quero assinar Entrar na área VIP

O Virgem e o Pedreiro

por Frank Foke

Terça-feira, 24 de Março de 2009

Minha casa está em reformas. Eu, que não sou bobo nem nada, estou de olho no pedreiro. O Valdinei é forte, bonitão, de cabelo preto curtinho e uns olhos cinzentos que tiram o fôlego. Fica trabalhando de shorts e sem cueca, com a vara balançando solta. Sempre que ele vai subir numa escada, eu fico lá segurando e dou uma olhada disfarçada.

Sempre que dá, eu corro pro banheiro e bato uma punhetinha, mas tem que ser rápido pro meu pai não pensar que estou fugindo da obra. Eu fico lá ajudando e curtindo. Nunca dei meu cuzinho, e estou louco para experimentar. Já paguei boquete para uns carinhas da rua e bati punheta para um professor, mas já tenho quase 20 anos, e ainda não fui decabaçado.

Mas essa semana aconteceu uma coisa diferente. Meus pais foram jantar na casa de uns amigos, e começou a chover muito, e eles resolveram ficar por lá mesmo. O Valdinei, que estava de moto, perguntou se tinha problema de dormir lá. Claro que eu disse que não tinha problema nenhum, que meus pais não iam ligar, que o mundo estava desabando lá fora e que nem era seguro ficar andando de moto com o temporal.

Ele sempre tomava banho lá mesmo antes de ir embora. Tinha roupa e tudo dentro da mochila. Fiquei feito louco esperando a hora de parar o trabalho e ficar sozinho com ele na sala, vendo TV. Esperei, e quando ele tomou banho, saiu do banheiro enrolado na toalha. Fiz uns sanduíches de queijo quente, e levei para a sala. Ele estava com fome, e perguntou se eu me importava de ele ficar sem camisa, porque estava com calor.

– Por mim, pode ficar até sem a toalha. – brinquei.

Mas ele sentou de toalha mesmo e fingiu que não ouviu. Perguntei se ele queria assistir um filme no DVD, e mostrei os que eu tinha, com alguns pornôs que estavam lá no meio, de propósito. Não me enganei, ele foi direto para um que tinha uma loira na capa, com a cara toda melada de porra e um negão de pau grande do lado. Ele nem perguntou nada e colocou no aparelho.

Começou a história com um encanador negão que conserta a pia da loira. Aí ela nota que está sem grana, e ele diz que aceita outras formas de pagamento. Quando ela começou o boquete, o Valdinei tirou a toalha e começou a massagear a pica, com uma enorme cabeça rosada e cheia de veias em volta, como uma cobra gigantesca pronta para dar o bote. Ele estava com cheiro de sabonete, e eu sentia como se estivesse a um centímetro dele, olhando para o movimento que ele fazia. Ele me perguntou:

– Legal, né? Você curte esses filmes? São os meus preferidos!

– Ah, você gosta de loiras...

– Na verdade, estou curtindo o negão.

Meu coração bateu na garganta quando ele falou. Eu estava sem fôlego.

– Você também curte branquelinhos, tipo eu?

Ele me olhou com cara de safado, e nem esperei ele responder. Caí de boca no cacete duro dele, engolindo até quase engasgar. Senti o gosto quente dele, e sua mão empurrando minha cabeça cada vez mais fundo até eu ficar sem ar. Eu chupava como uma criança chupa um sorvete, com fome e com sede, saboreando cada centímetro. Quando ele menos esperava, comecei a sugar suas bolas, e eu senti ele se arrepiando, e gemendo mais forte.

Minhas mãos estavam passeando por seu corpo, explorando seus músculos firmes e definidos, sua pele lisa e suave, seus pelos perfumados pelo banho. Ele gemia, olhando para a tela da TV e para mim, fazendo eu engolir cada vez um pedaço maior. Eu lambia e beijava, e ficava alguns segundos batendo punheta. Ele segurou minha cabeça e foi me fazendo subir, lambendo seu umbigo, seus mamilos e seu pescoço. Então fiquei cara a cara com ele. Seu queixo quadrado, com a barba por fazer me dando mais tesão do que qualquer outra coisa.

Ele começou a me beijar com força, sugando minha língua e meus lábios, esfregando a barba nas minhas bochechas e no meu pescoço, me deixando tão arrepiado que eu chegava a tremer. Sua língua ia e voltava, e estávamos nos movendo rápido, como se nada mais no mundo importasse. Eu segurava seu cacete quente, macio e duro, e ele enfiava os dedos no meu cuzinho, para amaciar o serviço. Ia com cuidado, rodando o dedo polegar e o médio, e começou descer pelo meu peito, até chegar na minha pica.

O Valdinei engoliu o meu mastro com vontade. E continuou com dedos atrás. Quando viu que eu não ia mais aguentar, começou a bater punheta pra mim, ainda com o fio terra funcionando. Eu gozei feito um louco, esporrando todo o sofá, ainda com o dedo dele no meu rabinho. Então ele se levantou e me pegou firme por trás, enfiando a vara com tudo, comigo ainda de pé. Eu senti uma dor terrível, muito desconfortável, como se estivesse me rasgando.

Pensei que nunca mais fosse conseguir sentar, mas ele começou a dar estocadas e mais estocadas, e a empurrar minhas costas me deixando de quatro. Fiz o sofá de apoio e deixei ele me puxar para a frente e para trás.Depois de um tempo, ele arrancou o pau com tudo, e se sentou, me puxando para que eu o cavalgasse. Ele gemia de prazer e eu de dor misturada a prazer, mas agora a sensação era tão boa que eu não queria parar nunca mais de transar.

Se eu soubesse que era tão bom, teria dado o cuzinho mais cedo. Ele começou a morder minha orelha, e a cochichar para mim, dizendo que queria gozar na minha boca. Então eu desmontei de sua vara gostosa, e voltei a chupar seu caralho grosso. Logo ele começou a gemer mais alto, e eu engoli sua vara mais o mais fundo possível. Senti sua porra quente pressionar minha garganta, com seu esguicho forte e volumoso, que eu engoli como um néctar. Ele continuou esporrando em bicas, e encheu toda a minha boca. Eu senti seu gosto meio ácido, meio salgado, pegajoso e apertando a língua, como banana verde.

Engoli tudo, e isso o deixou muito feliz. Então ele se abaixou e nos beijamos, ele sugando de mim o que ainda restava de porra em meus lábios. Depois disso, tomamos um banho juntos e ficamos fodendo a noite toda, até meu rabo ficar assado. Mas valeu a pena perder a virgindade com ele, foi inesquecível. Pena que depois que a obra terminou, ele se mudou de cidade, para arranjar um trabalho melhor, e nunca mais o vi. Pelo menos aproveitei meu pedreirão enquanto pude.

Comentários (80)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 24-05-2013 às 10:57 pablo
    A primeira ves doi pra caramba, eu me lembro como foi a primeira vez de dar dar CU.
  • em 07-03-2012 às 13:10 Arthur
    Kara to doido para tira o cabaço do meu cu !quem é so me add no msn rianlopes2011@hotmail.com
  • em 25-02-2012 às 03:09 gabriel
    nossa estou precisando de um com pau bem grande para fuder meu cuzinho virgem add ai gabrielgostozin2011@hotmail.com
  • em 04-10-2011 às 15:56 nnnn
    nossa vc gosto mesmo da da masa do negão ficou até molhe...
  • em 27-05-2011 às 11:31 Ruivinho DF
    Não precisa ser inteligente para perceber a ficção que envolve esta história. Mas o site é claro quando faz inferência a histórias reais ou fictícias. Eu prefiro as reais. Sou ativo, bundólatra e gosto de macho, mas percebo que os passivos fantasiam muito. Fui passivo na minha primeira transa homo e sei bem o quanto é incômodo o vai e vêm de um pênis. Enfim, vai mentir pra lá!!
  • em 06-05-2011 às 23:32 bh atvpass
    moro em nova lima proximo de bh sou versatil meu msn é gat.obh@hotmail.com
  • em 18-04-2011 às 17:48 Duvida
    Pessoal, sou só eu que prefere dar ANTES de ter gozado!? O que vejo de contos por aí de ativos que fazem o passivo gozar e depois metem... eu não curto, sou diferente? PS: sei que muito (tudo?) é inventado, mas sem dúvida essa parte tá no imaginário coletivo pq é recorrente.... Alguém mais acha estranho?
  • em 20-01-2011 às 19:36 LEonardo
    EU NAO GOSTEI DESSE CONTO NAO,ACHEI MAIOR MENTIRA,ESTA MAL CONTADO,AFF.Q NOJEIRA DEPOIS DE SAIR DE CIMA DO PREDEIRO IR CHUPAR O PAU DELE,ACHO QUE FALTOU ALGO + NESSE CONTO,NOTA 0 PRA ESSE CONTO SEU.AONDE QUE UM VIRGEN,Q NUNCA TRANSOU NA VIDA VAI ACEITAR DE PRIMEIRA UMA ESTOCADA NO RABO.AFF.HISTORIA SEM SENTIDO ESSA SUA.É ISSO. SOU VIRGEN TAMBEM,TENHO 20 ANOS E QUEM ME VER NAO PARECE QUE TENHO ESSA IDADE .PARECO QUE TENHO 17 POR AI. SOU O LEonardo DE FATIMA DO SUL.MS. ME ADD AWE SE TIVER ALGUEM DO Mato grosso do sul,perto de minha city. AI É + LEGAL,PODEReMOS SER AMIGOS. MEU MSN E lu.fds@hotmail.com
  • em 17-01-2011 às 15:53 Erick
    gostei muito desse conto
  • em 15-01-2011 às 18:43 fernando
    eu achei esse corto e bem erotico
  • Mostrar mais comentários...