quero assinar Entrar na área VIP

Sou da paz!

Jovem gay relata sua dificuldade para entrar na tribo dos skinheads, e luta contra a homofobia nas ruas de São Paulo.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 27 de Julho de 2011

Danilo, 29 anos, defende a luta contra a homofobia nas ruas de São Paulo.Danilo, 29 anos, defende a luta contra a homofobia nas ruas de São Paulo.

Aos 16 anos, Danilo se interessou pela cultura skinhead, de suspensórios, coturnos, tatuagens e cabeças raspadas. Entrar nessa tribo teria sido fácil, não fosse por um detalhe: ele é gay.

Eu pensava: não dá para eu falar que sou skinhead porque os caras não gostam de gay, diz.

Naquela época, alguns carecas já ocupavam as páginas policiais dos jornais, com seus ataques a negros.

Mas esses fascistas são minoria, assegura, apesar de ser alvo deles. Ele diz que a tribo cultural surgiu na Jamaica, nos anos 60, e se disseminou com imigrantes que foram trabalhar como operários na Inglaterra, no mesmo período em que o movimento punk também surgia nos subúrbios britânicos.

Ao explicar por que resolveu entrar para esse grupo, diz simplesmente: Skinhead é um cara que gosta de ouvir ska, tomar cerveja e jogar futebol com os amigos.

Hoje, aos 29 anos, ele articula uma das vertentes que ajudou a criar, há dois anos: a Ação Antifascista, que reúne 136 pessoas na rede social Facebook.

O grupo também tem duas lésbicas skinheads, seis punks bissexuais e dois que se definem como assexuados. O restante é heterossexual, mas defende a luta contra a homofobia.

Somos contra qualquer tipo de preconceito e lutamos pelas liberdades.

Eles costumam se reunir em botecos, semanalmente, mas agora terão uma sede própria, com direito a eventos para tentar desmistificar a ideia de que todo skinhead e punk é brutamontes.

Desde que foi criado, o grupo já participou de uma marcha contra a homofobia que ocorreu no fim do ano passado (depois que garotos atacaram homossexuais com lâmpadas fluorescentes na avenida Paulista), de marchas contra o aumento do preço do ônibus, a favor da legalização da maconha e, mais recentemente, esteve na Parada Gay.

Pela primeira vez, eles participaram do evento em grupo, empunhando uma faixa que dizia que punks e skinheads estavam juntos (o que já é raro) contra a homofobia. O ato foi surpreendente para muita gente, que chegou a aplaudir o grupo durante o desfile.

Até policiais se surpreenderam: os membros da Ação Antifascista chegaram a ser enquadrados minutos antes de começar a Parada e foram detidos quando se reuniam para organizar a participação, na quinta-feira anterior.

Em maio, na marcha da maconha que terminou em confronto com a polícia, Danilo quebrou um braço ao tentar fugir de uma bomba de efeito moral. Ficou uma semana internado e, três dias depois de sair do hospital, foi atacado por uma gangue neonazista chamada Front 88.

Hoje ele evita a Galeria do Rock, a rua Augusta, a Paulista e a Liberdade, onde essas gangues se reúnem, por ser alvo fácil: É como se eu andasse com uma setinha: aqui, anarquista, skinhead e homossexual, bata nele.

