Assine o MundoMais

Bispos Revoltados

Bispos criticam aprovação de união gay. Para eles, o casamento pressupõe que homens e mulheres gerem filhos.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2011

SÃO PAULO - Pouco depois de o Supremo Tribunal Federal retomar, no início da tarde desta quinta-feira (5), o julgamento de ações sobre o reconhecimento da união entre casais do mesmo sexo, que resultou na aprovação por unanimidade, alguns bispos em São Paulo se manifestaram contra a proposta. Para os religiosos, que estiveram reunidos na 49ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no interior do Estado, a Igreja defende a família como uma instituição formada por homem e mulher, capaz de gerar filhos.

Dom Anuar Battisti, gaúcho e arcebispo de Maringá (PR), chegou a dizer que chamar de casamento a união entre homossexuais representa uma “agressão frontal” à família. Para ele, se o projeto for aprovado no STF, as pessoas estarão “institucionalizando a destruição da família”. O encontro anual do episcopado ocorre em Aparecida, no Vale do Paraíba. A pauta principal dos religiosos neste ano é eleger a nova direção da CNBB. Eles também discutirão diretrizes da ação evangelizadora.

“O ser humano de fato se realizará na sua profundidade de sua relação na constituição da família a partir de um casal formado por homem e mulher”, afirmou dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, bispo auxiliar de Belo Horizonte. Questionado sobre o que pensava sobre a adoção de crianças por pais do mesmo sexo, respondeu: “A adoção é um serviço da mais alta nobreza. Só não aceitamos fazer a equiparação com a família. Não é família. É uma comunidade de pessoas”, disse ele, ao se referir aos casais homossexuais que vivem juntos.

Fora da pauta

Polêmico, o assunto foi abordado por jornalistas na entrevista, por volta de 15h30, em que quatro bispos estavam presentes. O porta-voz do evento e arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, tomou o microfone e lembrou que o tema “não é assunto da assembleia” e não está na pauta do encontro, que vai até o dia 13 de maio. Apesar disso, ele se posicionou, dizendo que a Igreja “sempre defende e defenderá o direito das pessoas” e ela é “contra a exclusão”. No entanto, ressaltou que a família “é uma entidade que vem do direito natural”.

Ao dar seu ponto de vista, dom Edney Gouvêa Mattoso, atual bispo diocesano de Nova Friburgo (RJ), pediu discernimento. “Uma coisa é a união civil. A outra é o casamento, que é um sacramento da Igreja. O direito de duas pessoas constituírem patrimônio é consenso, mas não devemos chamar isso de casamento.”

Para dom Edney, se a proposta for aprovada no STF, “nada vai mudar” no posicionamento da Igreja Católica. “Ela vai continuar defendendo os direitos da família e a nossa fé. Isso também é liberdade.”

O bispo auxiliar de Belo Horizonte, dom Joaquim Guimarães, afirmou que, se os ministros votarem a favor da união estável entre os casais homossexuais, a Igreja vai precisar reforçar suas posições. “Esse assunto já foi discutido em outros países. No Brasil, devemos dar o exemplo para reforçar nossa ação na criação de convicção nas pessoas. Ainda que a lei permita isso ou aquilo, a minha convicção é essa.”

