Arquiteto do Rio troca de noivo na véspera do casamento e surpreende os convidados

Depois de organizar uma festa de mais de R$ 250 mil, Eder Meneghine se desentendeu com o ex-parceiro faltando menos de 24 horas para a cerimônia. A solução foi procurar pelo antigo namorado e oferecer a ele seu sonho de casamento.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 13 de Setembro de 2021

O casamento do arquiteto e decorador Eder Meneghine, 60 anos, no restaurante Solar das Palmeiras Rio, na Ilha da Gigóia, Zona Oeste da cidade, nesta terça-feira (7), foi marcado por surpresas.

Os convidados chegaram a ser avisados que a noite seria inesquecível. O que ninguém imaginava é que a grande novidade seria a troca do noivo.

No convite enviado a 120 pessoas, constava o nome do mineiro Dyl Reis, de 23 anos, parceiro de Meneghine nos últimos meses. Porém, quem subiu no "altar" para dizer o "sim" que o arquiteto tanto esperava foi seu antigo namorado, o chefe de cozinha Hugo Oliveira, de 44 anos.

"Ninguém ali nunca vai esquecer aquela noite, isso eu tenho certeza. Mas não vai ser pela beleza do lugar ou pela qualidade da comida e bebida. Mas sim pela surpresa, pela experiência que eles vivenciaram naquele momento", comentou Eder Meneghine.

Festa dos sonhos

Por mais de dois meses, Eder, que também é dono de restaurantes e locais para eventos, organizou a festa dos seus sonhos. Ele gastou mais de R$ 250 mil com decoração, estrutura e serviços.

Entre os convidados, figuras conhecidas da high society carioca, como a socialite Vera Loyola, o cineasta Neville D’Almeida, a drag Isabelita dos Patins e a baronesa Bete Suzano.

"Eu fiz questão de contratar o melhor bolo, de colocar a melhor decoração, fazer o melhor salmão, a melhor paella, o melhor camarão, colocar 20 garçons servindo os melhores uísques e champanhes, dois DJs, tudo da melhor qualidade. Fiz o que eu pude e montei a festa mais deslumbrante possível. Eu estava feliz da vida", contou Meneghine.

Desilusão de véspera

Menos de 24 horas antes dos convidados chegarem ao evento, porém, Eder e Dyl tiveram um desentendimento que motivou a separação repentina. Segundo o arquiteto, alguns problemas impediram a sequência do relacionamento.

"Eu o conhecia relativamente muito pouco. A gente se gostava, e eu o levei para morar comigo na minha casa. Com o tempo, eu tive essa vontade de fazer essa festa de casamento, como eu já fiz para muitas pessoas, vários artistas. E eu falei com ele: 'Vamos casar?'. Só que ele tem 23 anos e eu tenho 60. Eu tinha a intenção de ser feliz. E eu achava que fosse ser", revelou.

No dia anterior ao casamento, Eder se deu conta que estava envolvido em uma série de problemas pessoais decorrentes dessa relação e tomou a decisão de romper o compromisso.

Contudo, o empresário não desanimou e manteve a festa e a cerimônia. Faltava então conseguir outro noivo... foi aí que ele procurou um antigo namorado, o chefe de cozinha Hugo Oliveira, com quem sempre manteve um contato como amigo.

"Eu vivi por quase 20 anos com meu grande companheiro, um chefe de cozinha fabuloso. A pessoa responsável até por encaminhar o que eu consegui construir com meus restaurantes. Eu pensei em dar a esse homem, que sempre foi correto comigo, a oportunidade que eu ia dar para uma pessoa que nunca fez nada por mim", contou o empresário.

Convite tradicional

O convite aconteceu de bate-pronto. "Você é o cara da minha vida. Quer casar comigo amanhã?", perguntou Eder Meneghine. A resposta imediata de Hugo, segundo Meneghine, foi um sim retumbante, seguido por muita emoção.

Eder revelou que, apesar de não ter sido planejado, o pedido de casamento foi um momento especial e de muita cumplicidade. Para ele, era hora de valorizar quem sempre esteve por perto. O noivo contou que pensou até mesmo na garantia de direitos para os casais homossexuais e como aquilo seria importante para ele e o futuro marido.

