Polêmica

Austrália pode permitir que escolas religiosas recusem matrículas de alunos LGBTs.

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 11 de Outubro de 2018

Uma proposta que está em estudo pelo governo da Austrália pode dar o direito às escolas de recusar alunos, professores e funcionários LGBT de acordo com as convicções religiosas da instituição, e vem causando polêmica no país oceânico. As informações são da BBC.

Caso seja aprovada, a legislação permite que os colégios possam selecionar os estudantes e funcionários com base na orientação sexual e na identidade de gênero e faz parte da revisão das leis de liberdade religiosa que está sendo empregada na atual gestão. Apesar de alguns Estados já permitirem a medida, a mesma pode ser estendida para todo o território australiano. As escolas teriam que divulgar os critérios para contratar funcionários e aceitar matrícula de estudantes LGBT.

Considerado membro da ala conservadora, o primeiro ministro do país Scott Morrison afirmou que está analisando cada proposta do relatório de revisão da legislação considerada cuidadosamente e respeitosamente.

Comentários (13)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 14-10-2018 às 00:03 halison Gonçalves
    palhaçada
  • em 13-10-2018 às 20:03 Jorge Jorge
    Eu não tenho problemas com minha idade, querido. Que, aliás, você desconhece. E essa preocupação que você manifesta com gays dos lugares mais distantes aqui de SP é também minha. Veja bem: o militante GLBT insufla as coisas aqui. Aí o garoto de 14 anos, afeminado, gay, que mora lá em Tuntum, no Maranhão, lá em Jaguarão, no Rio Grande do Sul, lá em Sinop, no Mato Grosso, vê isso tudo, esse tal de "empodere-se", "beije seu namorado e demonstre carinho por ele, esteja onde estiver" e se sente, coitado, representado, abrangido, protegido. Encontra eco. É falso esse eco, todavia. O que ele recepciona como "proteção", como um "vai que nós estamos aqui para lhe dar suporte", não passa de um embuste: o pessoal GLBT quer, na verdade, que esse garoto seja agredido, inclusive e sobretudo fisicamente. Por quê? Porque eles precisam desse sangue, dessa agressão, dessa humilhação, justamente para capitalizá-la como "homofobia". E, assim, à medida que a homofobia aumenta, mais razões existirão para que eles existam. E mais recursos públicos e mais holofotes e mais visibilidade. Isso tudo me corta o coração, EX-BOY. Corta-me o coração. E é exatamente isso que grito, desesperadamente, para denunciar aqui. O garoto que citei deveria, então, pelo meu raciocínio, esconder sua homossexualidade? Óbvio que não. Ele pode e deve vivenciá-la. Vou repetir: pode e deve. Mas com parcimônia, respeito, diálogo, NUNCA COM ÓDIO, A AFRONTA. Será, aí sim, aceito. Aceito pelos pais, pelos irmãos, amigos, avós etc. Todavia, se pôr calcinha e sair beijando o namorado no meio da sala, claro, óbvio, evidente (desculpem-me pelos pleonasmos), sofrerá retaliações. A homossexualidade é linda e um dia, se Deus quiser, será de tal modo natural, que se tornará desimportante, como desimportante é o time para o qual eu torço ou deixo de torcer ou se sou casado ou divorciado. Mas, por enquanto, querendo ou não, é uma imensa novidade contemporânea. E, como toda novidade, erigida que foi e é em enorme teia de preconceito e desconhecimento, há de ser admitida no mesmo ritmo em que as pessoas vivem. O gayzismo, vou retomá-lo aqui, sabe disso muito, mas muito melhor do que qualquer um de nós. Mas ele não dosa nada, não tem elegância, tolerância ou parcimônia com nada, JUSTAMENTE PORQUE QUER E PRECISA DO CONFLITO, DO ÓDIO, DO SANGUE, DA DOR, DA GUERRA. Se vencer as eleições, como tudo indica, Bolsonaro enfrentará isso. Precisará ser hábil o suficiente para desmontar esse tipo de arapuca já no início de seu governo. Mas nós, gays, sobretudo gays mais velhos, dos