Promoção Black Friday Promoção Black Friday

O novo irmão

Esta história é real e eu tinha 16 anos. Quando nos mudamos para a antiga cidade onde meu pai morava, acabei conhecendo um meio-irmão e nos tornamos muito próximos.

por Higor

Terça-feira, 24 de Agosto de 2021

Esta é uma história real e eu nunca esqueci. Há uns quatro anos eu morava numa vila pequena que fica entre duas cidades maiores. A gente tinha acabado de se mudar porque meu pai havia falido na época e então escolhemos um lugar pequeno e pacato para ficar longe dos problemas.

Quando cheguei na nova cidade, descobri que tinha um meio-irmão quatro meses mais novo que eu. Foi quando também descobri que meu pai biológico não era o que havia me criado.

Eu aceitei e até achei legal ter mais um irmão. Ele tinha quase a mesma idade e podia se tornar um grande amigo. Na época a gente tinha 16 anos.

Passamos a morar perto e de fato nos tornamos amigos como eu já previra. Ele era legal e passamos a fazer muitas coisas juntos. Saíamos com amigos para tomar banho de rio, jogar bola ou brincar de pique-esconde. Nessa época os pelos do corpo começaram a crecer, mas o meu pênis continuava lisinho. Notei que começou a ficar mais grosso e maior e já ficava mais difícil esconder quando ele ficava duro.

Eu adorava bater punheta nos fundos do quintal onde morava. A casa era uma chácara e bem ao longe, depois de um pomar e uma plantação de café e banana, havia um barranco alto com um banco de areia de frente para um riacho.

Eu me escondia nesse banco de areia e foi lá que gozei pela primeira vez. Gozei muitos jatos e o tesão era imenso. Chegava a doer quando meu pau latejava.

Eu e meu irmão já estávamos muito íntimos e falávamos sobre coisas da puberdade, sobre masturbação, sobre gozar dormindo e outras coisas. Um dia decidi mostrar pra ele o meu esconderijo.

Eu ia explicar e mostrar algumas coisas porque ele ainda tinha muitas dúvidas. A principal delas era saber se o tamanho do pênis dele era normal, então falei que tinha um lugar onde a gente podia conversar tranquilo.

Lembro que era uma quinta-feira, por volta das 16h. Fomos pra esse banco de areia, ele era bem extrovertido e foi numa boa. Chegando lá, a gente se sentou e começamos a conversar. O papo de sexo me deixou excitado e não consegui me controlar. Como eu já era muito pauzudo, não deu pra esconder o volume no short e ele já percebeu logo de cara.

Ele apertou o próprio pau olhando para o meu volume e disse:

– Caralho... eu achei que meu pau fosse grande, mas tu também tem um cacetão.

– Tu acha? Não é tanto assim não.

– Vamos ver qual é maior?

Ele usava uma bermuda de elancra que já marcava todo o volume do pau, as bolas e o contorno da cabeça, tudo marcando pelo tecido. Ele só pegou e puxou a bermuda pra baixo.

Fiquei de boca aberta. Ele tinha bolas grandes e o pau era retinho e bem grosso. Eu acho que devia ter uns 22cm e uma cabeça linda e perfeita. Com 16 anos nós dois éramos altos e magros. O corpo dele era uma delícia.

Eu tava de sunga por baixo, abaixei primeiro a bermuda e fui desamarrando a sunga enquanto ele não tirava os olhos. Quando botei pra fora ele já tava fazendo movimentos leves de punheta naquele pau delicioso. As bolas se moviam pra cima e pra baixo conforme ele punhetava e continuava olhando pro meu pau.

O meu é grosso e levemente torto pra cima com uma cabeça grande. Ele falou:

– Olha como o meu pau baba.

Eu fiquei doido pra lamber aquele líquido, meu desejo de tocar seu pênis com os lábios só aumentava. Eu não me achava gay, fiquei só em silêncio e comecei a punhetar mais rápido, então meu pau também babou. Tive uma idéia.

– Vamos encostar um pau no outro?

Ele concordou. A gente se levantou e começamos a roçar os cacetes um no outro. O pau dele babava mais e lambuzava toda a cabeça do meu. O tesão foi tão grande que ele me fez virar de costas e começou a roçar o pau no meu cuzinho.

Estávamos em pé pelados e de pau duro ao ar livre e ele me roçando por trás. Eu nunca tinha sido penetrado e o calor do corpo dele, aquele pau grande, quente e retinho roçando no meu cuzinho me deu muito tesão. Eu mais e mais me excitava e parecia que ia gozar.

Falei que eu dava pra ele com uma condição. Queria que ele me chupasse antes.

Ele concordou e disse que eu também teria que chupar.

Foi então que fui mamado pela primeira vez, mas o jeito experiente que ele fez me pareceu que ele já sabia como fazer. Abaixou de joelhos e engoliu de uma vez meu pau. Gemi de tanto tesão. Ele me chupava com a língua e com o céu da boca roçando a cabeça do meu pau e logo em seguida engolia até eu sentir seus lábios encostando no meu corpo.

