ÊÊÊÊPA! Bicha, não! 17 anos sem Jorge Lafond, a Vera Verão

Negro, artista e gay, ele foi dançarino, formado em Artes Cênicas, e abriu portas para a diversidade dos palcos LGBT e das performances drag em todo o país.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 13 de Janeiro de 2020

"ÊÊÊÊPA! Bicha não!". É impossível ouvir o bordão sem lembrar de Jorge Lafond, a eterna Vera Verão, que, há 17 anos deixava o Brasil um pouco mais triste com a sua partida.

Nascido Jorge Luiz de Souza Lima, em 29 de março de 1952, adotou o nome artístico em homenagem à atriz Monique Lafond, que garante que o humorista lhe pediu autorização para tal: "Era um querido! Minha mãe ficava uma arara quando perguntavam se o Lafond era meu irmão. Ela respondia: 'Sim, sim, eles nasceram da mesma placenta!".

Em 2000, Lafond definia a si mesmo: "Um negro homossexual, pobre, que veio do subúrbio do Rio de Janeiro, da Vila da Penha, e que hoje, graças a Deus, conseguiu esse estrelato que, pra mim, é uma coisa legal. Consegui realizar todos os objetivos que tinha na vida".

Lafond partiu em 11 de janeiro de 2003, após vida intensa que durou meio século, mas seu legado ainda deve causar risos por muito tempo.

Comentários (2)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 13-01-2020 às 13:04 Dona Florinda
    Show!!! Amo D+!!!! Epaaa...epaaa....veja lá como fala sinha sirigaita....bixão não, eu sou uma quase mulé....kkkkkkkkkkkkkkkk. Linda sempre!
  • em 13-01-2020 às 12:00 lulu
    umgrande gurreiro contra o preconceito, faz falta agora.