Amstel leva cartório à Feira da Diversidade para retificar nomes

Trâmite será realizado de forma gratuita e com acompanhamento de representantes legais em ação paralela à Parada do Orgulho LGBT.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 14 de Junho de 2022

Pela primeira vez um cartório vai às ruas do centro de São Paulo durante a Parada do Orgulho LGBT+ para facilitar o processo de retificação de nomes para as pessoas transgênero. A iniciativa é da Amstel, a cerveja oficial da Parada. 

O serviço estará disponível durante a 20ª Feira Cultural da Diversidade da Parada LGBT+ que compõe o calendário de eventos da Associação da Parada do Orgulho LGBT ao longo do mês de junho.

As pessoas interessadas podem realizar um pré-cadastro no site www.amstelbrasil.com/paradasp. Lá estão disponíveis todas as informações e explicações sobre o processo. 

Os inscritos receberão o direcionamento para comparecer e apresentar os documentos necessários no estande da Amstel na Feira Cultural da Diversidade da Parada LGBT+, no dia 16 de junho no Largo do Arouche, na capital paulista.

Lá, será possível realizar todo o trâmite de retificação de nome inteiramente custeado pela marca com acompanhamento de representantes legais. Quem for ao stand com todos os documentos (certidão de nascimento, RG, CPF, título de eleitor e comprovante de residência), finaliza o processo na hora e em seguida poderá retirar os novos documentos no 34° Cartório, localizado na rua Frei Caneca, 371, SP.

“Por meio desta ação, a Amstel dá continuidade à sua frente de iniciativas conectadas com a comunidade e visa facilitar as pessoas a serem quem quiserem ser também nos documentos oficiais”, afirmou Vanessa Brandão, diretora de marketing das marcas mainstream do Grupo HEINEKEN no Brasil.

Comentários (2)
  • em 14-06-2022 às 21:16 Crente Conservador Bolsonarista
    Agora só vou beber Skol e Budiuaiser. Essa amstel è uma fresca.
  • em 14-06-2022 às 20:55 Jorge Jorge
    Hipócritas. Vergonhosamente, o Brasil é um dos únicos países a exibir publicidade de bebida alcoólica. Nos IMLs do país, amontoam-se cadáveres, vítimas diretas ou indiretas da cerveja. E esses palhaços encomendam aos maconheiros do marketing que inventem alguma coisa que lhes faça parecer bonitinhos. Pronto: a gayzada que é chegada a emprestar seu cu à militância GLBT tem orgasmo. Foda-se, Amestel. Foda-se, parada gay. Fodam-se os poucos que enchem as burras de grana com esse tipo de evento. Minha homossexualidade não está à venda, seus filhos da puta!