Mais violência

Jovem de 18 anos é espancado até a morte próximo, à região frequentada por gays em SP.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

Mais um crime bastante suspeito acontece em São Paulo. Desta vez, na região da Bela Vista.

No sábado (25), o jovem Bruno Borges de Oliveira, de 18 anos, resolveu sair com os amigos para beber na Rua Augusta, próximo à Frei Caneca, ambiente frequentado em sua maioria por gays e lésbicas.

Já na manhã de domingo (26), por volta das 6h40, os três amigos caminhavam pela Rua Herculano de Freitas quando foram abordados por um grupo de 6 homens. Os dois colegas conseguiram fugir, Bruno não.

O jovem foi espancado até a morte em troca de um aparelho de celular, um bilhete único e o par de tênis. Segundo os amigos, eles pararam para urinar perto de uma árvore quando foram surpreendidos pelo grupo.

Após o ocorrido, os amigos de Bruno voltaram ao local para socorrer o jovem, que já estava morto.

A polícia investiga o caso como latrocínio. No entanto, nas redes sociais, ativistas dos direitos LGBT questionam a crueldade do crime, já que Bruno sofreu “traumatismo encéfalo craniano” por conta de seguidas agressões na cabeça.

“Homofobia?”, questionam os ativistas, já que foram levados da vítima um celular “velho” e o tênis “All Star, igualmente velhos”. Sem contar que o jovem foi espancado por um grupo de 6 homens.

“Esse crime foi claramente fruto de homofobia, e fechar os olhos para esse fato é ser cúmplice do descaso dos governantes com os direitos LGBT”, aponta um dos textos publicado na página da vítima, no Facebook.

Até o momento, nenhum dos agressores de Bruno Borges de Oliveira foi identificado pela polícia. O caso foi registrado no 78º DP, no bairro dos Jardins.

Na semana passada, Kaique Augusto dos Santos, de 16 anos, foi encontrado morto sob o Viaduto Nove de Julho. No primeiro momento, a família questionou a investigação da polícia como suícidio já que o adolescente estava com sinais aparentemente de tortura.

No entanto, depois da grande repercussão do caso, a mãe de Kaique, Isabel Cristina Batista, veio a público declarar que acreditava, realmente, no suícidio do jovem.
Comentários (46)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 03-02-2014 às 15:58 Adriano
    Que bom, foi preso o bando que provavelmente matou Bruno. Mas este é apenas 1 dos bandos que agem na região ... o cuidado deve continuar. Não saiam a pé de bares o boates. PEGUEM TAXI. A revolta dos homofônicos com e espaço que temos conquistado esta cada vez maior, infelizmente não da pra andar tranquilo em SP
  • em 03-02-2014 às 08:21 negrosp44years
    FELIZMENTE 03/02/2014,acabam de prender os assassinos deste garoto,e possivelmente de mais assassinatos na região central de São Paulo aos gays.E tudo leva a crer que é sim HOMOFOBIA.contrário do que a polícia dizia,que é somentel latrocínio,ou seja roubo seguido de morte..
  • em 02-02-2014 às 23:27 market du bocket
    a palavra de ordem é auto-defesa, mariconas do meu brasil acordem e saiam pra porrada! não seja o próximo da lista!.
  • em 02-02-2014 às 20:08 Bruno
    Não sei quem é mais covarde, se foi quem matou ou quem saiu correndo e abandonou o cara sozinho. O que fizeram saíram correndo feito gazelas doidas? nem se tocaram que tinham q proteger o suposto amigo. Será que esses que correram não estão envolvidos? demoram qto tempo pra voltar e ver o estrago?
  • em 30-01-2014 às 21:29 Uma pena...
    ...que um gatinho como este tenha tido um fim tão triste nas mãos de um bando de fascínoras desalmados. Que Deus o tenha. E os assassinos sejam logo presos e condenados.
  • em 30-01-2014 às 17:20 P/ Wando
    Pode parecer implicância minha, mas tem uma pessoa aqui que padece tanto da síndrome de riqueza quanto da síndrome de beleza. Esta sim, "se acha" muito mesmo. Ela( que nem sei se é "ela" ou "ele") se acha melhor que todo mundo.
  • em 30-01-2014 às 16:56 Wando_RN
    Precisamos (todos nós seres humanos) de paz, harmonia, felicidade, amor, gratidão e respeito... Só aí haverá uma convivência pura entre todos. Nada pode ser radicalizado pois aí é que existe o problema...precisamos saber conviver uns com os outros independente de conhecer, gostar, ou não a pessoa. Os animais irracionais conseguem conviver e nós "nos achando" muita coisa não conseguimos se quer viver, quem diria conviver....
  • em 30-01-2014 às 13:13 P/ Cabra Macho
    Você disse tudo, macho. não interpreto mal o que você entende por ser "macho". Absolutamente. Dizer-se "macho" não é machismo em certa acepção da palavra. Ser "macho" é ter personalidade e atitude. Nem todo gay precisa ser frágil ou banana. você tem razão: alguns só têm força na língua para criticar mesquinhamente outros gays, ser racista, homofóbicos, preconceituosos e, especialmente, esnobes e arrogantes com os outros só porque tiveram a sorte de serem ricos. Aliás, ricos e bonitos. Tem uma talzinha aqui que adora esfregar na cara dos demais que é "rica e bonita"! Nem vou dar nome aos bois. Que a carapuça lhe sirva e vista-a da cabeça aos pés e dê um belo laço nela!
  • em 30-01-2014 às 03:54 Sandrão
    País de merda onde as leis são brandas e estimulam a pratica da violência e essa Dilma que não faz nada pra mudar nada... Oremos. E aprendam a se defender... Uma biba dessa no minimo tem que rasgar um na faca ae pra ver se fica 1000 a X 1 ne...
  • em 30-01-2014 às 01:35 Tania Dorada
    Campanha LGBT:-) vamos todas andar armadas, vamos tirar licença para porte de arma. Toda biba deve carregar a sua pistolinha. Quero ver algum machão querendo briga conosco.Não esperem solução do poder público, reajam!
  • Mostrar mais comentários...