Fonte: G1
Comentários (78)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 11-05-2011 às 19:02 cepasant
    Se casa,emto é só para gerar filhos, coitados dos homens e mulheres heteros que são estéreis, vão para o inferno, se tentarem inseminação artificial então é passagem direta pro capeta. Esses bispos deveriam para de achar que somos só animais, somente os bichos se juntam para procriar e olha que já foi provado que a homossexualidade não exclusividade da espécie humana.
  • em 11-05-2011 às 12:47 Felipe
    Conheço a instituição por dentro, sei que vários padres, seminaristas, bispos, são homossexuais, escondem atrás da Instituição, são preconceituosos com os outros, mas internamente o que acontece é piadas, relacionamentos homossexuais, e pior de tudo é que continuam enganando os outros e roubando das pessoas para sustentarem seus luxos, garotos de programa....Já fui seminarista..sei como é...Bando de hipócritas
  • em 11-05-2011 às 08:23 Jean-SP
    O mais triste disso tudo é continuarem execrando, preconizando e criticando o "Ser Humano" por causa de uma orientação sexual. Isso é o mais inaceitável de toda essa nojeira-politica-religiosa, que no passado matou, aniquilou vidas em nome de Deus. E hoje continua matando de maneira mais lenta, doentia, massacrando sentimentos, e aterrorizando o psicológico de muitos.
  • em 10-05-2011 às 19:06 LUIZ FERNANDO
    ESSES BISPOS QUE SÃO UMA BERRAÇÃO DA NATUREZA,SÃO VIADOS ENCUBADOS,PEDOFILOS E OUTRAS COISAS MAIS,PORQUE SO FICA ESCONDIDO ENTRE PAREDES DE IGREJA.MELHOR ELES CUIDAR DOS REBANHOS DELES QUE CADA DIA FICA MENOR,EM VEZ DE SE METER COM NOS.
  • em 10-05-2011 às 17:38 Sandro
    Senhores Bispos, se o problema è o nome, ok, podemos criar outro, fiquem com a palavra casamento pra voces, nos podemos criar outros bem melhores e mais divertidos, UNIAOGAY, CASAGAY, MATRIGAY, UNIGAY..etc. o nome, nao nos interessa. Dai a Cesar o que è de Cesar, a Deus o que è de Deus. Voces por favor cuidem das igrejas, da parte espiritual, que por sinal anda bem ruinzinha, deixem o Direito Civil com os civis, nao se intrometam, mais cedo ou mais tarde isso sera aprovado e voces vao cair do cavalo, no final, ate voces vao querer CASAR, desculpe nao posso usar esta palavra pois pertence a voces, entao vou usar outra, atè voces vao querer UNICAR, FUNICAR?
  • em 10-05-2011 às 01:34 Fudedor
    Espero que a família não acabe nunca, nem os relacionamentos heterossexuais, afinal de contas, de onde vem as coisas lindas que eu me encanto sempre? Das buças, só a mulher poder gerar as coisas que nós gays nos apaixonamos, e que saiam destas, muitos que curtam outro cara, mas sem elas, a extinção é fato. Respeito as mulheres. Outro ponto é agora que houve um avanço, vamos nos dar o respeito e lutar para que cada vez mais parceiros se juntem de forma exemplar, afinal somos uma comunidade, mesmo com filhos, e não uma família. Há que se provar que comunidade tem dignidade, felicidade e vida.
  • em 09-05-2011 às 21:15 Luh Alves (ymother@hotmail.com)
    Mas é cada uma, estes BISPOS deveriam cuidar dos mts PADRES PEDOFILOS que existem pelo país abusando de menores. Isso sim é nojento. Vcs ñ tem idéia de como isso é freqüente. E os evangélicos sabem que ñ devem julgar, e sim mostrar com SABEDORIA a palavra de Deus. Bandos de PORCOS, HIPÓCRITAS, vão cuidar de suas vidas. Conquistamos essa VITÓRI e ñ é nenhum preconceituoso que vai mudar este FATO!! Engulam. E cuidem dos seus próprios rabos!
  • em 09-05-2011 às 12:06 Aleksander (aleksander_rodrigues123@hotmail.c
    Sinceramente acho que com tantos problemas que a nação brasileira se encontra é um absurdo as autoridades religiosas ficarem gastando suas energias com uma lei que em outras palavras preza pelo " AMOR " !!! Por favor gente, sejamos inteligentes e voltemos nossas atenções para coisas que realmente ajudará o próximo!!!
  • em 09-05-2011 às 11:41 Hanc
    Sou católico, conheço bem a Igreja Católica, e felizmente sei que não são todos os bispos e padres que pensam assim como esses idiotas e dissimulados que fazem o jogo do Vaticano. Não concordo com casamento, gay e hetero, no geral acho casamento algo ultrapassado, que restringe a liberdade. Não é o casamento gay só que acho anti-natural; acho tb o casamento em si, pois Deus nos deu uma natureza pra ser vivida e muitos casamentos hj é perda total de liberdade e controle de um sobre o outro...acho um contrasenso Só concordaria com o casamento se ele mudasse de estrutura e se adequasse aos novos tempos. Mas, deixo bem claro, que isso é pensamento meu, respeito e apóio aqueles que pensam e querem diferente. E o que Igreja devia fazer é trilhar os caminhos de Jesus: só pregar amor. Se algo vai ajudar a alguém a viver melhor, por que vou ser contra? A união civil e estável para homossexuais, é preciso deixar bem claro, que é para os homossexuais. Quem é hetero, se é hetero de verdade, vai continuar sendo hétero, em nada vai mudar na vida deles..."Ah, vai destruir a família!"_ será que um homossexual casado forçadamente com uma mulher para satisfazer a sociedade é sinônimo de família estruturada? Ou vice-versa! Manda esses bispos deixarem de ser idiotas. Aliás, deixa eles serem idiotas, a opinião deles não vai mudar em nada mesmo!!!! Bobo é quem ficar preocupado com isso. (E olha que estou falando de dentro, viu?)
  • em 09-05-2011 às 11:17 Julio S.
    Eu, primeiro não existe "homossexuaLISMO", assim como não existem "sexuaLISMO". O que existe é homossexuaLIDADE, já que estamos falando em sexuaLIDADE, segundo, se eles podem nos condenar, achincalhar, lutar(com unhas e dentes) contra nossos direitos, NÓS também podemos, e devemos, nos posicionar de forma contrária e nos sentirmo revoltados sim, pois, SE eles apenas ficassem em suas igrejas pregando sua fé, ótimo, parabéns a eles, MAS, todos sabemos, a não ser aqueles que são MAL informados, que não é isso o que acontece.
  • Mostrar mais comentários...