Assine o MundoMais

Eu sou Michael. E sou gay.

Meio de rede do Vôlei Futuro lamentou as manifestações homofóbicas da torcida adversária e disse esperar mudanças.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 05 de Abril de 2011

Michael (centro):Todos sabem quem eu sou.Michael (centro):Todos sabem quem eu sou.

Diante da polêmica do confronto entre Vôlei Futuro e Cruzeiro, em que o clube paulista reclamou de problemas de segurança, superlotação e comportamento preconceituoso da torcida local, Michael, alvo das ofensas, resolveu se posicionar. O meio de rede da equipe de Araçatuba conversou abertamente com o globoesporte.com sobre sua orientação sexual, lamentou as manifestações homofóbicas da torcida adversária e disse esperar mudanças.

O que aconteceu exatamente em Contagem? Já tinha passado por uma situação semelhante antes?

No jogo em Contagem teve uma manifestação da torcida gritando “bicha”, “gay”, todas essas coisas. Já tinha acontecido casos isolados de algumas pessoas gritarem pelo clima do jogo. Mas nem escuto, deixo passar porque é ignorância. Mas foi um coro, senhoras, crianças e mulheres gritando, já num clima preconceituoso mesmo. Hoje resolvi falar para que isso não aconteça mais, não só comigo, caso futuramente eu vá lá jogar de novo, se tivermos o terceiro jogo (pelas semifinais da Superliga). Igual lá, nunca aconteceu. Até por isso que resolvi falar, fazer uma manifestação.

Você acredita que esse episódio atrapalhou o seu rendimento em quadra? Te desconcentrou?

Desconcentrar não me desconcentrou, mas a situação me deixou constrangido. Pensei sobre o que estava acontecendo. Eu nem olhava para a torcida. Quem me vê jogando sabe que eu nem olho. Foi uma manifestação por causa do meu jeito. Mesmo depois de me xingarem, não bati boca com ninguém, fui direto para o vestiário, poderia ter retribuído, mas não fiz.

A comissão técnica e os outros jogadores falaram com você sobre isso após o jogo? Ou você externou isso?

No vestiário falei que estava chateado. Os dirigentes vieram falar comigo também. Estavam escandalizados. Todo mundo ficou preocupado com o que eu estava sentindo. Lógico que não estava feliz.

Você tem algum problema em falar sobre a sua orientação sexual?

Sou gay, mas isso não precisa ser comentado. Todo mundo aqui sabe. Lógico que nunca cheguei a assumir. Eu sou o Michael. Todo mundo sabe quem eu sou. Eles me respeitam totalmente no time. Não só aqui, mas nos 10 anos que joguei no São Bernardo. Todos os times me trataram bem.

Podemos publicar isso? Que você é mesmo gay?

Sim. Nunca cheguei e falei “sou gay” porque não tem necessidade. Todo mundo sabe. Não tenho necessidade de sair divulgando.

Você tem medo que, de alguma forma, suas declarações tenham efeito contrário e aumentem mais ainda o clima hostil para a próxima partida e futuros jogos em Minas?

Se tiver um efeito reverso, pelo menos estou fazendo algo para mudar. Pelo menos não me calei diante dessa situação. Não gostei do que houve comigo e não gostaria que acontecesse com ninguém. Muita gente ficou sensibilizada e veio falar comigo.

O Vôlei Futuro está tomando providências jurídicas?

Não sei como vai ser feito, nem perguntei direito. Mas o clube vai me informar quando estiver tudo resolvido.

Sobre as reclamações do clube sobre segurança, superlotação, segurança bêbado: você viu isso?

Eu fui direto para o vestiário e não prestei muita atenção, mas realmente parecia que tinha uma superlotação.

E como está sua preparação para o jogo de sábado? Está conseguindo se concentrar ou ficou abalado?

Estou bem. Estamos treinando direto com o time forte. Muita gente que acompanha o vôlei está dando o maior apoio. Realmente fiquei assustado com a situação. Uma coisa é torcida, outra é uma aglomeração te xingando, apontando o dedo. Abalado não estou. Como atleta tenho que enfrentar, lidar com isso.

