Assine o MundoMais

Ataque homofóbico

Dois jovens são espancados por um grupo de homens, no centro de João Pessoa.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 15 de Maio de 2012

Dois jovens gays foram espancados na madrugada desta segunda-feira (14) quando saíam de uma boate no centro de João Pessoa (PB). Eles foram surpreendidos por um grupo de homens que, sem nenhum diálogo, começou a espancá-los. Agressões a LGBTs são frequentes no centro da capital pessoense, segundo o presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL), Renan Palmeira. Até o final da manhã de hoje, os agressores não tinham sido identificados pela polícia.

Os dois jovens, segundo Palmeira, não prestaram queixa na delegacia especializada. “Acredito que o caso não foi registrado porque a orientação sexual deles não é assumida publicamente. Eles preferem ficar no anonimato, pois revelar a identidade poderia causar sérios constrangimentos”, declarou.

“É um problema recorrente que temos. Sabemos que há um grupo que tem o objetivo exclusivo de roubar e espancar gays”, declarou Palmeira. O problema já foi levado ao conhecimento da Polícia Militar da Paraíba. O presidente do MEL informou que no centro de João Pessoa há uma concentração de boates voltadas ao público LGBT, que se sente amedrontado com a violência, gerada pelo preconceito. Não há números oficiais sobre a quantidade de casos de agressão sofrida por LGBTs.

Segundo dados do movimento, nove LGBTs já foram mortos este ano na Paraíba.

“Pelos relatos que chegam à entidade, há grupos que ficam rondando o centro aos finais de semana com o intuito de roubar e espancar os gays. Os mais vulneráveis são os que precisam voltar para casa de transporte coletivo”, disse Palmeira.

A reivindicação da entidade é que o policiamento seja reforçado no centro de João Pessoa, para coibir os casos de agressão. “Vale lembrar que precisamos de um tratamento respeitoso como todos os demais cidadãos. Não é porque uma pessoa é homossexual que a violência pode ser admitida”, finalizou.

