Sangramos da mesma cor!

Madonna receberá prêmio de honra por apoiar comunidade LGBTQ.

por Redação MundoMais

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2019

Com sua música e suas apresentações, Madonna vem fazendo das causas LGBTQ parte enorme de sua plataforma artística há mais de 35 anos. Agora a comunidade se prepara dar a ela o devido reconhecimento.

Na edição 2019 dos GLAAD Media Awards (Aliança Gay e Lésbica contra a Difamação), em Nova York em 4 de maio, a Rainha do Pop vai receber o Advocate for Change Award (prêmio Defender a Mudança, em tradução livre).

Madonna será a segunda pessoa e a primeira mulher na história da organização a receber a homenagem, entregue a pessoas que, com seu trabalho, “mudaram as regras do jogo para pessoas LGBTQ em todo o mundo”.

“Madonna sempre foi e sempre será a maior aliada da comunidade LGBTQ, e é apenas justo que festejemos e honremos nossa maior defensora no maior evento já promovido por nós”, disse Kate Ellis, presidente e CEO da GLAAD.

“Desde a crise do HIV até questões LGBTQ internacionais, Madonna luta incansavelmente por um mundo onde as pessoas LGBTQ sejam aceitas. Sua música e arte são há anos válvulas de expressão fundamentais para as pessoas LGBTQ, e suas palavras e ações de afirmação levaram pessoas incontáveis a mudar de opinião e sentimentos.”

Ao longo de toda sua carreira Madonna usou sua plataforma global para defender a igualdade e aceitação LGBTQ. Temos o orgulho de anunciar que ela receberá o prêmio Advocate for Change nos #GLAADawards em Nova York.)

O primeiro prêmio foi entregue em 2013 ao ex-presidente Bill Clinton. Nesse mesmo ano, Madonna entregou a Anderson Cooper o prêmio Vito Russo nos GLAAD Media Awards, em Nova York.

Fiel à sua mensagem de sempre, a superestrela chegou à cerimônia vestida de escoteira, para protestar contra a proibição (revogada desde então) da organização dos Escoteiros da América à presença de escoteiros e líderes de escoteiros gays. (Assista acima o discurso de Madonna nesse evento.)

A notícia da homenagem da GLAAD foi divulgada semanas depois de Madonna ter dado uma canja de surpresa no Stonewall Inn, em Nova York, na véspera do Ano Novo. Acompanhada por seu filho de 13 anos, David, a cantora sete vezes premiada com o Grammy entreteve os presentes com versões acústicas de seu clássico de 1989 Like a Prayer e um cover de Can’t Help Falling in Love, de Elvis Presley.

Em discurso breve feito antes de subir ao palco, Madonna elogiou os esforços da comunidade LGBTQ para combater “o ódio, a discriminação e sobretudo a indiferença”.

“Se realmente fizéssemos o esforço de conhecer uns aos outros, descobriríamos que todos sangramos sangue da mesma cor e todos precisamos amar e ser amados”, ela disse.

Comentários (9)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 05-03-2019 às 11:27 Para Leandra poc poc
    chata e medíocre é você amada! Fudida és tú, hipócrita é vossa pessoa, que não tolera, a opinião alheia! Vai titica, volta para o cú, de onde você nunca deveria ter saido!
  • em 13-02-2019 às 08:55 Leandro
    Está é a seção mais chata e medíocre do site Mundo Mais. Não pelas notícias, mas pelo teor dos comentários. Isso mostra o perfil dos visitantes. Vergonha alheia total.
  • em 12-02-2019 às 22:41 Marcos DF
    Alguém conseguiu resumir o que anda acontecendo em certos comentários nesse site : INTERPRETAÇÃO DE TEXTO ...
  • em 12-02-2019 às 22:04 Bolsonaro é o Caralho!!
    " E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música ". Madonna apoia a liberdade desde que começou, lá nos 80. O mundo precisa de mais amor sim, mas também precisa muito de interpretação de texto. Viva a arte, viva a música, viva Madonna... Tudo que o fascista não gosta!!
  • em 12-02-2019 às 21:36 Aloka
    Salve a Rainha!!
  • em 12-02-2019 às 18:20 Léo
    Madonna é pioneira, deu a cara à tapa mesmo sem precisar porque está há décadas na jornada. Por isso eu digo, comentar sem levar o contexto histórico é pura ignorância e achismo. Sangramos igual, mas somos muito diferentes mesmo.
  • em 12-02-2019 às 16:21 Bentinho
    Diva LGBTQ, Madonna apóia a causa desde o final dos anos 80, quando ser associadx a essa comunidade não era moda nem oportunismo e sim coisa de artista pervertido (a). Palmas pra ela.
  • em 12-02-2019 às 15:57 Negrão BH
    Diva eterna. Bem diferente das oportunistas que usam a causa das gays e cagam em cima dos viados. Vida eterna para Madonna, sim. Sempre.
  • em 12-02-2019 às 11:44 Seliny Dião
    Não sou fã de ninguém, mas, a mandona rsrrsrs está correta nesse ponto, somos todos iguais! Sangramos a mesma cor, e todos vão feder a carniça debaixo da terra! Beijos.