quero assinar Entrar na área VIP

Sou gay, e quero ser pai

Pesquisa mostra porque casais homossexuais podem tornar-se os melhores pais.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

Casamento gay e adoção por pais homossexuais são questões levantadas com frequência, ultimamente. Neste mês, por exemplo, o Papa Bento XVI disse que o casamento gay é uma “ameaça ao futuro da humanidade”, citando a necessidade do crescimento de crianças com casais heterossexuais.

Os pais gays “tendem a ser mais motivados, mais comprometidos do que os heterossexuais, na média, porque escolhem serem pais”, afirma a psicóloga Abbie Goldberg, que pesquisa esse tipo de caso. De acordo com ela, gays e lésbicas raramente viram pais por acidente, em comparação com quase 50% de gravidez acidental entre os heterossexuais. “Isso dá mais comprometimento e envolvimento, em geral”.

E enquanto pesquisas indicam que os filhos de pais gays apresentam diferença quase nula de aprendizagem, saúde, funcionamento social e outras medidas, essas crianças podem ter a vantagem de possuir uma mente mais aberta, tolerante e modelos de comportamento para relações igualitárias, de acordo com outros estudos. Não só isso, mas de acordo com pesquisas, pais homossexuais tendem também a oferecer casa para crianças difíceis do sistema de adoção.

