Dono de bar tenta fugir da crise e é preso por traficar em app gay

Claudio Simplício afirmou que por causa da pandemia, completava renda com a atividade criminosa.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021

Foto usada pelo empresário no perfil de app gay onde vendia drogas.

O dono de um bar foi preso em flagrante no Rio de Janeiro suspeito de vender drogas por meio de aplicativos de relacionamento gay.

Claudio Simplício, de 43 anos, foi identificado pela polícia durante patrulhamento. Os policiais da 13ª DP em Copacabana avistaram o homem em atitude suspeita em cima de uma bicicleta, com algo nas mãos.

Os policiais abordaram o suspeito e encontraram com ele dois papelotes de cocaína. Ao ser questionado, o homem alegou que começou a traficar há poucos meses por causa da crise financeira. Disse ainda que a situação estava muito difícil e foi necessário encontrar uma forma de ganhar dinheiro. Em depoimento na delegacia, o suspeito confessou ao delegado Felipe Santoro que há seis meses comercializava entorpecentes por meio de um aplicativo de relacionamento gay.

No Scruff, ele divulgava a venda de drogas e captava clientes com o nome de "TK delivery 20", informou a polícia.

Toda a negociação era feita via aplicativo. O traficante só conhecia o comprador no momento da entrega, que era realizada pelo próprio autor e no local escolhido por ele. No momento da prisão, o cliente não foi identificado pela polícia. "A audácia do traficante era tamanha que no próprio perfil anunciava a venda de drogas — 'TK Delivery' significaria a entrega de cocaína. A utilização de código entre traficantes e usuários é antiga e tenta dificultar a atuação da polícia", explicou o delegado Felipe Santoro.

Santoro ainda revelou que o suspeito é proprietário de um bar em Copacabana e que fazia do tráfico uma complementação da renda. O delegado frisou que os bandidos agem nos aplicativos, visando a sensação de nunca serem pegos. "Os traficantes de drogas agem por meio de aplicativos, visando a impunidade dos seus atos, acreditando que não serão descobertos através de perfis fakes. O anonimato na internet proporciona a sensação, equivocada, de impunidade", finalizou Santoro.

Os policiais agora investigam onde o traficante adquiria as drogas e se há outros participantes do tráfico de drogas no local. O suspeito foi autuado por tráfico de drogas e foi levado ao presídio, onde ficará à disposição da Justiça.

Comentários (2)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 19-02-2021 às 19:59 Para Rs
    Verdade! Fora pedófilos, gente metida a besta entre outros capetas! Misericréduns!
  • em 18-02-2021 às 06:59 rs
    interessante que os app nada fazem oque tem mais nesses app e drogado , traficante