J. K. Rowling triplica comentários ofensivos e chega a defender terapia de conversão

A autora tem mantido um perfil bastante baixo no Twitter desde o início de junho, após curtidas em publicações ofensivas e ela própria publicar ofensas sobre mulheres trans.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 06 de Julho de 2020

Mais um dia, mais um comentário perturbador da autora de “Harry Potter”, J. K. Rowling. Dessa vez ela foi ao Twitter disparar 11 tweets em resposta à um seguidor que percebeu que ela havia gostado de uma publicação dizendo que “as prescrições hormonais são os novos antidepressivos”.

“Sim, eles são, por vezes, necessário e salva-vidas, mas eles devem ser um último recurso”, dizia a publicação que continuava criticando médicos que prescrevem remédios anti-depressivos e hormônios: “Preguiça pura para aqueles que preferem medicar a dedicar tempo e esforço para curar a mente das pessoas”.

Essa publicação parece ter tocado Rowling, que curtiu achando um novo grupo de pessoas para ofender: pessoas que tomam remédios para sua saúde mental. Mas quando foi questionada por várias pessoas, resolveu disparar uma série de publicações.

Rowling não pediu desculpas, pelo contrário escreveu que embora “tenha ignorado o tweet pornô para crianças na thread de arte deles”, juntamente com “ameaças de morte e estupro”, ela “não vai ignorar isso”.

Com “isso”, ela se refere a pessoas compartilhando captura de tela de um tweet que ela gostou. Ela não parou por aí e continuou chegando ao ponto de defender a terapia de conversão (que envolve eletrochoques e vergonha emocional para mudar a orientação sexual de uma pessoa). Parece inacreditável, mas você pode conferir a publicação abaixo:

“Eu escrevi e falei sobre meus próprios desafios de saúde mental, que incluem TOC, depressão e ansiedade”, tentou justificar. “Fiz isso recentemente no meu ensaio ‘TERF Wars’ [A guerra das feministas que excluem trans]. Tomei antidepressivos no passado e eles me ajudaram”.

Ela poderia simplesmente ter parado por ali, mas ela continuou defendendo agora a “terapia de conversão” alegando: “Muitos profissionais de saúde estão preocupados com o fato de os jovens que lutam com sua saúde mental estarem sendo desviados para hormônios e cirurgias quando isso pode não ser do seu interesse”, ela escreveu. “Muitos, inclusive eu, acreditamos que estamos assistindo a um novo tipo de terapia de conversão para jovens gays, que estão sendo encaminhados para um caminho de medicalização ao longo da vida que pode resultar na perda de sua fertilidade e/ou da função sexual completa”.

A terapia de conversão abrange táticas que variam de vergonha emocional ao uso de choque elétrico e vômito induzido, tudo em um esforço para mudar a orientação sexual ou o gênero de uma pessoa.

Para quem não acompanhou os últimos acontecimentos de Rowling: além de compartilhar desenhos de fãs, Joanne tem mantido um perfil (com 14 milhões de seguidores) bastante baixo no Twitter desde o início de junho, quando depois de anos curtindo publicações ofensivas, fez uma série de publicações ofensivas sobre mulheres trans, exigindo uma distinção entre mulheres e mulheres trans (reveja matéria AQUI).

A autora da saga “Harry Potter” continuou tentando se explicar criticando aqueles que acreditam que o sexo designado de uma pessoa no nascimento não é “real”, aparentemente misturando sexo com gênero.

Joanne fez então um ensaio – extenso e longo com 3670 palavras – em seu site falando de seu interesse e “fascínio de escapar da feminilidade” apenas para reafirmar suas crenças ofensivas.

Como observa publicação do ComicBook, Rowling usa o pseudônimo de Robert Galbraith, uma alusão ao infame conhecido como “o homem que fritava o cérebro dos gays”. A publicação então argumenta que deveria se boicotar “Animais Fantásticos 3”: “J. K. ‘bilionária’ Rowling não merece mais nem um centavo do nosso dinheiro”.

As principais estrelas da franquia “Harry Potter” vieram publicamente apoiar as pessoas trans e se distanciar dos comentários ofensivos da autora, incluindo a estrela dos filmes “Harry Potter”, Daniel Radcliffe e Emma Watson. Até mesmos os sites de fãs da saga anunciaram que estão se distanciando de Rowling.

E isso tudo parece estar longe de acabar, visto que mais recentemente ela apagou até mesmo um elogio ao icônico autor Stephen King, depois que ele apoiou as mulheres trans.

Um trecho da reportagem da Vulture resume este momento da autora: “Outro dia, outra oportunidade para Joanne Rowling ofender uma grande quantidade de pessoas por absolutamente nenhuma razão”, observa a publicação que acrescenta: “Apenas mais um dia na vida de Joanne”.

Comentários (9)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 08-07-2020 às 17:15 Felipe
    Não fala besteira, Rainha.
  • em 07-07-2020 às 20:53 Rainha
    Qqer pessoa q saiba um pouco de ingles e tenha acompanhado td desde o começo ,nao apenas este post sabe muito bem o q esta acontecendo, o q ela disse...ainda bem q nao cultuo idolos...ela p mim nunca significou nd ,continua assim...como o Pinocchio , o Cloavo,aterros sanitarios e nada mais...
  • em 07-07-2020 às 20:46 Rainha
    JK Rowling...outra jumenta..."bolsonarista" da Inglaterra...alfafa p ela...
  • em 07-07-2020 às 00:32 Pasqualete
    Quem crítica crítica algo ou alguém. Tirem o acento grave em AQUELE.
  • em 07-07-2020 às 00:29 Pasqualete
    Antes de UM não tem acento grave. Conserta, MM!
  • em 06-07-2020 às 21:56 Felipe
    Ela não atacou transsexuais. Não mintam aqui, por favor. Ela está questionando, e com razão, a banalização das terapias medicamentosas de reversão, que, corajosamente, denuncia como profundamente nociva ao ser humano. Repito: ela está certa e isso que disse nada, absolutamente nada, tem a ver com qualquer espécie de preconceito. Não inventem!
  • em 06-07-2020 às 15:47 Leo Snart
    Alguns apodrecem antes... Por que alguém ataca a transexualidade sem qualquer motivo? Isso serve para que não nos esqueçamos que a transfobia existe. Imaginem quantos adolescentes LGBTs a saga Harry Potter inspirou, fico triste por eles/as. Que a vida possa se afirmar... #ForaBolsonaro.
  • em 06-07-2020 às 14:45 Flávia
    Isso mostra que ser escritor reconhecido não quer dizer muita coisa. Por isso não "endeuso" artistas. Todos apodrecemos ao morrer.
  • em 06-07-2020 às 14:20 MARCELO
    ELA SÓ É MAIS UMA PESSOA INFELIZ, NUNCA PODE SER O QUE REALMENTE GOSTARIA, POR ISSO HJ É UMA PESSOA AMARGA E FRUSTRADA