quarenta para cima, SOMOS OS MAIORES RESPONSÁVEIS POR DESMONTAR ARAPUCAS CONSTRUÍDAS, PELO GAYZISMO SINDICAL EMPRESARIAL, CONTRA NÓS MESMOS. Ou agimos assim ou seremos cobrados pela história por não termos tido o discernimento para enxergar gays diferentes de gayzistas. Gays, lindos, apaixonados, bons caráteres, maus caráteres, generosos, egoístas, trabalhadores, safados. O gay é humano. Logo, é de tudo um pouco. Mas, de outro lado, existem os gayzistas. E estes, obrigatoriamente, ou são safados, como já denunciei aqui, ou são idiotas úteis, bois ingênuos, atuando como soldados de safados. O gay é um ser humano. Só isso para encerrar. Um ser humano que, via de regra, como foi meu caso, vem de uma experiência de profundo sofrimento. É triste ter vinte anos e ir numa danceteria ver homem e não poder tocar. Por isso, insuflar um gay jovem a botar pra quebrar, em pleno 2018, quando isso nem de longe é necessário, já que atualmente os meios são muitos, é covardia. O movimento LGBT é também covarde. Por isso, por tudo isso, deve ser desmascarado e denunciado. Seja gay, seja pleno. Seja, meu amor, acima de tudo o titular ÚNICO de sua belíssima e abençoada HOMOSSEXUALIDADE!
  • em 13-10-2018 às 14:12 EX-BOY
    Seu Jorge a idade chegou, para de ficar implicando com os gays so porque não desperta mais atração nos outros. Aceite, sua juventude passou aora é outra geração. Pare de ser ranziza, nem você acredita nesse Bolsonaro, você quer é foder com os outros pra saciar as frustrações.
  • em 13-10-2018 às 13:58 Jorge Jorge
    "Ex-BOY", uma pergunta: dou todo dia para o meu marido, um homem negro, lindo e jovem. Não me sinto frustrado. Você não está conseguindo sentar, é isso, amor...? Amadinho, Bolsonaro já venceu as eleições. Os próximos dias serão apenas para cumprir tabela. Ele não é violento. É apenas óbvio: a gang LGBT vinha ganhando muito, inventando termos como "comunidade". Mas só fazia isso para enriquecer. Secaram as burras, amadinha. Secaram as burras!
  • em 13-10-2018 às 13:56 EX-BOY
    Devemos ter escolas liberais, escolas conservadorsa, escolas religiosas. Isso funciona perfeitamente num grande centro . Mas quem vive no interior que é a grande maioria , vai sentir na pelo os efeitos do preconceito. Gay achar que somos livres por vivermos nos grande centros é egoismo. Pensem na realidade dos gays do interior. Hoje eles têm liberdades graças ao Movimento LGBT. Todo gay deve repudiar veemente esse Bolsonaro, não substimem , vocês não fazem ideia de quem é esse cara e de quem os rodeiam. Foi por vacilos como esse que hoje os gays na Russia sofre perseguição . Na Turquia até a Parada Gay de Istambul e Ancara estão sendo atacadas com todas as ordens militares vinda do governo turco. Muito cuidado com esse possível Governo Bolsonaro, é preciso ficar atento 24 horas , na cola deles. Estão em jogo nossa liberdade.
  • em 13-10-2018 às 13:38 Ex-BOY
    O politico Bolsonaro é deputado desde 1990 , cresceu junto as gangues de skinheads pregando ódio aos movimentos sociais, ao ativismo, aos gays. Perfil do gay que vota no coiso , é aquele tipo que flertava com todos na juventudo, idade chegou , ficou velho, rejeitado e não desperta mais atração nos ouros . Isso se chama imaturidade e frustração. Idada passa e é a vez das outras gerações. Vota num cara fascista tipo, estou fodido mesmo, vou foder os outros.
  • em 11-10-2018 às 20:50 Cezar
    Tá.
  • em 11-10-2018 às 20:16 Rodrigo
    Rodrigo O ódio por trás da bíblia. Sinto que as pessoas necessitam de perdão e correm para derramar sangue e forma de sacrifícios. Amar ninguém quer ..
  • em 11-10-2018 às 20:14 Rodrigo
    O ódio por trás da bíblia. Sinto que as pessoas necessitam de perdam
  • em 11-10-2018 às 20:14 Rodrigo
    O ódio por trás da bíblia. Sinto que as pessoas necessitam de perdam
  • Mostrar mais comentários...