Picotado

Bohemian Rhapsody é lançado na China sem cenas gays.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 26 de Março de 2019

O sucesso de Bohemian Rhapsody foi estrondoso, e deve aumentar um pouco mais agora que o filme do Queen está chegando na China. Porém, para garantir aprovação dos censores do país, o filme da Fox teve que remover os trechos que fazem referência à homossexualidade do cantor da banda Queen, Freddie Mercury e ao seu diagnóstico de HIV. Vários minutos do longa foram cortados, incluindo cenas em que dois homens se beijam e em que a palavra "gay" é pronunciada, assim como a sequência de gravação do clipe “I Want to Break Free”, onde todos os membros da banda se vestem de drag.

Por que foi censurado?

Relações homossexuais são legalizadas na China há mais de duas décadas, e a Sociedade Chinesa de Psiquiatria removeu a homossexualidade da classificação de transtornos mentais do país em 2001. Mas a censura ao filme foi amplamente antecipada.

Nos últimos anos, autoridades chinesas iniciaram uma campanha contra qualquer conteúdo considerado "inapropriado". Referências explícitas a relações entre pessoas do mesmo sexo são proibidas. Conteúdos gays são frequentemente removidos ou censurados pela mídia chinesa, para seguir as regras impostas pelo governo.

Em fevereiro, a cobertura do Oscar pela emissora Mango TV foi duramente criticada por alterar uma referência à homossexualidade no discurso de Rami Malek, que interpreta Freddie Mercury, ao receber o prêmio de melhor ator. A mesma emissora foi alvo de protestos em 2018 por censurar bandeiras do arco-íris, símbolo do movimento LGBTI, e tatuagens em sua transmissão do concurso musical Eurovision.

O filme

Bohemian Rhapsody retrata a rápida ascensão de Freddie Mercury (Rami Malek) e do Queen ao sucesso. A trama ainda pretende explorar a relação do líder com os seus colegas de banda, Brian May (Gwilym Lee), John Deacon (Joseph Mazzello) e Roger Taylor (Ben Hardy).

O elenco ainda conta com participações de Lucy Boynton, Mike Myers e Tom Hollander.

A direção ficou por conta de Bryan Singer, que foi demitido ao longo da produção, sendo substituído por Dexter Fletcher (Rocketman).

O filme ganhou 4 estatuetas do Oscar, incluindo Melhor Ator.

Comentários (3)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 29-03-2019 às 05:43 Belami
    Esse Armani Exchange deve ser o Jorge Jorge disfarçado...
  • em 27-03-2019 às 07:15 HANNIBAL
    ... ESTA SIM , O MUNDO ESTA MUITO CHATO !!!!
  • em 26-03-2019 às 13:43 Armani Exchange
    Lembrando que a China está entre os países que o PSOL e os esquerdopatas todos amam, admiram e defendem! Agora, comunista assassinando gay não é novidade alguma. Fidel, Guevara e Stálin, dos respectivos infernos onde vivem, que o digam!