União Europeia declara bloco "área de liberdade" LGBT+

Resolução busca garantir proteção e direitos a membros dessas comunidades e impõe derrota a políticos conservadores da Polônia e da Hungria.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 12 de Março de 2021

O Parlamento Europeu, órgão legislativo da União Europeia, aprovou nesta quinta-feira (11/03) uma resolução que declara o bloco uma "área de liberdade LGBTIQ".

A medida busca assegurar proteção para as comunidades lésbica, gay, bissexual, transgênero, intersexual e queer em todo o bloco, e reagir contra países-membros da UE que vêm adotando políticas anti-LGBT, como a Polônia e a Hungria.

A resolução afirma que "os direitos LGBTIQ são direitos humanos" e foi aprovada com o apoio de 492 eurodeputados. Outros 141 votaram contra e 46 se abstiveram.

A iniciativa teve o respaldo de diversos partidos do Parlamento Europeu e se opõe "ao crescente discurso de ódio por parte de autoridades públicas e representantes eleitos", segundo o texto.

A resolução critica expressamente o presidente polonês, Andrzej Duda, reeleito no ano passado. Ele se posiciona frequentemente contra direitos LGBT+ e afirma que os membros dessa comunidade seriam uma ameaça às famílias.

A Hungria também foi destacada na resolução, por ter "severamente bloqueado" direitos fundamentais devido a uma norma que, na prática, impede o reconhecimento legal de gênero por pessoas transgênero e intersexuais.

De uma forma geral, o texto também critica outras leis e práticas discriminatórias adotadas em todo o bloco, composto por 27 países.

Comentários (3)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 17-03-2021 às 00:39 Crente Conservador Bolsonarista
    E Deus declara fogo e rajada. O inferno está pegando fogo.
  • em 15-03-2021 às 13:18 sociabilista
    alguém providencie uma jaula pra esse abutre (Felipe)
  • em 14-03-2021 às 15:07 Felipe
    A Europa cospe onde comeu. Polônia e Hungria são resistências, que devem ser apoiadas. Dessa Europa moderninha e politicamente começam a surgir bairros onde o domínio islâmico é total e os estupros explodem. Daqui um tempo, o homem europeu precisará pedir licença para ser europeu e estar na Europa. Se bem que disso tudo está nascendo uma coisa, nem bem homem, nem bem mulher. Delicada, incapaz. Gente, parem de ser ingênuos, pelo amor de Deus. A destruição de valores europeus é algo perigoso. Quando Harry e Meghan Markle vão à televisão defenestrar a Família Real Britânica e o ensino superior britânico se vê dominado pela Ditadura Chinesa, é preciso que acordemos: a Ditadura Chinesa exportou seu comunismo, como quem exporta franquia. É grave, bichas!