Transando no Aeroporto

Em uma das minhas viagens ao Rio de Janeiro, um episódio inusitado acontece no banheiro com um comissário.

por Keulli Souza

Quarta-feira, 15 de Janeiro de 2014

De tanto viajar a serviço da minha empresa nos últimos anos, acabei conhecendo a maioria dos nossos aeroportos e me envolvendo, em algumas ocasiões, em aventuras muito interessantes.

Há cerca de uns dois meses tive que ir ao Rio de Janeiro para uma apresentação num cliente. Coisa rápida, fui e voltei no mesmo dia. Só que na volta, meu voo para Florianópolis sairia somente às 23:30 e isso me deixou no aeroporto do Galeão praticamente deserto esperando meu voo e torcendo para que não chegasse com atraso.

De repente deu uma vontade de ir ao banheiro que, como o resto do aeroporto, também estava vazio. No meio da mijada, apareceu um cara para urinar e, embora houvesse mais espaço, ele escolheu o mictório ao lado do meu. Não sou um cara de se assustar com qualquer coisa e dei uma sacada no cara. Devia ter uns 23 anos, boa aparência e vestia o uniforme de uma grande empresa aérea brasileira.

Eu já tinha acabado de urinar, mas continuei fazendo aquele ritual de balançar o pau para a última gota de mijo não acabar caindo na cueca. O meu vizinho de mictório também estava demorando e acabei olhando na cara dele. Surpresa, ele estava me encarando e eu fiquei meio sem jeito. Ele não se intimidou e disse:

-- Tudo bem?

Sorrindo, respondi que sim. Nessa hora deu para perceber que ele era um cara bonito, moreno, cabelos curtos, vestindo a camisa branca de mangas curtas do uniforme da empresa, o que permitia ver os braços fortes e seu porte atlético. Continuamos nos encarando e ele fez sinal com os olhos apontando para baixo, como se quisesse ver meu pau. Eu me afastei um pouco e fiquei bem exposto para ele poder me ver. Ele fez o mesmo e aí eu vi que ele estava com a vara já em ereção.

Nessa hora, subiu um calor pelas minhas costas e eu fiquei muito excitado. Meu pau começou a se armar na hora, e ele sorriu olhando o meu tesão se formando. Durante alguns momentos ficamos os dois olhando um para o outro com muito tesão, até que ele estendeu sua mão esquerda e tocou no meu pau, como se experimentasse a rigidez. Como eu não fiz nada para impedir, ele acabou segurando meu pau e apertando ele de leve, começando a bater uma punheta para mim, meio sem jeito, já que estávamos mal posicionados com uma meia parede de mármore nos separando.

Ele parou um pouco e apontou seu pau para mim, se oferecendo. É claro que aceitei e agarrei aquela vara, tão dura quanto a minha. Cara, que sensação gostosa segurar um pau grosso, duro e quente. O cara tinha uma pica grossa, cheia de veias saltadas e era rígido como uma pedra. Segurei firme sua pele e a puxei para expor sua cabeça avermelhada. A sensação era muito gostosa.

Ficamos mais alguns momentos naquele joguinho de pega no meu pau que eu pego no seu até que ele me puxou para dentro de um reservado e fechou a porta. Ele sentou-se no vaso sanitário e imediatamente pegou meu pau e começou a lamber a cabeça que estava já toda molhada. Seguiu lambendo meu pau por todo o seu tronco e desceu até as bolas. Abriu meu cinto e arriou minha calça para poder alcançar as bolas por inteiro. Brincou com elas como quem se delicia com um manjar especial, lambia cada uma das bolas freneticamente e enfiava uma ou outra dentro de sua boca. Sua mão apertava meu pau como se fosse para não deixá-lo fugir e começou a me masturbar. A princípio devagar, mas aumentando a velocidade aos poucos.

Sua mão mantinha meu mastro em pé enquanto sua boca garantia que minha cabeça continuava presa entre seus lábios. Aquela punheta-chupeta estava me deixando alucinado com vontade de gozar e jogar para fora uma tonelada de porra que eu já devia estar acumulando. Era delicioso ter meu pau sendo masturbado ao mesmo tempo em que a cabeça entrava e saía daquela boca competente, sentindo sua língua quente e macia.

Eu segurava sua cabeça e passava as mãos pelos seus cabelos como forma de agradecer por aquela operação deliciosa quando explodi em gozo, um orgasmo maravilhoso. Tentei avisar o cara que ia ejacular, mas ele não se importou e eu jorrei minha carga toda dentro da sua boca. Ele sugou minha vara o tempo todo, não desperdiçando nada do meu esperma. Por fim, quando eu não conseguia mais continuar com aquela sucção no meu pau, ele engoliu tudo e lambeu os lábios, tirando qualquer vestígio que tivesse ficado.

Lambeu a cabeça da minha vara ainda endurecida mais algumas vezes para garantir que eu estava bem limpo. Então ele se levantou do vaso sanitário e me disse que queria gozar também, mas que estava atrasado, não poderia se ausentar por tanto tempo assim. Ele ficou de pé e eu me sentei. Começei a chupar sua vara gostosa e quente e que estava encharcada de excitação. Ele pediu para eu bater uma punheta para ele e assim eu fiz.

