Promoção Black Friday Promoção Black Friday Promoção Black Friday

Grupo que usava Grindr para atacar, roubar e abusar de homens gays é condenado

Um jovem foi o último dos cinco condenados pelos crimes, conforme nota emitida pelo Departamento Federal de Justiça dos EUA nesta quarta-feira.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 15 de Outubro de 2021

Daniel Jenkins, de 22 anos, foi condenado a 23 anos de prisão, por fazer parte do grupo que promovia ataques a homens gays nos EUA.

Daniel Jenkins, de 22 anos, foi condenado a 23 anos de prisão nesta quarta-feira (14) por fazer parte de um grupo que usava o aplicativo de paquera focado em homens gays Grindr para selecionar pessoas que sofreriam ataques posteriormente. Ele já havia sido considerado culpado pela Justiça dos Estados Unidos em junho por crime de ódio e uso ilegal de armas durante uma das investidas contra pessoas LGBTQIA+.

Jenkins e o grupo que participava cometeram, além de crimes de ódio, sequestros, agressões, roubos e outros tipos de violência contra homens gays que encontravam no aplicativo. O jovem foi o último dos cinco condenados pelos crimes, conforme nota emitida pelo Departamento Federal de Justiça dos Estados Unidos. As ações do bando ocorriam desde dezembro de 2017, quando Jenkins e outro jovem começaram a criar perfis falsos no Grindr para roubar, agredir e extorquir usuários.

“Este réu tinha como alvo vítimas inocentes por crimes violentos simplesmente porque acreditava que eram gays”, disse a procuradora-geral assistente Kristen Clarke, da Divisão de Direitos Civis do Departamento de Justiça, no comunicado. Ela acrescentou que a sentença “reforça o compromisso do Departamento de Justiça em processar agressivamente crimes motivados por preconceito, incluindo crimes contra a comunidade LGBTQI”.

Alguns dos ataques ocorreram recentemente, ainda no início deste mês. À época, o grupo marcou um encontro com um dos usuários da plataforma e, armados, o forçaram a retirar dinheiro de um caixa eletrônico.

Em outro incidente, Jenkins admitiu, conforme os promotores, que ele e o grupo “atraíram várias vítimas” para um condomínio, apontaram uma arma para as vítimas, roubaram-nas e as agrediram. Na ocorrência, eles insultaram os homens e um membro tentou abusar sexualmente de um deles.

Comentários (5)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 17-10-2021 às 15:26 Cris
    Aplicativo de pegação possui inúmeros riscos. Até pessoalmente está difícil confiar. Veja-se a história do outro que trocou de noivo, pois ele havia levado 17.000 reais do sujeito, s.i.c.
  • em 16-10-2021 às 13:24 Beto
    Continuando… é essa atração pelo mesmo sexo que o indivíduo não consegue admitir . Invariavelmente são homossexuais com sérios problemas de auto aceitação . Cadeia e terapia neles .
  • em 16-10-2021 às 13:23 Beto
    Se tentou “abusar “ sexualmente de uma das vítimas é porque sentiu desejo por aquele homem . Uma das motivações ( fora o roubo ) é essa atração pelo
  • em 15-10-2021 às 23:30 Zequinha
    Todo cuidado é pouco com encontros marcados por aplicativos
  • em 15-10-2021 às 19:40 Curuminho Pinto Rosado
    Custava respeitar o zoto/Próximo meu fio? Agora esta ai, novim, e totalmente fudido nas forma da lei! É uma pena, tão novim/Bunitim, mais com a mente totalmente encapetada!....Em fim......Próxima matéria, pufavô!