"Por que não casar com essa pessoa que sempre foi correta comigo e garantir para ele direitos civis que ele merece? Por que não garantir um futuro de qualidade? Na verdade, não é que ele seja o grande amor da minha vida, mas eu descobri naquele momento de dificuldade que eu tinha na figura do Hugo Oliveira o maior amigo e parceiro de toda minha vida. E eu nunca dei pra ele a oportunidade que ele merecia", disse Eder.

'Festa 10 vezes melhor'

Passado todo aquele momento de incerteza e depois de confirmar o parceiro para realizar seu sonho, Meneghine estava pronto.

E foi ao som de "Con te Partirò", uma clássica música italiana, que a presença de Hugo foi revelada para todos os 120 convidados da festa, que até aquele momento não tinham a mais pálida ideia de que Dyl era ex-noivo.

"Nessa hora foi uma loucura. Teve gente desmaiada, mais de 20 minutos de aplausos, uma vibração com chapéus para o alto. Um êxtase total. A festa foi 10 vezes melhor do que seria. Foram oito horas de evento e 150 garrafas de espumante italiano", recordou Meneghine.

Lição

Passado o calor dos acontecimentos, Eder Meneghine conseguiu tirar um ensinamento de toda a confusão pré-casamento.

Segundo ele, muitas pessoas passam por situações de insegurança na busca por aceitação e acabam não valorizando as pessoas que realmente foram importantes.

"Se eu puder inspirar outras pessoas com a minha história, eu vou ser realizado. Nunca passem pelo que eu passei. Porque eu fui bom, honesto, carinhoso, companheiro e na verdade encontrei uma pessoa que não teve a visão como a minha. As pessoas às vezes só pensam em se favorecer diante de uma relação com o outro", disse.

"Eu fiquei feliz com a adesão dos amigos, com a festa, com a decisão do Hugo. E na verdade, eu não sou uma pessoa que acredita em Deus, mas eu vou dizer do fundo do coração: Mesmo que você queira desenhar o seu caminho, o seu destino, você não é nada se não tiver nas mãos de uma força superior. Nenhum escritor de novela escreveu um enredo como esse", completou o mais novo casado do Rio de Janeiro.

Comentários (14)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 17-09-2021 às 07:47 Marcelo
    O tal ex, esta estampado na cara dele que so queria a segurança financeira que o coroa lhe proporcionava, a casa caiu, agora ele tera que voltar para a pista pq esta mais do que provado que o coroa o conheceu, fazendo MICHÊ no ATERRO DO FLAMENGO.
  • em 16-09-2021 às 02:01 Felipe
    Então quer dizer que "a maricona estava sumidíssima"... Tadinha dela. Bem, fato é que o primeiro bofe, aquele que ela deixou no altar (ou fora do altar. Não entendi direito) é bem mais bonito do que o outro.
  • em 14-09-2021 às 17:51 Cris
    Concordo PLENAMENTE com Marcela!
  • em 14-09-2021 às 11:43 Aline
    A mona tsva na reserva rsrs. Aceitou de cara substituir a outra novinha. Geeeeeenti que horror!
  • em 14-09-2021 às 10:16 Venneneh
    Era um dos ditos "emergentes", os novos ricos do Rio no final dos anos 1990/2000. Com a Vera Loyola como o seu expoente máximo na época. Fazia de tudo pra aparecer esse dizia o "gay-mor" do Rio! Aff...
  • em 14-09-2021 às 10:13 Venneneh
    Essa maricona estava sumidissima.
  • em 14-09-2021 às 08:26 Lipe
    O Dyl, ex-noivo, é uma delícia e deu sua versão para o site Metrópoles.
  • em 14-09-2021 às 07:56 Marcelo
    O EX NOIVO, VIA NO COROA, UMA TABUA DE SALVAÇÃO. O QUE MAIS IMPRESSIONA, É O EX TER SE CONTENTADO COMO 2ª OPÇÃO. EU JAMAIS
  • em 13-09-2021 às 23:30 Crente Conservador Bolsonarista
    A festa foi boa ? Conta outra.
  • em 13-09-2021 às 22:17 Reflexivo
    Caso típico de Alpinista social...
  • Mostrar mais comentários...