Devagar, devagarinho...

Após 11 anos, acusados de matar bailarino homossexual serão julgados em Belo Horizonte.

por Redação MundoMais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013

Em sua eterna vagarosidade, a Justiça brasileira segue com mais um caso sem resolução que só agora poderá ter fim. O crime aconteceu em 2002, quando o bailarino homossexual Igor Leonardo Lacerda Xavier, na época com 29 anos, foi morto com cinco tiros em uma casa de Montes Claros, norte de Minas Gerais.

O zootecnista Ricardo Athayde Vasconcelos, autor dos disparos, chegou a confessar o crime. No entanto, segue em liberdade. Segundo o acusado, a vítima teria assediado o seu filho, Diego Rodrigues Athayde, que também é réu no processo.

De acordo com as investigações, o bailarino se encontrou com Vasconcelos em um bar, na noite do crime. Após uma conversa, os dois saíram do local e foram para a casa do zootecnista. O acusado contou, em depoimento, que foi ao banheiro e, quando voltou, flagrou o bailarino abraçado com o seu filho. Neste momento, ele sacou uma pistola 380 e um revólver calibre 38 e atirou contra a vítima.

O bailarino recebeu cinco tiros, sendo um deles certeiro na nuca. Ainda durante as investigações, Vanconcelos chegou a afirmar que atirou acidentalmente.

O que mais choca nesse caso é que mesmo com a confissão dos réus, o julgamento do crime já foi adiado três vezes. O processo, que corria na comarca de Montes Claros, foi transferido para Belo Horizonte.

“Meu filho não vai voltar, mas queremos deixar isso como exemplo. Aconteceu o crime, sendo homofóbico ou não tem que ter punição. A Justiça tem que tirar a venda dos olhos”, afirmou a mãe da vítima, Marlene Gomes Lacerda Xavier, de 66 anos.

O próximo julgamento está marcado para terça-feira, dia 27 de agosto, no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte.

Comentários (13)
  • em 26-08-2013 às 13:03 gay
    caro Arnold Filho. nenhuma lei vai mudar a mentalidade das pessoas. o mundo não é gay, ele é hétero. esses gays que morrem assassinados, em geral são vítimas de criminosos que matariam qualquer um. também são vítimas de outros homens que são gays e têm relações conturbadas com os parceiros deles. lei nenhuma vai calar a boca das pessoas pois o brasil é um país livre. o que não pode é discriminar, bater, xingar, impedir uma pessoas de ir e vir só por que ela é gay. e isso os gays têm direito garantido. espero que essa lei não seja aprovada. e que as leis que já Existem sejam cumpridas. agora vai dar o bumbum que é o que os gays curtem fazer.
  • em 26-08-2013 às 00:36 Ivan 2
    Talvez uma hipótese mais convincente para ajudar a lesma da justiça é que o pai conseguiu atrair o gay para sua residência, depois do filho ter lhe contado que fora assediado. O resto já se sabe...
  • em 26-08-2013 às 00:19 Ivan
    Tentar compreender as partes é complicado. O bailarino, Igor, encontrou o tal do Ricardo Vasconcelos num bar, conversaram e foram para a casa do dito cujo. Tá, combinaram uma transa?! De repente o filho chegou e flagrou-o em cenas obscenas. O desgraçado para provar que não era nada daquilo, matou o gay para não perder a honra perante o filho. E a justiça cega não chegou a um veredicto porque além de não querer ver é lenta e homofóbica. S´pode ser!
  • em 22-08-2013 às 20:47 Jorge Marcos Freitas
    Conheci todo o drama da mãe do Igor quando a conheci em Brasilia num evento promovido pela sempre nossa senadora Marta Suplicy. A justiça tarda, sabemos disso, agora é torcer que não falhe. Força Marlene será feito Justiça. Isso é o mínimo que esperamos, embora saiba que nada, absolutamente nada, trará de volta alegria que tem uma mãe sente no convívio com seu filho, tampouco minimizará dor da perda de um filho. Beijos Jorge Marcos Freitas - Brasilia
  • em 22-08-2013 às 12:28 ?
    o zootecnista encontra com a vitima num bar, levar pra casa dele e depois vem dizer que estava assediando o filho??? conta outra. com certeza convidou pra transar. juizes hipocritas.
  • em 22-08-2013 às 12:26 não entendo
    por isso que a porra da estátua da justiça simbolo da ignorancia do sistema juridico nacional tem aquela venda nos olhos. é cria do lula molusco, não sei nada sei, não vi nada vejo. basta olharem esse mensalao. o barbosa quer prender, mas o levandowski quer absolver todos os bandidos. sonhem crianças. todas voces vao morrer e nao verão um pais decente. bicha boa é bicha morrando no exterior com um bofe rico.
  • em 22-08-2013 às 04:04 Sandrãooo
    Que eles sejam condenados. Fatalmente tem algo a mais nesta história para o acusado ter matado a vítima. Ciúme doi, doi, doi...
  • em 22-08-2013 às 00:53 Derick
    Mais um crime que apenas ficara como estatística.
  • em 21-08-2013 às 22:27 Lukas
    Nossa e o assassino continua solto? Gostaria de saber como um monstro matador assim consegue viver, comer e dormir em paz. Esse cara tirou a vida de um jovem cheio de vida. Tem que pagar na prisão. Isto é justo. Homofobia ou não ele matou à sangue frio. É um marginal solto que pode matar de novo.
  • em 21-08-2013 às 21:41 titi
    A lei é lenta com todos nao é só com homosexuais, infelizmente é assim a lei brasileira,o novo código do processo civil tem que ser aprovado urgentimente, a camara dos deputados vai votar semana que vem, mas volta pro senado.
  • Mostrar mais comentários...