Leandro Narloch perde ação contra Fefito por comentários homofóbicos

Na época, Narloch gerou indignação por usar termos como “opção sexual“, além de restringir a contaminação por HIV à população homossexual e associá-la à promiscuidade.

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 12 de Maio de 2022

O jornalista e escritor Leandro Narloch, de 44 anos, perdeu a ação judicial que movia contra Fefito. Em julho de 2020, foi noticiado que a CNN Brasil rescindiu o contrato de Narloch unilateralmente após comentários homofóbicos. Na época, Narloch gerou indignação por usar termos como "opção sexual", restringir a contaminação por HIV à população homossexual e associá-la à promiscuidade ao comentar a decisão do Superior Tribunal Federal (STF) de liberar a doação de sangue por homossexuais.

Na época, Narloch gerou indignação por usar termos como "opção sexual", restringir a contaminação por HIV à população homossexual e associá-la à promiscuidade ao comentar a decisão do Superior Tribunal Federal (STF) de liberar a doação de sangue por homossexuais.

A ação movida por Narloch contra Fefito foi considerada improcedente pelo juiz, que ressaltou que o ex-CNN reconheceu, em suas redes sociais, ter feito um comentário que "pudesse parecer a alguns homofóbicos ou preconceituosos".

Narloch e seus advogados ainda podem recorrer da decisão judicial. Confira a decisão do juiz:

"O Autor reconheceu em rede social que seu comentário pode ter parecido a alguns homofóbico ou preconceituoso (fl. 55). E lamentou tal fato, reforçando seu respeito às minorias. Nesse contexto, não há ato ilícito cometido pelo Requerido ao noticiar o fato na internet (fls. 25/27). Mesmo entendendo - sem excesso/abuso do direito - que o comentário do Autor foi homofóbico".

Comentários (1)
  • em 13-05-2022 às 22:29 Jorge Jorge
    Em Oeste, li isto, que, penso, resume perfeitamente essa situação de Fefito: Ah, Chico, você é o cara, é o único da espécie que tem álibi e salvo-conduto para ser branco, heterossexual e comedor, rico, herdeiro e bem-sucedido. Tirando você, todos os outros branquelos são opressores e machistas. Ah, Chico, como se não bastasse, você ainda é talentoso, um baita sambista. Mas escritor, putz, só se for pras suas comadres e pra meia dúzia de vampiros e justiceiros sociais que se nutrem há décadas das alminhas dos enjeitados e pobre-coitadinhos. Vade retro.