Fórmula 1 lança campanha contra comportamentos abusivos nas corridas

A 'Drive It Out' acontece após incidentes recentes de ofensas racistas e homofóbicas de espectadores e assédio sexual de torcedoras mulheres.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 03 de Agosto de 2022

A Fórmula 1 lançou no dia 30/7 a iniciativa 'Drive It Out' contra comportamentos abusivos. A campanha acontece após incidentes recentes de ofensas racistas e homofóbicas de espectadores e assédio sexual de torcedoras mulheres.

A organização do esporte afirmou que está enviando uma mensagem clara e unida de que o abuso nas corridas e nas redes sociais precisa parar e quem o dissemina não é bem-vindo.

A campanha, motivada especialmente por incidentes no GP da Áustria neste mês, foi lançada com um vídeo que contou com os 20 pilotos, o presidente-executivo da Fórmula 1, Stefano Domenicali, e o presidente da Federação Internacional de Automobilismo, Mohammed Ben Sulayem.

'A Fórmula 1 é sobre competição e rivalidade', disse Domenicali, abrindo um comunicado que foi continuado por uma sequência de pilotos que estão competindo na Hungria neste fim de semana.

'Mas também respeito. Respeito como competidores, respeito por nossos fãs, respeito por toda a família da F1. Qualquer tipo de abuso é inaceitável. Se você não consegue ser respeitoso, então não faça parte do nosso esporte", continuou o comunicado.

"Não podemos deixar ilesos quem acha que pode xingar os outros", disse o heptacampeão mundial da Mercedes, Lewis Hamilton, antes de outros completarem o anúncio.

"Temos o dever de apontar isso e dizer 'chega'. Estamos agindo como uma comunidade para bloquear quem xinga os outros na internet. Não vamos permitir abuso nas nossas corridas. Mas também precisamos que as plataformas de redes sociais combatam o abuso online de peito aberto", complementou.

"Aqueles que se escondem atrás das redes sociais com visões abusivas e desrespeitosas não são nossos fãs. Estamos unidos e pedimos que vocês se juntem a nós pra tirar isso de todo o esporte e da sociedade. Vamos fazer isso juntos", finalizou o comunicado.

Na Áustria, onde a maioria da torcida estava a favor do campeão mundial da Red Bull, Max Verstappen, houve relatos de homens bêbados assediando mulheres, de cantos homofóbicos e ofensas racistas.

O tetracampeão mundial Sebastian Vettel cobrou banimentos vitalícios, e Hamilton disse que estava "enojado e decepcionado" pelo comportamento.

Desde então, a Fórmula 1 falou com os promotores de Grandes Prêmios para garantir que haja planos para lidar com incidentes quando eles surgirem e também acompanharem a venda de álcool durante os fins de semana de corrida.

Comentários (0)