Encarando aquela pica gostosa, bati uma punheta linda para o rapaz. De vez em quando parava para dar uma chupada e lamber sua cabeça, mas ele insistia para que eu continuasse com a punheta e assim fiz. Demorou muito pouco para que ele avisasse que ia gozar e pegando no próprio pau continuou a se masturbar na minha frente. Na hora do orgasmo, apontou seu pau para o lado e vi jatos de esperma atravessando uma distância de pelo menos meio metro para encharcar a parede do reservado. Ele devia estar muito excitado ou com um grande atraso, pois foi um demorado orgasmo com vários jatos de porra saindo com toda a força.

Quando acabou de ejacular, ele procurou papel para se limpar mas eu segurei seu pau e lambi a cabeça que tinha muita porra escorrendo ainda. Lambi e chupei seu pau, sugando a última gota de porra que ainda estivesse dentro dele e em pouco tempo aquela vara, ainda dura, estava limpa.

Ele, apressado, guardou o pau dentro da calça e abriu a porta do reservado. O banheiro ainda estava vazio e ele saiu, sem sequer olhar para trás. Fiquei sentado um tempo no reservado olhando meu caralho que ainda estava duro e eu muito excitado. Eu já havia gozado há poucos minutos, mas ter chupado uma vara gostosa e ver aquela punheta maravilhosa me deixou muito excitado. Então, como ainda havia muito tempo, bati uma punheta bem gostosa, imaginando como seria se tivesse mais tempo para brincar com aquele caralho delicioso. E gozei muito gostoso...

Comentários (57)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 12-01-2020 às 22:48 Um lance com comissário
    Já fiquei com dois comissários, na época que eu ia fazer curso também. Mas infelizmente os dois eram amigos e acabaram sabendo que eu fiquei com ambos ao mesmo tempo sem outro saber. Haaa fiquei com tanta vergonha que bloqueio os dois. Um sabia que tava chateado porque gostou de mim outro acabou não puxando mais papo. Cuidado gente, essa galerinha contam tudo uns pros outros, soube por fonte segura. E se não quiserem ficar mal falamos entre esse pessoal e acabar se queimando é bom ser cauteloso.
  • em 12-01-2020 às 22:44 Amigo punheteiro
    Nunca rolou comigo nada em aeroporto mas sempre desconfiei, esse ano de 2019 um funcionário de uma ocupa boa aérea enquanto fazia meu chek um puxou tanto papo e me falou de um tal banheiro no andar sugerir q dizia ele era bem tranquilo. Eu tava pouco distraído mas achei a dica interessante e fui da conferida. Aos poucos entraram funcionários aeroporto e passageiros de forma bem esporádica. Mas saquei q tesão pairava n ar. Só q meu voo ia sair em pouco tempo e eu estava em cima do horário. Isso foi no aeroporto de Cofins em Minas. Mas melhor aventura rolou quando estava hospedado no hostel. Nossa eu já tinha ouvido falar que rolava pegação, mas os vídeos e contos deixavam claro que era bem arriscado. Mas comigo acabou rolando com 3 hóspedes, sendo dois deles colegas de quarto. É foi bom demais.
  • em 09-10-2019 às 00:19 Sou do Rio meu email michelmartins331@hotmail
    Meu email michelmartins331@hotmail.com sou de Niteroi
  • em 17-07-2019 às 13:59 José castro de campinas
    alguem de Campinas que tenha pica gde e grossa que gosta de comer coroa gordo 61anos contate comigo Watz 13 981 758952
  • em 26-10-2018 às 00:46 Guga-BA
    Cara, essa história me fez lembrar uma semelhante que vivi no aeroporto de Salvador esperando um voo noturno para Ilhéus. Só que comecei a flagrar o cara ainda no balcão de check in. Como eu ainda tinha mais de duas horas até o embarque e o aeroporto estava vazio, resolvi dar um rolê na parte superior que é praticamente deserto e lá estava o camarada. Então me direcionei ao banheiro e alguns segundos depois ele chegou e o que seguiu foi bem parecido com oq aconteceu com o Keulli. Só que por coincidência, ele ia seguir no mesmo vôo que eu. Mas depois do lance no banheiro, não mantivemos qualquer contato. Nem mesmo quando chegamos ao destino. Sou do Sul da BA e prefiro me relacionar preferencialmente com caras de outras cidades. Pode ser Salvador, Feira de Santana, Vit. Conquista. 73 99122 0860
  • em 13-10-2018 às 16:38 Breno
    Dlc a amei a história fiquei até com tesão sou versátil-passivo alguém de sp afim me chama no ZAP 11946691557
  • em 18-07-2018 às 18:02 Idtaile
    Nessa semana tive uma experiencia parecida, mas mais intensa com um piloto de uma companhia argentina. Que pau gostoso. Que adrenalina boa. a
  • em 06-04-2018 às 12:28 Neidson de salvador
    Que tesão da porra 71991364104
  • em 13-02-2018 às 20:45 mathias
    dlc essa historia as melhores são em banheiros mesmo kkkk
  • em 11-02-2018 às 21:32 Claudemur
    Que delícia cara. Tem que voltar nesse aeroporto pra encontrar esse comissário..
  • Mostrar mais comentários...