ONU denuncia Irã por eletrochoque e tortura em crianças LGBTs

O Irã atualmente criminaliza o sexo entre homens com pena de morte, e sexo entre mulheres com 100 chicotadas.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021

Um relatório da ONU divulgado pelo portal Pink News, indiciou que o Irã tem utilizado tortura por choque elétrico em crianças LGBTs, entre outras violações dos direitos humanos.

Por conta disso, o ativista LGBT britânico, Peter Tatchell, pediu para que o Irã seja expulso de associações médicas internacionais e conferências por conta da violação aos direitos humanos, afirmando que os tratamentos dados aos LGBTs pelo país se assemelham ao tratamento nazista e de outros regimes fascistas.

Javaid Rehman, o Relator Especial das Nações Unidas para o Irã, supostamente escreveu sobre “relatos de que crianças lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros foram submetidas a choques elétricos e à administração de hormônios e medicamentos psicoativos fortes”.

O Irã ainda pune a homossexualidade no país com pena de morte para homens gays e de 100 chibatadas para mulheres lésbicas. Ainda de acordo com o relatório das Nações Unidas, o Comitê dos Direitos da Criança expressou preocupação que essas práticas possam estar ocorrendo em 2016, “com o propósito de criar uma cura gay para crianças LGBTs no país”.

O documento acrescentou: “O direito internacional é claro ao garantir a proteção dos direitos humanos de todas as pessoas, incluindo LGB e pessoas intersexo.

Comentários (4)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 25-02-2021 às 16:42 Marco Aurélio rp
    Recentemente vi que até o Líbano criminaliza os gays. Aquela bomba que explodiu o cais foi pouco.
  • em 24-02-2021 às 00:20 Crente Conservador Bolsonarista
    Um país sério. Mas parece que a rede globo esta operante lá. Estao querendo transformar o país em esquerda.
  • em 22-02-2021 às 17:52 Betinha
    Cruz creduns!!!
  • em 22-02-2021 às 12:29 Cris
    Aquela religião, sempre como justificativa da violência e intolerância.