Médico faz suruba com 4 pedreiros em Noronha e é roubado por um deles

Suspeito fugiu com pochete da vítima, mas acabou localizado e preso.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 13 de Outubro de 2020

Um pedreiro foi preso em flagrante após ser acusado por um médico de ter roubado a quantia de R$ 2 mil. Segundo informações, o crime ocorreu na Ilha de Fernando de Noronha, na madrugada de domingo (11), enquanto o médico participava de um sexo grupal com o suspeito e outros três trabalhadores.

A comissária especial da Polícia Civil, Eva Moura, explicou que o médico estava na ilha realizando turismo e estava hospedado em uma pousada. Por volta das 3 horas, ele retornava para o local da hospedagem quando se deparou com os quatro trabalhadores.

“Nas proximidades da BR-363, o turista se deparou com quatro homens, e um deles questionou se o visitante teria interesse em sexo. O turista respondeu e indagou se o ato poderia ser com os quatro trabalhadores, e os homens aceitaram a proposta”, afirmou a comissária.

De acordo com ela, os cinco homens foram para um terreno baldio próximo a uma creche, onde o turista confirmou que eles praticaram o ato. No entanto, um dos trabalhadores pegou a pochete do médico e fugiu. Dentro dela, havia R$ 2 mil.

A comissária relatou que, ao perceber que a pochete foi levada, o turista perseguiu o pedreiro, que jogou o objeto fora, mas o dinheiro não estava mais na bolsa.

Por uma foto que o médico fez do suspeito a polícia conseguiu localizá-lo e ele devolveu metade do valor ao ser preso. Em audiência de custódia, o pedreiro foi solto e responderá ao processo em liberdade.

Comentários (17)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 17-10-2020 às 18:02 Remato1
    Perplecta como é feio este tipo de comentário, vc deve ser novinha misse Brasil e linda de morrer, da licença respeita os outros e independente da idade de alguém o furto é abominável. Hoje esta análise de qualquer 10 reais ou um cigarro compra alguém, vç se acha inteligente, mais esquece que existe internet . Deixa o preconceito embaixo deste seu corpo sujo e viva a sua vida e deixa a vida dos outros.
  • em 15-10-2020 às 05:42 Perplecta
    Quantos anos tem essa idosa? Só meu avô que anda com essa quantidade de dinheiro hoje em dia. Eu ando no máximo com 50 conto em notas de 10 para pagar os cafucus, que na maioria das vezes se contentam com um cigarrinho artesanal
  • em 14-10-2020 às 23:05 Wilson DF
    Esse povo facilitam demais depois vem com mimimi, preguiça.
  • em 14-10-2020 às 14:33 carlos
    assaltar alguém numa ilha, pequena isolada sem saída kkkkkkk
  • em 13-10-2020 às 21:13 Felipe
    Mas é evidente que, acaso tivesse acontecido algo de grave à vítima, o fato seria noticiado como crime homofóbico. Por isso, essa mentira chamada homofobia começa a perder força, o que é ruim, porque, naquelas situações verdadeiramente motivadas pela orientação homoafetiva da vítima, e elas existem, as pessoas acabarão não acreditando mais. Na ânsia de inflar as estatísticas, a militância gayzista acabou criando um problema para ela própria.
  • em 13-10-2020 às 21:10 Felipe
    É exatamente desse tipo de coisa que nasce o discurso da homofobia. Vejam: não tem nada a ver com homofobia. Os caras simplesmente são nativos do lugar, possivelmente pobres, e então perceberam no rapaz, afinal um turista que veio de fora, a chance de tirar um proveito. Viram o dinheiro. O médico provavelmente pagou pelo programa. Aí, um deles cresceu o olho e resolveu furtar (ou roubar, não sei em que circunstância ocorreu o fato em si). Felizmente foi só isso que aconteceu. Eu entendo que o tesão cega a gente. Os garotos devem ser aqueles nativos gostosos. O médico se entusiasmou. Bem, deu no que deu. Mas, reparem: o ladrão teria feito a mesma coisa a uma mulher ou mesmo a um homem heterossexual. Portanto, chega a ser uma piada ver nisso e em casos semelhantes motivação homofóbica.
  • em 13-10-2020 às 19:24 Corajoso
    Se o médico fosse morto, apareceria até a versão de homofobia, se ocorreu do modo como narrado é de uma coragem absurda, com quem se conhece hoje em dia já é arriscado imagina desconhecido e ainda quatro.
  • em 13-10-2020 às 18:09 J. Leandro
    Esse médico é uma danadinha, gulosa. Amadora nunca se participa de suruba sozinha ou só com estranhos, bobinha.
  • em 13-10-2020 às 16:26 Lipe
    Interessante que uma das concorrentes do MM fez um filme parecido com isso há uns anos. E também fez com o fetiche do úber. Nos dois casos, houve complicações quando os gays tentaram levar para o mundo real.
  • em 13-10-2020 às 16:25 Lipe
    A história deve estar incompleta. O que os quatro pedreiros faziam na rua a essa hora? Para que o médico precisava de dinheiro em cash, numa época que todo mundo usa cartão?
  • Mostrar mais comentários...