Califórnia determina que lojas criem setor de gênero neutro para brinquedos

Lei assinada pelo governador quer acabar com discriminação de gênero entre crianças; determinação também inclui produtos de higiene.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 11 de Outubro de 2021

No último sábado (9), a Califórnia se tornou o primeiro estado nos Estados Unidos a sancionar lei que decreta que lojas varejistas de grande porte criem setores para disponibilizar brinquedos de gênero neutro. Legislação foi assinada por Gavin Newsom, governador do Estado norte-americano, e quer acabar com estereótipo de “produtos para menino e para menina”.

Com o Projeto de Lei nº1084, as lojas vão precisar criar um novo setor que se diferencie das áreas com gênero. Além de brinquedos, o mesmo deve ser feito para produtos de higiene pessoal, como fraldas e escovas de dente, por exemplo. O texto reforça que não será proibido ter setores separados com gênero, apenas determina a criação de uma nova área.

A legislação foi apresentada pelo deputado Evan Low, que celebrou a decisão de sanção e se disse agradecido ao governador. Segundo ele, a ideia de escrever a lei foi inspirada na filha de 10 anos de um de seus funcionários. Ao visitar uma loja, ela viu que brinquedos considerados “para meninos” estavam fora de seu alcance por ela ser uma menina.

“Precisamos parar de estigmatizar o que é aceitável para certos gêneros e deixar as crianças serem crianças. A minha esperança é que este projeto de lei encoraje mais empresas em toda a Califórnia e nos EUA a evitar o reforço de estereótipos prejudiciais e ultrapassados", diz Low.

Apesar da lei, algumas marcas e lojas já possuem uma sessão sem gênero. É o caso da Target, varejista que deixou de separar os brinquedos por gênero em 2015. A loja possui mais de 1915 lojas em todo território estadunidense. Mesmo com a sanção, democratas de grupos conservadores afirmam que essa é uma maneira permitida pelo governo de fazer com que os filhos digam aos pais como comprar.

A lei entra em vigor em 2024 e será válida para varejistas que contam com, no mínimo, 500 empregados. Isso quer dizer que lojas de pequeno e médio porte não serão penalizadas caso não cumpram com a medida. Caso não seja obedecida, a primeira penalidade terá multa de US$250 (R$1.377 na cotação atual). Em outras ocasiões, o valor cresce para US$500 (R$2.755).

Comentários (6)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 13-10-2021 às 10:15 Ceia
    E vou denunciar o site tb, pois permite esse cabra safado ofender os gays em seu proprio site! Isso é o cumulo do absurdo!!!!
  • em 13-10-2021 às 10:14 Ceia
    Gente, bora denunciar esse filho da p, esse falso crente usado por satanas? Eu já vou fazer isso agora!!!!!
  • em 12-10-2021 às 18:26 Crente Conservador Bolsonarista
    Pois meus filhos são todos machos alfa. Sempre brincaram de revólver, de matar, de polícia e ladrão. E assim se tornaram muito macho. Agora se eu entro numa loja dessa e meu filho me pede uma boneca pra brincar de casinha eu quebro as mais e os braços dele dentro da loja mesmo.
  • em 12-10-2021 às 10:30 Para Felipe
    Verdade! Sobre o Corcunda de notre Dame, toda vez que assisto a esse filme mexe muito comigo, pois tenho uma deformidade fisica, só quem tem uma, sabe como é dificil lidar com uma sociedade falsa/hipocrita/cruel! Felizmente, sou casado ah 14 anos e muito bem casado, tenho meus amigos que amo muito tb, mas...................A sociedade num geral é muito cruel, quando se trata desse assunto, na tv tomo mundo ama e respeita, pregam o amor como se fossem Cristo, mais fora das cameras, muitos são verdadeiros demonios, infelizmente! Em fim........A vida continua..........Beijos.
  • em 11-10-2021 às 20:56 Felipe
    Trechos de artigo da Revista Oeste: O problema dessa cultura de cancelamento é que ela tem porta de entrada, mas não tem porta de saída. É uma rodovia expressa para o inferno da ignorância e do autoritarismo. Eles impõem uma realidade que não faz sentido fora das bolhas que frequentam. Hoje foi Pepe Le Gambá. Quem vai ser amanhã? Que perguntas serão feitas por esses censores empoderados? Por que os zumbis de Walking Dead têm a pele escura? Tom e Jerry não provocam a cultura do ódio? O elenco de Friends é adepto da supremacia branca? A série chamada Mad Men não poderia ser trocada por outra chamada Mad Women (ou Mad Non Binary)? 101 Dálmatas seria a glorificação de uma raça pura (de cães)? Tarzan, esse velho símbolo do colonialismo, não deveria ser substituído por um negro africano nativo? O Rei Leão, título que simboliza o poder machista, não deveria ser cancelado e substituído por uma Rainha Leoa? Mary Poppins não representa a submissão profissional das mulheres? O Corcunda de Notre-Dame não seria uma ofensa aos deficientes físicos? São perguntas estúpidas, todas elas. Mas provavelmente estão sendo formuladas por essa elite oculta, disposta a transformar nossas vidas numa chatice sem fim. Elas serão ouvidas por quem manda na cultura. E provavelmente obedecidas em todos os detalhes nesse pesadelo “woke” que estamos vivendo. Eles só agem em países democráticos. A ditadura do Partido Comunista chinês anunciou que todos os personagens de games produzidos no país deverão ter “gênero definido”. Basta que um único personagem não possa ser identificado como homem ou mulher para que o projeto todo seja vetado. Mas a China é respeitada pelos “wokes” por ser “anti-imperialista”. “Wokes” não se importam com o que acontece em países regidos por ditaduras. Danem-se as mulheres e os homossexuais do Irã. Eles têm coisas mais importantes a fazer, como banir do mundo um gambá de sotaque francês. A situação só tende a piorar, se não houver resistência. Enquanto essa destruição for encarada como algo inevitável, vai continuar. É elitista, artificial, contraditória ao máximo. Mas está se impondo e se espalhando, alimentada por nosso silêncio.
  • em 11-10-2021 às 18:01 Crente Conservador Bolsonarista
    Linda atitude! Tem meu total Rapoio!