Íris defende fala transfóbica contra Ariadna

Durante o programa No Limite, participante trans desabafou sobre dificuldades, e que recorreu à prostituição por falta de opções.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 08 de Junho de 2021

Em uma longa série de stories, Íris Stefanelli voltou a defender sua fala transfóbica contra a participante Ariadna durante o programa 'No Limite'. Na ocasião, Ariadna desabafou a respeito das dificuldades, preconceito e exclusão que sofreu como uma mulher trans, e que recorreu à prostituição por falta de opções. Íris disse que ela sempre teve opções, e disparou que o preconceito existia apenas na mente de Ariadna.

Nos vídeos em seu Instagram, Íris afirmou que permanece convicta de que Ariadna poderia ter procurado outras opções que não a prostituição, e explicou que recebeu tantos ataques de ódio por causa do episódio que sua família acabou sofrendo. De acordo com a ex-BBB, seu irmão, Everton Stefanelli, estava sóbrio há sete meses e recaiu no uso de drogas por não suportar ver Íris ser acusada nas redes sociais.

"Se eu falo pra uma pessoa que ela não tem opção de vida e ela tem que se prostituir, o que o Brasil vai achar? Como você diz que uma pessoa não tem opção, quem você acha que você é? Essa história fez um estrago na minha família. Se eu falo que ela tem que se prostituir, eu ia apanhar que nem cachorro no Brasil. Injustiça das grandes. Mas eu aguentei calada, porque eu tenho um trabalho maravilhoso, uma loja maravilhosa, Deus me honra todo dia", explicou, chorando.

"Pessoas que são atacadas na internet sofrem problemas seríssimos, até depressão, suicídio, e isso é muito sério. Meu irmão é dependente químico, ele tinha sete meses limpo e ia sair da clínica. Depois dessa injustiça que ele viu que eu passei, ele recaiu. Minha mãe nunca deu autorização pra eu falar, mas diante disso que estamos passando... esse julgamento é ridículo", completou.

Entenda o caso

No segundo episódio de 'No Limite', Íris e Ariadna discutiram logo após a tribo Carcará vencer a prova do privilégio. Ariadna explicou aos colegas a realidade de uma mulher trans no Brasil, e que foi obrigada a recorrer à prostituição devido ao preconceito e inexistência de empregos.

"Eu acho que as pessoas precisam tentar outras coisas, estudar", afirmou Íris. Calma, Ariadna explicou que a colega estava fazendo um julgamento de valor sem nunca ter passado pelas mesmas dificuldades. "Não julga, amiga. Você vive num conto de fadas, você tem mais privilégios. Eu colocava currículo daqui, dali, não arrumava nada. Eles viam que eu parecia um homem, daí você acha que eu fui pra onde? Pra esquina de onde morava. Eu não tive opção", desabafou.

"Teve opção sim. Isso tá na sua cabeça. Eu até lavei roupa pros outros", rebateu Íris. Sem paciência, Ariadna explicou que o discurso da colega é transfóbico: Você não pode falar uma coisa quando não está dentro da realidade. Você é uma mulher branca, loira, cisgênero e dos olhos verdes". Elana e Zulu defenderam Ariadna, e logo a conversa morreu.

Comentários (5)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 10-06-2021 às 11:13 Bento
    Alguém vê No limite?
  • em 10-06-2021 às 00:21 Crente Conservador Bolsonarista
    Iris é muito gata. De familia de bem. Iris uma menina abençoada pra casar.
  • em 08-06-2021 às 19:18 Luphi
    Pá eu, essa gentalha falsa/hipocrita/2 caras, que se FODAM!!!!
  • em 08-06-2021 às 14:26 Louise
    Esse negócio de ofender; agredir e depois pedir desculpas já deu. Cansou. Falam o que realmente pensam. São cheios de preconceitos . Assumam e pronto.
  • em 08-06-2021 às 13:15 Renato1
    Iris, Patricia, Cartolano, Malafaia eles são todos iguais primeiro batem depois pedem desculpas, pensem e cuidem de suas vidas e deixem os outros em paz.