Deserto Particular revela filme sobre paixão gay

Existe coragem num filme em que o principal personagem é um militar que se descobre homossexual.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021

Premiado em Veneza, o filme escolhido para representar o Brasil no Oscar chega aos cinemas. O diretor Aly Muritiba afirma que levou ao exterior imagem de que o país não é apenas discurso de ódio e queima da Amazônia.

O filme Deserto Particular, selecionado pela Academia Brasileira de Cinema para representar o Brasil na disputa por uma vaga entre os indicados ao Oscar 2022, estreou em 25 de novembro no país. Trata-se de um mergulho na complexidade do Brasil profundo, revelado pelo desenrolar de uma história de amor.

A trama se passa em dois contextos bastante distintos entre si. Na cidade de Curitiba, Daniel, um policial afastado do trabalho, vive a angústia de ter cometido um erro do qual se arrepende. Quando a situação fica insuportável, ele se joga na estrada rumo ao sertão da Bahia, à procura da misteriosa Sara, que só conhece pelo celular. Nessa jornada, o policial descobre novos cenários e algo ainda mais precioso: sua fragilidade. "Tem sido muito bonito falar de um outro Brasil para os gringos agora", afirma o diretor do longa, Aly Muritiba. "O Brasil de que se tem falado no exterior é o do discurso de ódio, que queima a Amazônia, com altas taxas de desemprego. Eu chego ao exterior com a imagem de outro Brasil, que também é habitado por conservadores, mas é tolerante; que é habitado por crenças neopentecostais que acreditam em curas impossíveis, mas que também é capaz de amar e de cuidar", diz.

E os "gringos" parecem gostar do que veem. Neste ano, Deserto Particular venceu o prêmio do público no Festival de Veneza, sendo aplaudido de pé por dez minutos. Na seleção brasileira para o Oscar, o longa desbancou o favorito 7 Carcereiros, produção da Netflix.

Deserto Particular disputa uma vaga entre os cinco indicados ao Oscar na categoria Melhor Filme Internacional. Uma lista de pré-selecionados deve sair no dia 21 de dezembro, e a lista final, em 8 de fevereiro de 2022. A premiação está marcada para 27 de março de 2022.

A forma sensível com que Muritiba apresenta os conflitos internos dos personagens dobra o espectador. É quase impossível não sentir compaixão com o policial, que toma consciência de seu próprio aprisionamento à medida que a narrativa evolui. A masculinidade tóxica e seus impactos são tema recorrente no trabalho do cineasta. "Além das máculas que você causa nas pessoas que vão cruzando seu caminho – e elas são muitas, pesadas e dolorosas –, existe um peso muito grande também para quem tem que sustentar essa máscara, para quem tem que bancar o tempo inteiro esse comportamento alfa, possessivo", diz Muritiba.

O diretor de Deserto Particular acredita que a capacidade de criar empatia com o outro pode recriar laços rompidos pela divisão política do país. Antes de se estabelecer no mercado audiovisual, Muritiba trabalhou como carcereiro por sete anos. "Isso foi essencial para eu me formar um melhor contador de histórias, perdidamente apaixonado pelos seus personagens. Sou completamente capaz de respeitar um policial militar agressor, assim como uma avó evangélica neopentecostal que manda o neto embora, porque eu entendo que aquele mandar embora é também um gesto de amor, de proteção", reflete.

Mesmo com a temática que aborda questões LGBTQIAP+, o diretor entende que sua obra não "fala apenas para convertidos".

"Você passa dois anos trancado em casa por casa da pandemia, sem conhecer gente nova, sem viajar, sem beijar na boca. E aí você está vacinado, vai ao cinema e assiste ao 'Deserto Particular', um filme que os personagens viajam, se tocam, se apaixonam, se beijam, gozam. Os personagem estão fazendo tudo o que nos foi tirado nos últimos dois anos.

Comentários (3)
  • em 08-12-2021 às 08:25 Lipe
    Acho que rolou spoiler do MM. No trailer, não tem nada de filme gay…
  • em 08-12-2021 às 00:33 Crente Conservador Bolsonarista
    Esse filme é a esquerda atacando nosso amado presidente. Mas Trump é amigo de Bolsonaro e esse filme não vai ganhar prêmio nenhum. Não vai nem chegar nos 5 escolhidos pra representar o Oscar. Com Deus e Bolsonaro não se brinca.
  • em 07-12-2021 às 23:27 Netto
    Deserto Particular é o filme. Filme pra vc refletir. Confesso que fiquei anestesiado com a poesia que o filme nos passa sobre o Amar e o Amor. Topíssimo!!!!!!