Comentários (24)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 20-10-2011 às 22:17 Peterson
    A palavra “homofobia” é um termo politica e ideologicamente carregado. De maneira geral, os ativistas homossexuais e seus simpatizantes o interpretam como “agressões e assassinatos de homossexuais”. Mas então, um padre ou pastor que prega contra a prática homossexual se torna alvo do rótulo “homofóbico”, numa tentativa suja de intimidar os cristãos e transformar a denúncia cristã contra o pecado em conduta equivalente ao comportamento dos que agridem e matam homossexuais. Mas a origem da maioria das agressões aos homossexuais são as brigas com seus parceiros e clientes sexuais.
  • em 02-08-2011 às 01:38 alem
    para de viajar......o que muda?
  • em 31-07-2011 às 19:16 Dâmaso Salcede
    O Brasil é o país das aporias, dos simulacros, das tentativas vãs de mostrar que é um país tolerante, não violento e que as diferenças são aceitas sem maiores ofensas e agressões. O ódio, o preconceito e o não reconhecimento do outro com as suas singularidades criam um ambiente de contínua brutalidade. Vivemos um momento difícílimo, no qual as agressões do cotidiano, as asperezas do dia a dia, a falta de educação e as grosserias imperam e vicejam quais as sete pragas do Egito. Os ensinamentos de Cristo, "amai-vos uns aos outros( não importa se o "amor que não ousa dizer o seu nome") não estão sendo considerados, melhor, respeitados. Parafraseando Castro Alves, " Meu Deus, meu Deus, livrai-nos desse mal... dos skinheads da vida, dos malfeitores da sorte, das cassandras do inferno!!! Livrai-nos...livrai-nos...Amém!!! Amém!!!
  • em 28-07-2011 às 23:26 ALFM - Para eduardo
    desculpe ai meu, foi muito infeliz mesmo meu comentário. Nada tenho contra as pessoas da outras refiões do pais!
  • em 28-07-2011 às 23:19 ALFM
    Haha eu sabia que tocar no assunto, nordestinos e misturas de raças, ia gerar uma polemicazinha, peço desculpas aos 2 caras que se sentiram ofendidos com meu comentário infeliz, nada tenho contra negros, pardos, nordestinos; Mas esse moleque ai da reportagem eu daria umas boas palmadas se fosse a mãe dele; Vocês consegue compreender o quão absurdo é um gay participar de um movimento desses? Eu era bem menor, e lembro muito bem dos ataques de skins a jovens gays em um trem (vi na tv) e no ano seguinte um assassinato de um adestrador de cães na praça da republica, e suscetivas noticias todos os anos de ataques desse grupo, que nada tem haver com a cultura musical dos anos 70 como disse o colega ai abaixo. Realmente, meu comentário foi MUITO infeliz, e para não me igualar a estrela ai da noticia que pertence a tal grupo preconceituoso, (SIM), peço desculpas. mas continuo com a opinião que esse garoto é um desorientado, e "despersonalizado".
  • em 28-07-2011 às 16:55 henrique
    que vá para o inferno esse babaca vagabundo !!!
  • em 28-07-2011 às 10:33 ex punk
    Como é que o cara me entra numa gang de homofóbicos sendo gay? (gang sim por que quem sai na rua agredindo os outros em grupo é ganguista) se tu gosta de Ska (ritmo jamaicano q mistura regae e hardkore) curte teu ska mas ñ saia na rua inventando moda!!! temos que acabar com estes monstros intolerantes ñ se identificar com eles, usando as mesma roupas e atitudes !!!! se vc gósta de movimentos de contra cultura, entre para o movimento Punk, que luta pela igualdade e pela liberdade dos póvos desde que surjiu na decada de 70, eu vivi o movimento Punk na decada de 90, morei em squat e tive um namorado Punk também e a comunidae Punk se orgulhava de ter um casal gay no meio deles, ja os Skins Carécas sempre foram uma gang extremista nazista. (não use suspensórios com cuturno e cabeça raspada) e se vc ver alguém assim desconfie e denuncie, é assim que eles se véstem!
  • em 28-07-2011 às 09:24 sóbrio
    bom dia,gostaria muito de conhecer esse rapaz que se chama Danilo.Quero parabenizar pela coragem e determinação. Equipe do mundo mais,por favor pela sua competência conceda-me me comunicar com esse jovem.Meu interesse é apenas me comunicar e parabenizar. Aqui esta meu msn: antoniosobrio@hotmail.com espero resposta pelo meu e-mail que é o mesmo que do msn. grande abraço Obs: não me deixa sem resposta,confio na competência dessa equipe.
  • em 28-07-2011 às 09:18 Para Júnior
    Tudo bem Jr que o " a cultura skin" tenha surgido nos anos 70, mas esse sentimento poético ficou naquela época, o que importa é o hoje, e hoje, os skinheads estão matando pessoas por pura maldade, seja por ignorância, ou falta de conhecimento seja o que for, portanto não se faz necessário fazer uma pesquisa dos anos 70 e 80 para ver que o mal está ai e quer se expandir. Esse tipo de atitude deve ser reprimida com altivez.
  • em 28-07-2011 às 09:07 Para ALFM
    Os neonazistas tupiniquíns que aparecem na televisão são SUDESTINOS meu caro amigo virtual, para a sua falta de informação, as misturas entre povos não ocorreram só na região Sudeste nem Sul do Brasil não, na região Nordeste também existe, porém acredito que a sua falta de conhecimento no assunto se dar por conta da sua falta de dinheiro por não conhecer outros lugares, por isso tem uma cultura tão limitada, aconselhe-o que se intere mais do assunto quando for tentar dar alguma opinião. Ahh, a propósito, você não pode classificar o seu lugar como maioria branca, pois o Brasil é estatisticamente formado por mais de 50% da população de negros e pardos(o que não é uma desonra para ninguém, só para uma cabecinha doente como a sua), vá se tratar amigunho.
  • Mostrar mais comentários...