É falso que Ney Matogrosso tenha afirmado que orgulho gay é uma coisa estúpida

Boato circula desde o ano passado e voltou a ser compartilhado com conteúdo fabricado misturado a entrevista verdadeira do cantor.

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 06 de Agosto de 2020

Não é verdade que o cantor Ney Matogrosso tenha afirmado que o “orgulho de ser gay” é uma “coisa estúpida”, como alega boato no Facebook. A suposta crítica ao movimento LGBTQIA+ circula desde 2019 e recebeu mais de 33,5 mil compartilhamentos desde a semana passada, quando surgiu em novo formato nas redes sociais.

A autoria da frase foi desmentida pelo próprio artista. No dia 3 de outubro de 2019, Ney Matogrosso postou o conteúdo em sua página oficial no Instagram, com a inscrição “fake news” sobre a imagem. Não foi encontrada a declaração falsa em sites de notícias ou qualquer outra fonte confiável na internet.

A versão recente do boato estabelece uma falsa relação com trecho verdadeiro de uma entrevista do cantor, cedida ao jornal Folha de S. Paulo e publicada em 19 de julho de 2017. Na conversa, entre outros assuntos, ele conta que enfrentou preconceito ao longo da carreira, diz que acha interessante a geração de novos artistas que levam a sexualidade ao palco e que é “um homem que apenas não respeitou os limites, que transita com liberdade entre uma ponta e outra do espectro”.

O trecho citado na postagem analisada aparece no final da reportagem. Ao ser questionado se havia se considerado representante de uma minoria em algum momento, Ney Matogrosso responde que não tinha interesse em levantar a bandeira do movimento LGBTQIA+, porque também defende outras: “Me enquadrar como ‘o gay’ seria muito confortável para o sistema. Que gay o caralho. Eu sou um ser humano, uma pessoa. O que eu faço com a minha sexualidade não é a coisa mais importante na minha vida. Isso é um aspecto, de terceiro lugar”.

O entrevistador, então, pergunta o que é mais importante na vida do cantor. “Ter caráter, ser uma pessoa honesta, de princípios, que trata bem as outras. Ser uma pessoa afetuosa, amorosa. Isso é mais importante do que com quem eu trepo. Sou benquisto e recebo isso nas ruas, das pessoas”, completa Matogrosso.

Em livro publicado em novembro de 2018, o artista abordou novamente o assunto. “Já transei com muitas mulheres e com muitos homens, sou livre para me relacionar com quem eu quiser”, escreve ele. A seguir, diz que se nega a ser “estandarte do movimento gay” porque acredita e defende “direitos diversos, não somente da liberdade sexual”.

Já em novembro de 2019, em entrevista à BBC News Brasil, Matogrosso afirma que não concorda com as pessoas que o cobram por mais protagonismo no movimento LGBTQIA+: “Eles dizem que eu não carrego a bandeira. A bandeira sou eu. Ou não sou? Eu sou a bandeira, eu não preciso carregar uma. A minha maneira de pensar, de me comunicar, de me apresentar. Eu sou a bandeira. Parem de me cobrar isso porque isso não tem fundamento.”

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook.

Comentários (4)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 08-08-2020 às 10:30 Felipe
    Rainha, continuamos esperando que você nos relate aqui um gesto CONCRETO deste governo em desfavor dos homossexuais. Passados quase dois anos de governo, qual foi a manifestação gay que Bolsonaro proibiu? Houve algum ambiente gay fechado? Houve aumento dos casos de homofobia? Cara, existe, de fato, perseguição aos gays, aos transsexuais por parte desse governo ou TUDO ISSO NÃO PASSA DE PROJEÇÃO DE SUA CABEÇA? Vai, meu irmão, relata aqui pelo menos um caso, pra gente poder dissecar, discutir. Se possível, trace um paralelo com os governos do PT e mesmo do PSDB. Vai, querido. Estamos aguardando ansiosamente pelos seus dados. Mas dados concretos, Rainha. Fantasias de sua cabeça não valem.
  • em 07-08-2020 às 23:08 Rainha
    Cada cabeça uma sentença...Ney pensa de uma forma ,os militantes de outro e este governo hipocrita e escroto como a sociedade,pensa de outro...Todos livres para ser o q quiserem e nao sera um governo formado com os piores seres humanos possiveis que ira mudar isso...A mediocridade e o conservadorismo fascista nao irao deter a roda da historia...
  • em 06-08-2020 às 22:04 Felipe
    E a própria matéria de Mundo Mais, a pretexto de conectar Ney ao gayzismo, mostra que ele não o defende. Como diz o próprio Ney, nunca levantou bandeiras. Sua sexualidade apenas a ele interessa. Que isso sirva de lição àqueles que militam GLBT, impondo mordaça e censura a quem ouse pensar de forma diferente.
  • em 06-08-2020 às 22:02 Felipe
    Ney é uma pessoa íntegra, um exemplo a nós, homossexuais. Jamais permitiu que sua sexualidade fosse objeto de comércio (GLBTS da vida), mesmo quando ser gay significava ser doente, período que enfrentou com absoluta dignidade. Damares incentiva práticas seguras do ato sexual e não a supressão dele. Não consigo ver maldade ou erro no que defende.