Resistência

Governo prevê embate com militares na luta por direitos dos gays.

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2015

Ele mais uma vez: o deputado Jair Bolsonaro é um dos parlamentares que já se posicionou contrário ao PL-7582, de autoria da deputada Maria do Rosário (PT-RS)

A estratégia do governo para avançar na defesa dos direitos de homossexuais, apesar do Congresso com perfil mais conservador que tomará posse na próxima semana, pode esbarrar em um novo obstáculo. Em vez da bancada evangélica, a resistência deverá ser liderada por representantes das Forças Armadas. O temor dos militares é que, com o avanço de leis que combatam a discriminação de gênero, tenham que aceitar homossexuais em seus quadros.

O governo pretende abrir diálogo com as igrejas, abandonando a defesa do PLC-122, que torna crime a homofobia e que acabou apensado à proposta de reforma do Código Penal, em uma manobra dos evangélicos no Senado que anulou toda aprovação já realizada na Câmara.

A nova estratégia do governo inclui apostar na aprovação de outra proposta, de combate à intolerância. O PL-7582, de autoria da deputada Maria do Rosário (PT-RS), define crimes de ódio e intolerância e cria mecanismos para coibi-los.

Este projeto não carrega a resistência das igrejas. No entanto, conta com a aversão dos militares, que não querem ser impedidos de recusar homossexuais nos quadros do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O ponto de discordância está no dispositivo que proíbe o “impedimento de acesso de pessoa, devidamente habilitada, a cargo ou emprego público, ou sua promoção funcional sem justificativa nos parâmetros legalmente estabelecidos, constituindo discriminação”, constante no item II do artigo 4º da proposta. Entre as formas de discriminação listadas na proposta, estão orientação sexual, identidade e expressão de gênero.

Em uma nota técnica emitida pela assessoria parlamentar do Exército, ainda sob o comando de Enzo Peri, a instituição se manifestou contrária à proposta. O documento foi enviado ao relator da proposta, deputado Luiz Couto (PT-PB).

Na nota, a assessoria se colocou contrária à aprovação do documento, alegando que traria “efeitos negativos” para as Forças Armadas e “reflexos indesejáveis” para o Exército. Entre os parlamentares mais ligados às Forças Armadas e que se posicionam contrários à proposta estão o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que protagonizou mais de uma polêmica relacionada ao tema no Congresso, e Nelson Marquezelli (PTB-SP), bastante ligado a militares da Aeronáutica.

Uma das alegações dos militares está no próprio Código Penal Militar, de 1969, que condena, no artigo 235, a "prática de ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito à administração militar".

Para a autora do projeto, o posicionamento da assessoria parlamentar do Exército foi precipitada e equivocada. “Eu minimizo o conteúdo desta nota porque considero que foi um equívoco da assessoria em relação a esta proposta. Até porque, este posicionamento não foi endossado pelo governo”, disse a deputada que pretende abrir o diálogo sobre a proposta, tanto com as igrejas quanto com os representantes militares.

“Não considero que esta proposta seja capaz de abalar as estruturas de instituições como o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. Além disso, o projeto não foi pensado com esta intenção. Foi uma proposta construída ouvindo os movimentos sociais e vários segmentos da sociedade. Estou disponível ao diálogo com o governo e com a sociedade”, disse a deputada.

Comentários (16)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 02-02-2015 às 22:33 Évora
    Preconceito idiota de meia dúzia de coronéis conservadores, fadados ao ostracismo! Novos tempos em que gays e mulheres estão na ativa- chega de machismo retrógrado. Se o pai da internet, Alan Turin, homossexual que desvendou os códigos da máquina Enigma nazista na 2a. Guerra Mundial e salvou a vida de milhares de europeus, era das Forças Armadas Inglesa porque restrição no país da corrupção? Turin recebeu o perdão da nobreza recentemente! Infelizmente após levar um GP para sua casa e ser roubado, uma vizinha chamou a polícia. Tentando esconder os fatos foi sentenciado por sodomia e condenado à castração química(hormônios femininos que derrubam o pau para sempre). Após 2 anos suicidou-se! Chega de preconceito; o gay nas espécies serve para controlar a natalidade, e também para a cadeia alimentar masculina; rsrsrsrsrsrsrsrs!
  • em 02-02-2015 às 16:30 Diego bombado
    Sabe de nada inocente esses militares kk tentando tapar o sol com a peneira.
  • em 02-02-2015 às 15:05 Eu
    Adoro comer o rabo de um soldadinho fardado. A Marinha é a que concentra mais gays entre as três forças.
  • em 02-02-2015 às 01:51 Estêvão/PE
    Eu não entendo essa resistência hipócrita desses milicos: todo mundo que já serviu nas Forças Armadas que existem e SEMPRE existiu gays dentro delas. Não precisa ter a visão de raio -x do superman para ver isso. Como que eles vão ser forçados a aceitar algo que já existe dentro destas instituições desde antes do Sarney sonhar em ser político? Será que existe algum deputado HOMEM o suficiente para chegar na tribuna e falar isso em rede nacional e jogar isso na cara desses milicos? Esse Jair Bolsonaro não merece respeito algum, muito menos quem votou nele, pois representa a sociedade ultrapassada e retrógada brasileira. Ele tem que ser ignorado, isto é simples. Só que a mídia adora polêmica e ainda dá atenção a ele. Ele sequer deveria ser procurado para dar entrevistas etc. Gente desse tipo tem que ser ignorada, não podemos perder tempo com elas.
  • em 01-02-2015 às 15:21 Ferdinando
    Esta cheio de gays nas forças armadas. Eu tenho amigos, ex-namorados e ficantes que sao da policia civil, policia federal, guarda nacional, marinha, aeronautica. Alguns deles assumidos, inclusive. O problema nao é a orientacao sexual, mas a postura e comportamento. Tem q ser discreto, e ao meu ver isso é necessario para o ramo. Toda profissao te exige um comportamento padrao.
  • em 30-01-2015 às 21:49 marco aurélio
    Por que tem que debater com evangélicos e militares? O senado tem de aprovar e ponto! Chega de violência física e moral contra os homossexuais. Já perdemos empregos, salários, escola e até a vida, tudo por causa de meia dúzia de machos que não tolera o veado! Até quando a sociedade vai fazer vistas grossas com esse ignorantes que nos sucumbem sempre ao recomeço na luta pela sobrevivência!
  • em 30-01-2015 às 18:38 leco
    Se desta vez, não esbarra nos evagelicos, ainda assim, esses estão convictos de que esse também não vai passar.É tudo que eles querem mesmo.
  • em 30-01-2015 às 10:29 P/ In Recife
    Por que essa Mulher assim escreve? Você tem alguma ideia? É muito doida, mesmo.
  • em 30-01-2015 às 10:15 loironrico sp
    Kkkkkkkkkkkkkkk rindo aqui do meu camarote vip com ar condicionado.
  • em 30-01-2015 às 00:14 In Recife
    Isso é uma "novela": gays crescem a cada dia, e o desespero esta batendo homofóbicos. A cada dia mais gays saem do armário,mais gays, enfim vamos até que ponto os homofóbicos pensam que vão controlar o crescimento gay no Mundo. Se hoje tem gays, imagine daqui a 5 anos, daqui a 10 anos, daqui a 15 anos, terá muito mais, entenderam porque o desespero esta batendo nos homofóbicos?! Até quando os homofóbicos vão poder sustentar esse falido modelo de família "perfeita" onde todos são héteros???
  • Mostrar mais comentários...