Vôlei Futuro e Cruzeiro se enfrentam às 10h deste sábado no segundo confronto da semifinal da Superliga Masculina de Vôlei, com transmissão ao vivo da Rede Globo. Como venceu o primeiro duelo por 3 sets a 2, a equipe mineira precisa de apenas mais uma vitória para se classificar para a decisão.

Fonte: Globo Esporte

Comentários (45)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 12-04-2011 às 13:16 fabiano
    lamentável que um Estado deste tamanho possa ter um comportamento tão provinciano e doentio. Imagino como as "senhoras e mocinhas"da torcida se sentiriam se fossem seus filhos ou irmãos ou namorados, porque infelizmente gay e puta so tem na casa do vizinho. Mas o rapaz foi bem e se saiu melhor do que seria esperado: não fez barraco e nem revidou. Parabéns pela sua atitude. E o Clube? vai apoia-lo ou vai deixar passar? e o talento? vai se sobressair ou vai ser apagado sem dar-lhe chances de crecimento, nas seleções futuras? Parabéns, meu caro Michael...voce é um dos milhares de atletas que se permitem ser HOMEM, do jeito que sinta vontade de se-lo...parabéns...gostaria de ter um filho como voce.
  • em 08-04-2011 às 22:02 Leandro - Barra Funda
    Michael, vc é muito talento e isso incomoda alguns que não tem, porém BRILHE e faz o melhor de vc. Ajuda a deixar o nosso Brasil no topo mundial. MUITO SUCESSO E LUZ A VC !!! PARABÉNS E MUITA FORÇA.....Abçs
  • em 07-04-2011 às 19:36 fernando
    ifelismente essa coisa mal carater aconteceu no meu ESTADO qem pena desde ja eu pesso desculpa a vc MICHAEL peloocorrido ........................
  • em 07-04-2011 às 14:37 MARCOS
    ISSO SÓ NOSA FAZ PENSAR, COMO AINDA EXISTEM PESSOAS, CIDADES E REGIÕES ATRASADAS E PRECONCITUOSAS EM NOSSO BRASIL
  • em 07-04-2011 às 10:43 EROS
    FORÇA MICHAEL!! TORÇO POR VC!!
  • em 07-04-2011 às 10:39 EROS
    É MUITO TRISTE E RUIM SE SENTIR RIDICULARIZADO E OFENDIDO POR SER GAY MEU S DEUS ATE QUANDO QUANTO PRECONCEITO E IGNORANCIA ONDE PESSOAS SAO HUMILHADAS E OFENDIDAS POR SER "DIFERENTE" DA MAIORIA. CHEGA!!!
  • em 07-04-2011 às 01:04 lucas
    Galera, o termo "ORIENTAÇÃO SEXUAL" tambem já é considerado ultrapassado, porque ninguém é orientado a ser homossexual. O correto é "CONDIÇÃO SEXUAL".
  • em 06-04-2011 às 23:10 brenno
    michel, não se abale, faça sua parte que é jogar bem, e repeitar os outros... o resto fica nas mãos de Deus, pois aqui se faz aqui se paga... e o mundo dá voltas e toda ação tem sua reação... boa sorte querido... bom campeonato!!!
  • em 06-04-2011 às 22:24 paulo
    sabe porque estas coisas ainda acontecem, por causa da nossa falta de uniao, se nós gays fossemos unidos nada disso aconteceria porque nao permitiríamos.ja imaginou alguém ir até seu trabalho e começar a gritar que vc é gay??foi o que aconteceu com este atleta que estava exercendo seu trabalho com cidadania e foi tratado como foi.isto pode acontecer??????
  • em 06-04-2011 às 16:18 Douglas
    Isso é muito triste, eu também jogo vôlei e a torcida adversária sempre grita algo a respeito de um atleta, ou do time por completo, não tem como se abalar com isso, principalmente quando a torcida adversária está cheia. Minha irmã mesmo chegou a ver essa reportagem na televisão, e como ela também é ignorante como os demais, falou que a torcida estava certa, mesmo sabendo de mim. E o que eu faço em uma situação dessa? Apenas lamento. Ela ainda terá filhos.
  • Mostrar mais comentários...