É Tudo Verdade

Documentário sobre primeira cabo transexual da FAB estreia em abril.

por Redação MundoMais

Quinta-feira, 14 de Março de 2019

"Maria Luiza", documentário dirigido por Marcelo Díaz está na programação do Festival Internacional de Documentários "É Tudo Verdade". O festival deste ano exibirá 66 filmes, em sessões gratuitas, entre os dias 4 e 14 de abril em São Paulo e 8 e 14 de abril no Rio de Janeiro.

O filme retrata a história de Maria Luiza, cabo da Força Aérea Brasileira durante 22 anos e aposentada por invalidez, após assumir sua transexualidade. Investiga os motivos pelos quais foi impedida de continuar a exercer sua atividade militar como mecânica de aviação e realizar seu sonho: vestir a farda feminina. Aborda ainda seus conflitos, suas desilusões e suas conquistas em seu processo de busca de identidade como mulher transexual.

Movido por histórias de transformação pessoal e que de alguma forma questionam o status quo, o diretor conheceu a história de Maria Luiza através de uma reportagem do jornal Correio Braziliense. “Há quase dez anos atrás, Maria Luiza me recebeu em seu apartamento no Cruzeiro, cidade-satélite de Brasília, de forma muito afetuosa. Ficamos horas conversando. Fiquei extremamente impactado pela história que ela me contou, desde sua vida pregressa em Ceres, interior de Goiás, seu sonho em trabalhar com aviação na FAB, até sua luta por continuar na Aeronáutica, como mulher trans, passando pelos bastidores da vida militar, o casamento, a filha e o processo de mudança de gênero”, ele explica.

As filmagens duraram ao todo 2 anos, em períodos espaçados. Foram inúmeros encontros com Maria Luiza, desde a fase de pesquisa até as filmagens. Além da habitual dificuldade para levantar financiamento para produzir o filme, outro grande desafio encontrado ao longo de todo o processo foi acessar o universo militar onde Maria Luiza serviu ao longo desses 22 anos. “Um grande sonho de Maria Luiza era vestir a farda feminina e eu queria muito registrar isso de alguma forma. Mas a realidade às vezes é mais dura. Maria Luiza não pode voltar à ativa e usar a farda feminina”, complementa o diretor.

“Maria Luiza” estreia comercialmente em 2019. Foi realizado com recursos do FAC (Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal) e será distribuído no Brasil pela Olhar Distribuição com lançamento previsto para o segundo semestre de 2019.

Comentários (2)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 15-03-2019 às 02:07 Felipe
    Fiquei super curioso.
  • em 14-03-2019 às 18:58 Cibola Cêcê Subakildes Mello.
    Show!