Ele me mamou por uns 15 minutos e quaze gozei na boca dele.

Ele então parou, se levantou e me fez ficar de joelhos de frente pra ele. Segurou os meus ombros e me fez abaixar em direção àquela pica enorme que latejava e babava.

Comecei lambendo a cabeça do pau, que era muito gostosa. Tentei engolir, mas minha garganta não aguentou. Fiquei pensando comigo como ele conseguiu engolir meu pau. Continuei a chupar e acariciar a bunda dele pressionando meus dedos no seu cuzinho. Ele dizia:

– Chupa, vai... Ahhhhh que delícia... Chupa, chupa... Ahhhhh que tesão da porra! Baba nele todinho, vai...

Eu mamava e ele gemia o tempo todo. Eu estava tentando fazer igual ele, dando o máximo de prazer. Eu percebia que ele estava gostando.

Super excitado, ele me levantou e me virou contra o barranco. Não tinha idéia de como relaxar o músculo anal e ele também não. Então ele só deu uma cuspida na mão e esfregou na cabeça do pau dele.

Puxou minha cintura para trás empinando minha bunda e forçou aquela cabeça no meu cuzinho. Ele forçava mais e mais... e quando ele ja ia voltar o pau para forçar novamente, aquela cabeça enorme entrou.

Senti uma dor enorme, mas que ao mesmo tempo me dava mais tesão ainda. Aquela coisa enorme preenchendo meu traseiro, e justo meu irmão, meu brother e meu amigo. Ele enfim forçou o corpo do pênis todo e uma dor me fez gemer e sentir ainda mais tesão.

Ele dizia:

– Ai caralho, que cuzinho apertado... Que delícia, que tesão, véi...

Ele começou a bombar o pau e eu gemia baixinho. Aquele pau enorme me deixou louco enquanto entrava e saía.

Ele meteu por uns 10 minutos punhetando para mim e não aguentei. Gozei muito! Ele continuou punhetando meu pau, mas parou de meter por um momento. Acho que tava querendo evitar de gozar. Aí ele tirou devagar de dentro de mim e senti uma sensação incrível de vazio, um tesão inexplicável.

Puxei minha bermuda e me sentei no chão. Ele veio e começou a punhetar em silêncio bem colado ao meu rosto e em seguida deu uma bela gozada lambuzando minha bochecha. Era tanto leite que escorreu pelo meu peito. As pernas dele tremiam.

Depois ficou passando a cabeça do pau em mim para espalhar a porra. Mesmo já tendo gozado, meu pau endureceu de novo vendo ele fazer aquilo. Ele esfregou o pau na minha boca, coloquei a língua pra fora e lambi a cabeça do pau dele todo gozado. Tinha um gosto salgado e era viscoso, dava vontade de engolir.

Ele gemeu quando lambi. Depois puxou a cueca e colocou o pau meia bomba dentro da bermuda. Ele disse que tinha que ir pra casa porque o pai ia chegar logo.

Depois dessa primeira vez, nós nos pegamos em diversos lugares. No banheiro da casa dele, no quarto dos pais, na sala, dentro do rio e até mesmo na cozinha eu já mamei ele.

Foi um ano incrível. Logo depois me mudei novamente. Hoje tenho 20 anos. Nós nunca mais gozamos juntos ou nos falamos. Até hoje. Talvez já seja o momento de tentar um novo contato.

Comentários (8)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 02-12-2021 às 02:51 Marcelinho
    Delícia de conto, fiz troca troca com um amigo, foi muito gostoso depois de um tempo começamos a usar calcinha ficávamos no quarto só de calcinha nos chupavamos gostoso, ele gozou na minha boca foi uma delícia
  • em 01-12-2021 às 19:58 Tito
    Adorei o conto. Também tive uma história parecida. Dei pela primeira vez pro meu primo no mato. Eu era virgem e achava que não daria o cu pra ninguém. Mas me apaixonei pela rolona dele.
  • em 08-09-2021 às 12:42 Barnabe
    Nojento! Asqueroso! Pegou doença com certeza.
  • em 02-09-2021 às 22:44 Zequinha
    esta na hora de mundo mais colocar outro conto
  • em 01-09-2021 às 22:05 Jose ararino rosa castro
    Adoro que goze na minha boca para mim engolir toda a porra
  • em 28-08-2021 às 17:39 Guto
    Versatil BH, deixa o cú do outro se lambeu o cheque no pau do outro a boca é dele, oshe... Conto ótimo
  • em 26-08-2021 às 09:04 Versatil BH
    O conto é bom, mas para quem nunca havia dado quando seu irmão tirou um pau de 22cm do seu cú com certeza o cheque era certo e você ainda lambeu a cabeça do pau dele. Vamos ser mais realistas nesses contos.
  • em 24-08-2021 às 22:31 Zequinha
    Fantastico o contp, bem adolescente