Deixando de lado a oposição católica, pesquisas sugerem que pais gays são uma fonte poderosa para crianças que precisam ser adotadas. De acordo com um estudo de 2007, 65 mil crianças americanas estavam vivendo com pais adotivos homossexuais, entre 2000 e 2002, com outras 14 mil em casas de adoção lideradas por gays.
Comentários (88)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 14-02-2012 às 12:29 lian
    Mais tarde se apaixonarão pelo filho e farão sexo juntos
  • em 04-02-2012 às 02:37 Paulo
    Pena que não tenham feito pesquisas em sentido inverso. Sou homossexual e, no passado, tive um filho - concebido biologicamente com uma mulher que conhecia minha condição. Depois que nasceu o menino a mãe começou a me atacar judicialmente pelo único e só fato de eu ser gay. Fiz todas as provas possíveis, desde que tinha reputação ilibada (o que ela não tinha) a demonstrar que ela conhecia minha condição sexual e, mesmo assim, aceitou ser mãe de um filho meu. Não bastasse eu ser condenado a pagar uma pensão absurda, meu direito de visita foi condicionado à supervisão de alguém pois, conforme a sentença, "a homossexualidade está intrinsecamente ligada à pedofilia" e, em razão disso, sou um "pedófilo em potencial" que pode colocar em risco a integridade de meu filho. Na prática, só posso visitá-lo se estiver acompanhado de minha mãe ou de meu pai. É claro que já entrei com recurso quanto a esta decisão e provavelmente ganharei, mas enquanto isto ele vai crescendo e eu não posso vê-lo, seja por minha indisposição para com a família dela (que me considera um "pervertido"), seja pela falta de paciência de meus pais, que já não aguentam mais o clima e têm mais o que fazer da vida além de, desnecessariamente - mas por imposição judicial - acompanhar um adulto na visita ao filho. Nesse espaço de tempo a mãe dele ficou gravemente doente e é incurável, motivo que me levou a também disputar a guarda da criança com ela, já que sou pai biológico. Fui ameaçado de morte por integrantes de sua família. A homofobia no Judiciário ainda existe, meus amigos: se por um lado é bonito dar um lar a uma criança abandonada, por outro o pai - se homossexual, mesmo a mãe ciente desde o início de tudo - é visto como ameaça ao filho pelo simples fato de ser gay. Para o Juiz, é melhor ela tentar por cinco vezes o suicídio na frente do meu filho do que ter o pai com a guarda! O que geraria mais traumas? O pai ser gay ou a mãe ser suicida em reiteradas tentativas? Para o Judiciário, o fato de o pai ser homossexual é mais grave, e a campanha difamatória praticada contra mim (que é alienação parental) parece justa e legítima!!! Se hoje eu pudesse voltar no tempo, teria adotado uma criança. Adotarei ainda, certamente, após essa briga judicial toda, já que me tornei pai sem ser pai: virei o pagador de contas e nada mais. Esse é nosso Judiciário.
  • em 01-02-2012 às 16:11 IGOR.
    AI MEU DEUS, DE NOVO ESSA POLÊMICA GAY PORRA SÃO HOMENS E MULHERES SOMENTE COM EVIDENCIAS DIFERENTES O QUE CARACTERIZA ERROS E ACERTOS, QUANTOS PAIS HETEROS LARGAM OS FILHO, ESPANCAM OS MESMOS E ATÉ VIOLENTAM. ADMIRO QUEM ADOTA UMA CRIANÇA E DAR UM LAR LEGAL A UMA CRIANÇA REJEITADA PELOS PAIS HETEROS. E AOS QUE NÃO PENSAM EM ADOTAR PARABÉNS FIQUEM DANÇANDO EM SUAS BOITES E CURTINDO CIGARROS....PARABÉNS AOS QUE ADOTAM E FAZEM VALER OS DIREITOS DO ESTATUTO DA CRIANÇA.
  • em 01-02-2012 às 13:44 lili
    ,desculpem me,sou gay assumido,e tenho uma filha adotada,muitos dizem que e uma vergonha pois pode fazer com q a crianca fique pertubada psicologicamente,nada ve bando de ignorante,pois o exemplo de vida e educacao quem tem q dar sao os pais nao importa se sao gays ou eteros,pois minha filha tem uma otima educacao,uma otima escola e detalhe eu a crio sozinho,nao escondo nada dela,e somos felizes na escola muitos ate a elogiam por ser criada somente por mim tem otimas notas e o melhor tem o melhor pai do mundo...bichas invejosas pensem um pouco mais no proximo porque na vida nem tudo e sexo....um grande abraco a todos do mundo mais....e todos os leitores...adorei este tema...
  • em 29-01-2012 às 22:48 Flávio
    Nossa!!! A justificativa que um casal gay não pode adotar criança porque não vai ter referência, é muito frágil. Esquecem-se que os gays, no geral, vieram de uma família hetero. E aí? Onde ficou a referência? como se justifica?
  • em 29-01-2012 às 18:24 p quem me respondeu
    Imagino uma criança adotada por gays, na convivência dia-a-dia os pais trocando carinho e a criança achando supernormal- lembro-me da minha infância do meu pai se insinuando para minha mãe e psicologicamente o filho ama a mãe e não suporta nesta fase essa realidade, agora dois homens se beijando trocando carinhos, isso iria sim influenciar na sexualidade da criança, sem referência e modelo, faça o favor, o mundo foi feito com diferença existe o pedregulho e o diamante, existe saúde e doença, assim como meus amigos estão casados e formaram famílias eu estou aqui ainda hoje e perdido sem referência por gostar de homens, infelizmente. E se pessoas muito mais inteligentes que eu você que é o caso do papa, que nem esse deputadozinho que foi conhecido pelo lixo do BBB pretende responder ao sumo pontífice com o mero entendimentozinho dele, fala sério ponha-se no seu lugar Jean Wyllys (PSOL-RJ), perto do papa Bento XVI, você é poeira gay. Tem gente que acha que "deus" vai te abençoar só se for um deus no diminuitivo mesmo, Jean Wyllys é um intolerante que repete calunias da igreja, deputado infeliz: Leia mais antes de falar besteira, eu sou homossexual sou extremamente contra você e totalmente a favor do papa Bento XVI.
  • em 29-01-2012 às 10:17 P/ Marcos
    Ao invés de vocês, entendidos de um lado e ignorantes de outro, ficarem dizendo que gay quer ser mamãe ou papai, pensem nas crianças orfãs, e que são muitas, que passam a vida inteira em uma instituição, sem privacidade, sem uma identidade e o aconchego de um lar.
  • em 28-01-2012 às 19:03 Marcos para os Educados / moderados / e toler
    Eu nunca queria ser criado só por dois pais (SIC!) ou duas mães (SIC!), a criança precisa de referência imagem materna e paterna, nisso não só ele o papa, mas também outros segmentos que defendem estão corretos, gay quer demais, eu sou gay, mas não tenho essa pretensão de um modelo de família exótico e outra: que alguém viva essa Vida, precisa ofender alguém como o papa que nenhum de você pobrezinhas conseguiria nem sequer chegar perto, ele está certo, vocês é que são idiotas, lutem vocês pelos seus direitos, porém sem ofender e generalizar como se todos os Padres fossem pedófilos, Lamentável hein cultura Gay (SIC!).
  • em 28-01-2012 às 18:53 De Marcos p/ Puré de batata
    Peninha que seu ódio –zinho- gay pipoca boboca não tem efeito algum, eu sou gay, mas não suporto gays como você "pipoca" racinha mais arrogante, pergunta seria você um gay-protestante?! Mas seu odiozinho contra quem quer que seja é nulo pobrezinha. Já que você condicionou Se ele queimar você bichinha que é, está livre, mas se não for ele, brrrr. ai ai ai vejo a bichinha lá queimando - você mesmo puré-de-idiotice. Estúpida.
  • em 28-01-2012 às 04:27 Puré de batata
    Odeio o Papa Bento XVI, tomara que ele queime no marmore do inferno.
  • Mostrar mais comentários...