Entrar na área VIP

Beijaço

Bruno Fagundes faz participação em nova temporada de Sense8 com beijo gay.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 10 de Maio de 2017

Bruno Fagundes em sua participação em 'Sense8'.Bruno Fagundes em sua participação em 'Sense8'.

Desde que Bruno Fagundes revelou em entrevista que faria uma participação na segunda temporada de "Sense8", fãs do ator e da série se perguntaram qual seria seu papel na trama. Ainda mais porque o elenco veio ao Brasil no ano passado para gravar cenas durante a 20ª edição da Parada do Orgulho LGBT, em São Paulo.

Após dois anos de espera, os novos episódios enfim chegaram ao catálogo da Netflix na última sexta-feira. Quem assistiu até o sexto episódio viu a cena em que Bruno, filho do ator Antonio Fagundes, protagoniza um beijo entre outro personagem do mesmo sexo em um restaurante.

Em entrevista, ele já havia comentado que fez testes para um papel maior, e não foi aprovado porque os produtores buscavam um ator mais velho. Só depois, a pedido de Lana Wachowski, uma das criadoras da série, Bruno foi escalado para uma participação menor.

"Foi uma experiência incrível. Fiz testes na produtora O2 para um papel grande, mas acabou que eles preferiram um ator mais velho, por conta do perfil do personagem. A produtora de elenco me ligou avisando que eu não tinha sido selecionado. Mas minutos depois ela retornou, dizendo que a Lana a procurou falando que me queria de qualquer jeito, mesmo que fosse numa participação pequena. Aceitei de cara", contou o jovem, de 27 anos.

Atualmente, Bruno está em cartaz em São Paulo com o espetáculo "Baixa terapia", em que contracena ao lado dos pais, os atores Antonio Fagundes e Mara Carvalho. A segunda temporada de "Sense8" está disponível na íntegra na Netflix.

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • baiano50

    Tesão de Rapaz!!! Fiquei doidão vendo ele beijar uma boca de outro Macho!!! Fico maluco imaginando ele comigo!!!

    em 21 de maio de 2017, às 01:29
  • Cassiano

    Cara, fiquei maluco com o seu beijo!!! Sua boca é deliciosa e fico tesudo pra caralho te vendo beijar um outro homem!!! Parabéns pelo seu trabalho! Abraços.

    em 20 de maio de 2017, às 01:15
  • Facundo a Sacudida

    Realmente desapontou. A Segunda temporada não conseguiu a mesma consistência da anterior. Além de mudarem o conceito de um sentimento o que o outro sente para algo meio rocambolesco de ver coisas do passado, falar com alguém e estar transando com outro ao mesmo tempo ou pior: se pode fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo com perfeição, por que qdo fala com alguém do grupo , para outras pessoas é como se falasse sozinho? Até o roteirista está perdido. Meu deus ainda me espanta pessoas serem incapazes de interpretar o simbolismo de uma narrativa... Será que a recalcada ali de baixo acha que Sonho de uma noite de verão é uma história real? Como disse concordo , é triste essa planificação: herói inteligente - americano/ coll, descolados, inteligente: europeu ou americano, lutador de artes marciais: coreana/ator futil: América latina... decepção

    em 12 de maio de 2017, às 20:41
  • Luiz

    Gostei do beijo sensual do Filho do Antônio Fagundes! Eu teria ficado de Pau bem duro.... Será que ele também ficou??? Afinal são duas bocas muito gostosas!!!

    em 11 de maio de 2017, às 00:16
  • Alguém

    A sacudida viajou na maionese, isso é uma história de ficção, nada é real, e ainda acho que a série mostrou a versão mais bonita do que é realmente na parada gay, ficou p. Melhorou ao invés de piorar.

    em 10 de maio de 2017, às 18:47
  • Sacudida

    A série é muito boa apesar de sofrer muito com o lapso temporal exagerado entre uma temporada e outra...Mas fiquei decepcionada com as cenas em São Paulo...Uma narrativa que se propõe a repensar preconceitos, lançou para o Brasil e toda América Latina um olhar preconceituoso do Americano e do europeu que acha que nos entende sem ter o trabalho de nos conhecer. Em resumo, somo simbolizados pelo personagem da história que é um ator de filmes mexicanos popularescos e como se não bastasse isso, um personagem com preocupações frívolas se comparada aos demais. Em mais de um episódio , enquanto seus pares decidem pela razão qual caminho tomar, ele decide por métodos nada racionais. Aproveitando essa oportunidade, o mesmo elemento usado para mostrar que pessoas são pessoas em qualquer lugar do mundo e em qualquer cultura, também é a desgraça do roteiro que, ao invés de ser profundo, colocou os inteligentes, perspicazes e heróis como americanos ou europeus... Credo...pensando bem ...está muito lugar comum...preconceito...e para quem conhece brasileiro de verdade, somos bem diferentes dos outros povos latinos...Bem, tirem suas conclusões...

    em 10 de maio de 2017, às 12:21