Governo perde recurso e Botsuana descriminaliza sexo gay e lésbico

Decisão da corte do país foi tomada de forma unânime na segunda-feira (29/11).

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 01 de Dezembro de 2021

Em decisão unânime na segunda-feira (29/11), os cinco juízes da Corte de Apelações de Botsuana mantiveram decisão da Suprema Corte que, em 2019, legalizou o sexo gay e lésbico. O recurso, interposto pelo governo, pedia que a “questão política” fosse decidida pelo Parlamento e não nos tribunais.

Na apelação, foi argumentado que o código penal local proibia o sexo homossexual e que não havia evidências de que a atitude das pessoas em relação à homossexualidade tivesse mudado.

O código penal de Botsuana, elaborado sob o domínio britânico, proíbe “o conhecimento carnal de qualquer pessoa contra a ordem da natureza”. Os condenados podem pegar até sete anos de prisão.

Ao indeferir o recurso do governo, o presidente da Corte de Apelações, Ian Kirby, afirmou que a criminalização de atividades consensuais entre pessoas do mesmo sexo violava os direitos constitucionais de lésbicas, gays e bissexuais.

Presidente do Conselho de Lésbicas, Gays e Bissexuais de Botsuana (Legabibo), Sethunya Mosime comemorou a decisão.

“Isso mudará para sempre a paisagem da democracia, dos direitos humanos e da igualdade em Botsuana. Finalmente, o Estado não terá nada a ver com o que dois adultos consentidos fazem em sua privacidade”, disse à agência Reuters.

“Este caso testou a democracia do Botsuana e a independência do Judiciário. Podemos dizer com veemência que o Botsuana é uma verdadeira democracia.”

A homossexualidade masculina ainda é proibida em 34 países do continente africano e a feminina, em 28.

Fonte: Metrópoles

Comentários (1)
  • em 02-12-2021 às 17:35 Lia
    Um país que não me interessa. Xô preconceito