Comentários (31)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 18-07-2012 às 16:37 junior
    meu Deus onde isso vai parar esses caras ta pensanmdo o que,que os gays são bichos nem bicho aff eles são os montros não sei quando isso vai acabar tenho 2 amigos que são irmão jemeos eles estavam abraçado indo para casa veio 3 montro e comesaram a bater neles um infelismente veio a obito o outro até hoje é traumatizado não sai mas de casa os mostro estão preso mais a vida do meu amigo se foi pra sempre eles falaram que bateu por q pensou q era gay ate hoje sofro por om que morreu era meu namorado faz3 anos que não me relaciono com nimquem..
  • em 14-07-2012 às 14:06 Wes
    é gente to antando com um punhal na meia do tenis ta foda isso putis
  • em 19-05-2012 às 22:51 OBSERVADOR...P/ RODRIGO
    por incrivel que pareça...o estado que concentra maior número de terreiros é o RIO GRANDE DO SUL...SÓ PRA CONSTAR.
  • em 19-05-2012 às 13:42 DIEGO-(JOÃO PESSOA-PB)
    PARABÉNS DEPUTADO JAIR BOLSONARO E PASTOR CÍLAS MALAFAIA ,VOCÊS CONSEGUIRAM...!!! NÃO ERA ISSO QUE VOCÊS QUERIAM, VER JOVENS ESTUDANTES ESPANCADOS E QUASE MORTOS NA RUA ,SOMENTE POR CAUSA DA SEXUALIDADE,...TALVEZ SE FOSSEM TRAFICANTES HÉTEROS,OU ESTUPRADORES DE FILHAS DOS OUTROS,TIVESSEM O APOIO DE VOCÊS...!!! ___EU POR SORTE SOU GAY TENHO 17 ANOS MINHA FAMÍLIA ( PAI E MÃE) SABEM E ME ACEITAM,...MAIS UMA VEZ TENHO SORTE POIS MINHA FAMÍLIA TEM CONDIÇÕES DE MANTER UM SEGURANÇA QUE ME ACOMPANHA Á POUCA DISTÂNCIA, POSSO ESTUDAR E IR ONDE QUISER QUERIA VÊ-LOS MEXEREM COMIGO... COVARDES!
  • em 18-05-2012 às 13:22 Thiago/RJ
    Acho que vou dar uma passada no Paraguai, para comprar spray de pimenta e uma arma de choque... Ou alguém conhece algum lugar que venda isso no Brasil?
  • em 18-05-2012 às 10:34 anonimo
    Ritrovil é o marcos aurelio gente.
  • em 17-05-2012 às 07:39 Jobara - Rio Grande do Norte
    Acho interessante e ridículo os comentários que as pessoas postam aqui, sei que cada um tem o direito de comentar, postar, falar, dizer a sua opinião ou expor os seus comentários, mas, devemos analisar ou ter muito cuidado em determinados pré julgamentos, pois, a pessoa fica exposto e para desembarasar o que já escreveu (muitas vezes não por maldade, e sim por não conhecer realmente a determinada região ou lugar). Em questão aos comentários referente ao Nordeste sobre a discriminação ou violência ou morte de determinados homossexuais ou sem ser homossexuais, infelizmente isso ocorre em todas as regiões brasileiras, pois, as pessoas muitas vezes não estão preparadas para aceitar as diversidades - elas podem ser: pela cor, pela orientação sexual, pela religião, pelo da música, pela roupa que veste, pelo penteado, enfim sendo algo diferente que não seja o TRADICIONAL isso já se torna uma afronta aos costumes do séculos passados que foram impostos para igreja, pelas famílias tradicionais... Infelizmente caros amigos, eu moro no Nordeste com belas praias, cidade entorno de 803.739 mil habitantes (conforme o senso em 2010) e as pessoas são bem amistosas, acolhedoras, mas, isso não quer dizer não tenha preconceitos, eu estaria mentindo em afirmar. Só sei que cada um tem que fazer a sua parte e não posso querer ou impor que as pessoas me aceite, apenas desejo que respeite, mas, isso tenho que fazer a minha parte e faço todos os dias. Quero dizer também que na região de São Paulo existe preconceitos como mostra esse levantamento: Levantamento da Secretaria de Direitos Humanos (SDH) - ao qual o Estado teve acesso e que será divulgado na segunda-feira - aponta que, em 39,2% dos episódios de violação relatados contra a população LGBT, o agressor foi um desconhecido; em 22,9%, vizinhos; e em 10,1%, os próprios amigos. De janeiro a julho, o Disque 100 recebeu 630 denúncias contra a população LGBT. As vítimas concentram-se na faixa etária de 19 a 24 anos (43%) e de 25 a 30 anos (20%). Os casos mais comuns de violência contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais são os de violência psicológica (44,38%), como ameaça, hostilização e humilhação, e de discriminação (30,55%). Das vítimas, 83,6% são homossexuais, 10,1%, bissexuais e 4,2%, heterossexuais que sofrem algum tipo de violência ao ser confundidos como gays. No recorte feito por Estado, São Paulo (18,41%), Bahia (10%), Piauí (8,73%) e Minas Gerais (8,57%) lideram as denúncias - o Rio de Janeiro aparece com apenas 6,03% - por já contar com um serviço semelhante oferecido pelo governo estadual. Vamos ter cuidado em fazer determinados levantamentos errado e comentários. Para todos um ótimo dia e que Deus abençoe e proteja a cada dia.
  • em 17-05-2012 às 01:31 correção
    onde tem "tãos", leia-se tão*.
  • em 17-05-2012 às 01:27 Para o "comentário"
    "Comentário", meu amigo, é uma pena que você tenha frequentado tãos boas escolas e uma excelente faculdade mas parece que faltou as aulas de português e gramática.Tadinho do nosso português meu filho... Isso você aprendeu aí? No Eixo do País? hehehehe... Ou a população do "eixo" fala a gente vamos por causa do sotaque? o.O
  • em 16-05-2012 às 23:30 P /CRIANÇAS
    vai aqui uma dica de FACULDADE e UNIVERSIDADE : UEPB UFPB UFCG sâo as mais populares e enconta beybys....
  • Mostrar mais comentários...