Sabor a mais

Espírito Santo elege primeiro senador gay assumido do Brasil.

por Redação MundoMais

Segunda-feira, 08 de Outubro de 2018

Candidato ao senado do Espírito Santo pela Rede, Fabiano Contarato foi um dos eleitos ao cargo no Estado com 31,15% da preferência, o que em números reais significa: 1.117.036 dos votos válidos.

Além de ser o primeiro senador abertamente gay do Brasil, a vitória de Contarato tem um sabor a mais por conseguir derrotar seu principal concorrente, o senador Magno Malta, conhecido pelas suas posições conservadoras, contrárias aos Direitos LGBT, e tido por muitos como homofóbico.

Graduado em Direito pela Universidade Vila Velha (UVV), o novo senador capixaba é casado e pai de duas crianças. Ele é professor, palestrante, ativista humanitário e delegado da Polícia Civil desde 1992.

“Passou da hora do Espírito Santo ter o papel de protagonista do Senado Federal. Isso pode ter certeza que eu estando no Senado Federal, isso vai acontecer. Eu darei a minha vida para dar dignidade para essa população menos favorecida, para fortalecer os municípios do interior”, afirmou o político.

Além de Cantarato, Marcos do Val também foi eleito para o senado com 863.359 votos (24,08%).

Comentários (33)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 15-10-2018 às 22:29 Estevao
    A matéria trata do primeiro Senador brasileiro assumidamente GAY, Delegado de Polícia desde 1992, portanto com vasta experiência dentro da seguração pública e ainda tem gente aqui que fica de bla bla bla mimimi . Aaaaaaaaaaaaaaah, só não mando tomar no cu porque vocês gostam! Parabéns ao Fabiano Contarato, parabéns por ter extirpado do Senado Federal o Magno Malta.! Parabéns pelo respeito e confiança que ganhou de mais de um milhão de pessoas. Isso significa bastante para nós!
  • em 14-10-2018 às 20:07 Netto recife
    Faço campanha CONTRA o 17
  • em 11-10-2018 às 17:54 Lulu de Minas
    Jorge Jorge, te quero!!! Sem mais...
  • em 10-10-2018 às 18:15 Jorge Jorge
    Beijo, Cezar. Beijo a você e a pessoa que fez o penúltimo comentário. Beijo a todos.
  • em 10-10-2018 às 08:44 Cezar
    O Gayzismo do mimimi, pira no.............BORSONÁRY kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Hó, escrevi errado, perdão aos professores de plantão, pois o correto é Bolsonaro! Amo escrever errados as vezes, morro de ri, quando vem um pseudo professor interneteiro, querendo me corrigir! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Adoro! Jorge Jorge, eu sei fi, que o homi de brusa listrda tem donu, foi só um comentáry! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Beijos.
  • em 10-10-2018 às 00:47 Aplauso ao Jorge Jorge
    Excelentes comentários do Jorge Jorge. Sou gay com orgulho e com o mesmo orgulho defendo o meu país contra a corrupção desenfreada que o PT institucionalizou. Não sou ovelha de rebanho de nenhuma liderança LGBT. Sou homem livre para decidir o que é melhor pra mim. Zero vitimização. Dignidade não se vende nem se implora. Bolsonaro 17 SIM!
  • em 09-10-2018 às 19:00 Jorge Jorge
    O deputado federal mais votado do Rio de Janeiro foi Hélio Negão. Homem negro, de origem humilde, deveria estar sendo saudado aqui, ao lado dessa mola, que corretamente vocês destacam em matéria de Mundo Mais. Mas por que não está? Homem negro, pobre, de origem humilde. Motivos sobram para a democracia comemorá-lo. Ocorre que Hélio Negão é companheiro de Bolsonaro. Ou seja: com a maior cara-de-pau do mundo, a esquerdopatia brasileira, que domina a imprnsa de um modo geral, e a mídia gay, de um modo particular, impõe o silêncio quando não lhe convém que outros escutem. Ocorre que vocês estão nus no meio da sala de jantar. Só isso. Nus. A Wyllys foi de tapetão, a Aquilla não passou, as candidaturas militantes gays fracassaram. Queira Deus que esta moça seja uma deputada ampla e não apenas alguém agarrado ao ódio que o gayzismo representa.
  • em 09-10-2018 às 17:20 Jorge Jorge
    Willian de Brasília, olha só: a derrota da Wyllys, que ganhou no tapetão, último colocado no RJ, 120 mil votos a menos do que a eleição passada, trouxe luz àquilo que, até então, para muitos aqui, eram só trevas. Começou-se a desenhar, no Brasil, a morte do gayzismo, como meio empresarial por meio do qual, através da dor dos homossexuais, militantes profissionais fazem fama e fortuna. No grupo de acesso, a Aquilla, sempre no lugar errado e na hora errado, amargou pouco mais de seis mil votos em SP. Não se elegeu. Nós, homossexuais, começamos a responder, em silêncio, mas no meio que nos oferta a democracia, as urnas, a todo esse pessoal que nos quer como bois de frigorífico. Começamos a acordar. Assim, Willian, digo a você: Jorge Jorge é hoje uma biba feliz!
  • em 09-10-2018 às 13:53 Willian de BSB
    Vejo aqui algumas pessoas defendendo Bolzo. Tem que ser muito demente pra fazer isso, precisamos de parlamentares que defendam as minorias, do contrário: eu que curto homem e mulher por opção mesmo, vou continuar trancado no armário, e feliz da vida, agora trans, gays afeminados e afins, se depender da vontade de muitos parlamentares e de bozo serão exterminados!
  • em 09-10-2018 às 09:54 Jorge Jorge
    Vejam só: qual é a maior demanda hoje do povo brasileiro, principalmente dos milhões de pobres honestos que vivem em comunidades carentes? A debelação da bandidagem. Ponto. Esta é a principal demanda. Madonna usa seguranças israelenses e nem pisa aqui. Mercury anda de carro blindado. Wyllys tem proteção 24 horas da Polícia Federal. A pobreza pena na mão de bandidos e milicianos, que ultimamente, para piorar as coisas, resolveram se unir. Aí nós elegemos o Haddad e ele reagrupa a quadrilha que assaltou o país, revitaliza a bandidagem armada pelo PT e traça um projeto de cem anos de poder e condução do país à venezuelização. Lei de Murphy, meus caros. Simples assim: Lei de Murphy. De modo que se, nós, brasileiros, independentemente de nossa sexualidade, desejamos fazer uma aposta esta aposta, no momento, tem nome: Jair Messias Bolsonaro. Profundamente honesto, cercado de notáveis, EXTREMAMENTE COMPROMETIDO com a população que o elegeu, Bolsonaro é o único que poderá debelar a bandidagem, unir os brasileiros (expurgar a odiosa ideia de "minorias") e retrazer o Brasil para os eixos.
  • Mostrar mais comentários...