Promoção Black Friday Promoção Black Friday Promoção Black Friday

Florista que se recusou a fazer arranjos para união gay terá que indenizar casal

"Sou cristã e acredito na Bíblia e na Palavra de Deus [...] Não podia pegar os talentos artísticos que Ele me deu e usá-los para contradizer e desonrar a Sua palavra", defendeu Barronelle Stutzman.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 22 de Novembro de 2021

Desde 2013 que este caso estava na Justiça e, apenas agora, oito anos depois, em 2021, ficou solucionado. Barronelle Stutzman, a proprietária da florista Arlene's Flowers, em Richland, nos Estados Unidos, terá de pagar uma indemnização no valor de 5 mil dólares - cerca de 4.430 euros - por ter se negado fazer os arranjos florais para o casamento de Robert Ingersoll e Curt Freed, por tratar-se de um enlace entre duas pessoas do mesmo sexo.

O Supremo Tribunal leu a sentença na última quinta-feira (18) depois de, em julho passado, ter se recusado a ouvir Stutzman, com a alegação de que estava a violar a lei antidiscriminação do Estado norte-americano de Washington.

A florista, apesar de considerar Robert Ingersoll como um "querido amigo", decidiu recusar-se a trabalhar para o casamento, justificando o seu "temor a Deus". "Eu sempre fiquei maravilhada por ter estas oportunidades criativas, como também sempre adorei vender-lhe buquês de flores. Mas, desta vez, o evento especial que celebrava era o seu casamento com outro homem. E essa é uma linha que não cruzarei, nem por amizade", declarou Barronelle Stutzman, citada pela Advocate.

E acrescentou: "Sou cristã e acredito na Bíblia e na Palavra de Deus [...] Não podia pegar os talentos artísticos que Ele me deu e usá-los para contradizer e desonrar a Sua palavra".

Agora, com o caso terminado, Robert e Curt vão doar o dinheiro que receberam à PFLAG, uma organização não-governamental que ajuda pessoas LGBTQ e as suas famílias nos Estados Unidos.

Comentários (12)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 25-11-2021 às 12:32 Eu
    Rodrigo e Loiro, não sejam tolos meus keridos! Triste o que amada? Cada um tem sua opinião, simplis assim! E loiro meu fio, quem lhe disse que Deus é só amor, quem disse? Deus é amor sim, mais tb é......Justiça/fogo consumidor, e Deus não vai mudar para fazer graça a su criatura, fato imutavel! Quero ver quando tu tiver cacara a cara com o Deus todo poderoso, se vc vai ter coragem de chama lo e preconceituoso/Monstro e etc...! Lava sua boca kerida, pra falar abobrinha sobre Deus Pais, dono de tudo e todos! E outra coisa, JESUS está voltando SIM! O inferno é real sim, assim como o céu lindo de Deus tb é! E existe vida depois da morte sim! E só existe destinos para alma seguir depois dessa vida terrena, ceu, ou inferno, fato! Não esta satisfeito com essa realidade? Reclame com DEus, pois foi o proprio, que determinou assim! Bom dia .
  • em 24-11-2021 às 15:06 Felipe
    E ainda que isso importe, a unanimidade que reclama, em pisotear religiões, especialmente as cristãs, justamente aquela que assegura a esse casal a liberdade de se casar. Filosofia grega, direito romano, cultura judaico-cristã. O Ocidente está pisoteando em si mesmo.
  • em 24-11-2021 às 15:02 Felipe
    A militância gay reclama uma unanimidade que nem as piores ditaduras reclamaram. E isso, honestamente, me assusta.
  • em 24-11-2021 às 10:06 Rodrigo - Goiânia
    Triste ver alguns comentando que bastava o casal procurar outra florista. Poxa, pare e pense: e se fosse prática aceitável pela justiça que comerciantes discriminassem clientes? Teríamos uma negativa em atendimento sem precedentes, e isso não é nada aceitável ou justificável. No Brasil a lei veda tal preconceito, e acredito que em grande parte de países democráticos também. Reflita, não basta aceitar e procurar outro para atender, temos de fazer valer a lei, e foi assim que no passado outros gays tiveram de, até morrer, para que hoje possamos ter essa página livre.
  • em 23-11-2021 às 21:00 Loiro
    Essa florista se dizia "amiga" de um dos noivos. É nessas horas que a gente vê quem é amigo de verdade. O povo inventa um deus cheio de ódio. Um Deus que só quer ver a união e felicidade dos héteros. Inventam um monstro preconceituoso e ainda dizem que ele é amoroso. Total contradição.
  • em 23-11-2021 às 13:51 Wilson
    Se ela também se recusava a fazer arranjos florais para casais que tivessem feito sexo antes do casamento, estaria sendo coerente com a religião que segue.
  • em 22-11-2021 às 23:29 Tonny
    O casal está correto, ainda mais se a florista se diz amiga…
  • em 22-11-2021 às 21:32 Cris
    Religião não é justificativa para intolerância ou preconceito.
  • em 22-11-2021 às 21:32 Cris
    Religião não é justificativa para intolerância ou preconceito.
  • em 22-11-2021 às 21:14 Lipe
    Caso complicado. Entendo os dois lados. Até que ponto um comerciante pode deixar de atender um cliente? Até que ponto pode haver interferência nas crenças individuais?
  • Mostrar mais comentários...