foi ótimo. Parabéns.
Mateus20/04/2011 18:16
Mateus20/04/2011 18:16
Muito bom kra,esse conto é dez.
Afonso20/04/2011 17:29
Afonso20/04/2011 17:29
Parabenizo pela ortografia.
marco antonio20/04/2011 17:25
marco antonio20/04/2011 17:25
Parabéns pelo conto, Peter! Isso é uma realidade que infelizmente faz parte da vida de muitas pessoas.As vezes penso que, com um puco de curiosidade e sentido de liberdade,essas pessoas possam buscar o verdadeiro entendimento das coisas,de maneira a poder aproveitar um pouco mais a LIBERDADE,e ter,principalmente, RESPONSABILIDADE, uma vez que acabam por envolver pessoas que nada têem a ver com isso, como é o caso dos cônugues. De qualquer forma, EXCITANTE E INTERESSANTE,o teu conto!
Faça seu comentário!
Nome

Faça seu comentário: