Assine o MundoMais

Uma Paixão Platônica

Gabriel conta a história real de uma paixão que surge na universidade por um rapaz que supostamente é hétero. Apesar de o rapaz demonstrar sutilmente algum interesse, fica no ar a dúvida e Gabriel permanece com um sentimento de paixão platônica.

por Gabriel

Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

O que vou relatar é um fato verídico. Não é um conto com teor sexual, mas talvez possa ajudar quem passou ou está passando algo semelhante.

Sou doutorando em Química e moro em Alagoas. Em 2009 eu tinha 25 anos de idade e tinha acabado de ser aprovado na seleção do curso de mestrado de uma universidade do Nordeste. Porém, continuava ainda desenvolvendo atividades na universidade onde fiz graduação.

Depois de uns dias, vi na minha sala um aluno que há uns meses atrás, eu já tinha visto se preparando para fazer seleção de bolsa de pesquisa. Ele é moreno, 20 anos, deve ter entre 1,75m e 1,80m, e uns 80kg. Ele era interessante, mas nada que me chamasse atenção. Era apenas mais um aluno que eu iria ajudar, como fiz com tantos outros.

Depois de uns dias, ele começou a trabalhar na mesma sala que eu e a executar a função que eu antes havia desempenhado. Tudo era normal. Porém, depois de uns meses, eu comecei a notar que estava sentindo algo diferente por ele. No entanto, resolvi não contar nada, pois tinha receio de sua atitude. Éramos muito amigos e não queria perder a sua amizade.

Aquilo foi ficando mais intenso, até o dia em que estávamos na universidade e ele apareceu usando um calção um pouco curto. Ele estava lindo, eu suei quando o vi, adorei.

Um dia não aguentei e mandei um e-mail para ele com algo mais ou menos do tipo:

“Eu não sei como te dizer isto, mas acho que estou gostando de você. Pois é, meu amigo, estou apaixonado por você!”

Fiz isto morrendo de medo do que ele poderia fazer.

No dia seguinte, na faculdade, ele veio com outro calção, um pouco mais comprido, porém estava belíssimo. Ou talvez fossem meus olhos que sempre o achavam lindo de qualquer jeito. Ele estava um pouco sem jeito e eu idem, porém, notei que ele estava mais próximo, se sentindo mais afim de mim, depois do que fiz.

Outros e-mails foram enviados, com frases amorosas, picantes, etc. Um dia, eu e uns amigos saímos e ele ligou pra mim perguntando onde estávamos. Eu dei o endereço e ele foi até lá. Estávamos sentados, ele chegou, puxou uma cadeira, sentou-se ao meu lado e ficou roçando sua perna na minha.

Uma outra vez, estávamos no computador com as cadeiras próximas uma da outra e nossos braços e pernas roçavam um no outro. Algumas vezes ele colocava a mão no pau dele e ficava mexendo. Eu ficava doido. Porém, como estávamos no trabalho, eu não podia fazer nada, só olhava...

Outro dia teve uma festa de formatura de nossa amiga e fomos juntos. No fim da festa, eu e ele fomos dormir em um hotel, pois ele morava em outra cidade e não tinha transporte àquela hora, já era tarde da noite. Ficamos no mesmo quarto, com duas camas de solteiro. Eu aproveitei a situação e sentei na mesma cama que ele. Começamos a conversar e ele olhando meu notebook, nas pernas dele, estava muito bom. No entanto, eu não me achei no direito de iniciar algo profundo em relação a sexo, pois queria que ele demonstrasse interesse também. Ele não demonstrou estar com vontade, mas gostava de estarmos juntos ali, daquela forma.

Um acontecimento me fez notar que ele realmente estava afim de mim. No entanto, o medo de uma relação gay no nordeste – e ainda mais na cidade dele – fez com que ele desistisse de tentar algo comigo. Aconteceu um dia em que estávamos conversando e falei de tudo que eu já tinha dito pra ele por e-mail; ele disse que não sabia como reagir, porque tudo era novo pra ele. Além do mais, ele nunca tinha namorado ninguém, era virgem!

No dia do meu aniversário, à noite, iríamos sair, mas ele não quis ir. Estava inquieto e eu perguntei por que ele estava daquele jeito, se eu tinha feito algo pra ele. Ele disse: “o problema não é você, sou eu comigo mesmo!” Pensei neste momento que esta frase podia ser algo em relação à sua sexualidade.

Por fim, saímos e ele realmente não foi. Eu reclamei pra ele por uma mensagem de texto via celular, mas ele não respondeu. No dia seguinte, um sábado, eu entrei no msn, às 8h da manhã e ele logo em seguida entrou. Suas frases foram:

“Bom dia, peço perdão do fundo de meu coração se magoei você ontem, pois não tive intenção! Não quero que você se magoe”...

Tivemos uns 40 minutos de conversa por msn e ele sempre pedindo perdão e desculpas...Um dia, porém, ele apareceu com uma namorada do nada. Fiquei sem entender, mas sei que ele pode estar apenas querendo ser hétero. Quando a gente se encontra, ele fica todo sem jeito, desvia o olhar e mal consegue falar comigo.

Na verdade estamos há um ano sem nos falar... Achei que tomar esta atitude seria mais sensato depois de tantos acontecimentos. Se ele sentir algo a amais por mim, um dia ele vai voltar, eu espero. A gente conhece e sente quando alguém nos ama, apesar de acontecimentos como estes. Eu sei que ele sente algo por mim. Não sei se ele é gay ou bi, porém sei que eu mexi com os sentimentos dele de uma forma que ninguém havia mexido antes... Provavelmente eu fiz seus desejos mais profundos e escondidos surgirem como um vulcão adormecido... No entanto, eu conheço muito bem a região em que moramos, onde o preconceito é muito grande. Às vezes eu o entendo...

Não estou sozinho, esperando pelas decisões dele. Assim como ele, eu estou vivendo minha vida. Porém, como estes sentimentos estão ainda fortes em mim, creio que seja algo verdadeiro o que senti por ele. Ele sabe tudo de mim e o mais importante, sabe o que eu sinto por ele... Quem sabe um dia ele se permita sentir e viver o que eu gostaria de viver com ele, com muito amor, carinho e respeito. Eu sei que ainda o amo, mas se ele quiser algo, vai precisar ter paciência e me conquistar. Deverá mostrar pra mim que valerá a pena segui-lo.

Independente de suas escolhas, meu moreno, desejo que você seja muito feliz, não sei se fiz as coisas certas, se magoei você com meus e-mails, com minhas atitudes, mas eu vou atrás do que eu quero. Talvez tenha assustado você, mas fiz o que achava correto no momento. Amo você muito e sei que estou aí, guardadinho em você também!

Comentários (44)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 23-05-2014 às 09:09 dxa keto
    Caramba isso ja aconteceu comigo. .. Há alguns anos... e sofri mt..aff
  • em 07-12-2012 às 17:31 indeciso
    que bonito cara!! também estou passando por algo parecido com isso, é bem difícil mesmo a gente se posicionar nesse sentido, ainda mais se estamos realmente indecisos quanto nossa sexualidade, já fiquei a sós com ele em determinada situação mas não tive coragem de tentar algo por medo da reação dele contra mim pois ele é muito brincalhão e poderia ter uma reação não muito agradável contra minha investida, mas fico sempre na espera de poder realizar um dia, ainda o vejo com muita frequencia.
  • em 20-09-2012 às 19:14 Rafael
    Também passei por isso... A um ano não o vejo... Mais amo o muito... Basta ver uma foto dele, o todos os momentos juntos... veem na lembrança, espero que um dia ele aceite viver esse amor, durante esse tempo sem nos vermos ele ja passou por dois namoros, e disse nao se sentir atraido pelas meninas... Mais eu espero.. enquanto isso vou vivendo a minha vida.. Roger to espero o tempo que for...
  • em 21-04-2012 às 10:10 Eu
    É ISSO AÍ FRED!!!! EU TÔ IGUALZINHO A VC. Quem sabe um dia alguém chega na gente. Eu não tô afim de tomar uma atitude tem que partir da pessoa.
  • em 28-01-2012 às 19:28 ONIX
    COMO MUITOS AQUI PASSO PELA MESMA COISA,A 2 ANOS EU TMB TENHO ESSAS DUVIDAS EM RELAÇÃO AO MEU VIZINHO MUITOS OLHARES ,TENHO MUITAS DUVIDAS E RELAÇÃO DO QUE ELE PENSA OU DO QUE ELE QUER,MAIS AO MESMO TEMPO E DIFICIL SE APROXIMA POR SERMOS VIZINHOS PROXIMOS ELE MORA EM FRENTE A MINHA CASA ,E DIFICIL TODA VEZ Q SAIO NO PORTÃO SEMPRE ESBARRO COM ELE E FICA AQUELE CLIMA ESQUISITO NUNCA TROCAMOS UMA PALAVRA UM OI ,SÓ SEI O NOME DELE PQ ESCUTO QUANTO OS AMIGOS DELE OS CHAMAM E DIFICIL MAIS FAZER O QUE.PARABENS PELO O CONTO.
  • em 02-11-2011 às 17:14 Fred
    Pena que comigo não acontece assim... Gosto de um "amigo", a gente andava de skate junto, no começo achava que ele era gay tbm, por isso fui me envolvendo. Mas com o passar do tempo ele arranjou uma namorada e foi morar junto dela. Minhas esperanças estavam perdidas , ele não era gay. Gosto muito dele a ponto de mal conseguir conversar direito, fico sem jeito na presença dele. A pior parte foi quando ele foi trabalhar no mesmo emprego que eu, via ele todo dia e meu amor por ele so fez aumentar. E pra minha desgraça ainda maior, ele começou a namorar novamente com uma menina que trabalhava junto com a gente. A menina não era bonita (pra ele), e vez ou outra ela me dava mole, só não pegay por não ser chegado na coisa. Nunca demonstrei interesse a ele, nada que ele desconfiasse. Hj vejo ele muito pouco, ele continua andando de skate, eu tbm ando, mas bem pouco. Não consigo me consentrar quando ele ta perto, prefiro não andar do que ficar lá só olhando ele andar. Acho que ele nunca irá saber o que eu sinto por ele, afinal não sou assumido e nem pretendo assumir por agora. Só me assumiria se ele viesse e me pedisse em namoro, como isso nunca vai acontecer, vou continuar minha vidinha sem graça e amando ele platonicamente...
  • em 28-10-2011 às 01:02 Linho
    Muito profundo e ao memso tempo corajoso da parte dos dois.Eu tambem tenho uma relação assim só que eu tinha 30 e o garoto 19, hoje tenho 34 e ele 23. Somo loucos um pelo outro, mas o maximo que rolou entre nós foi tomarmso banho juntos numa aadmia dpeois de um treino. Mas ele não quer me perder e nem eu a ele, embora tenhamos namoradas.
  • em 22-10-2011 às 13:55 Sandrey
    Cara e muito lindo seu conto eu tbm já passei por a mesma situação mais eu nuncar falei nada pq como já disse o nosso amigo um gozo dura apenas uns minutos e uma amizade dura uma vida inteira meu msn e sandrey2007@hotmail.com quem for do Maranhão e quiser conhecer uma pessa legal de 18 anos e virgem me adiçionem
  • em 26-07-2011 às 22:11 edu
    hum, eu sei bem como e, me apaixonei por uma pessoa completamente rude, mimado e metido, depois de ujm tempo fez a mesma coisa que o seu fez comessou a me dar esperançe, e depois figiu que não a conteseu nada, então eu lhe digo. isso passa pode apostar, seu ainda o amo, mas sei que vou ficar melhor sem ele, mas boa sorte. amei sua historia
  • em 07-05-2011 às 15:53 anônimo
    Uma das histórias mais bonitas que já vi...Digo isso porque estou passando por algo parecido em minha vida,mas tenho medo de não ser correspondido e perder a amizade.Mas admiro o que fez.A vida nos prega peças como essa,mas ela continua.Temos que entender que o mundo ainda é extremamente preconceituoso,mas amizades devem ser preservadas,independentemente de intenções sexuais.Toda a sorte do mundo pra vcs dois.Até ... : )
  • Mostrar mais comentários...