Guerra declarada

Populistas da Polônia escolhem os gays como seus maiores inimigos.

por Redação MundoMais

Sexta-feira, 12 de Abril de 2019

Ativistas debatem sobre a declaração de Varsóvia durante uma reunião do Conselho da Cidade

VARSÓVIA — Crescendo em uma pequena cidade no Sul da Polônia, como parte de uma família religiosa de uma comunidade conservadora, Maciej Gosniowski ouviu diversas vezes que havia algo errado com ele.

"Eles diziam que seria melhor se eu mudasse — ele relembra os conselhos dos professores. "Seria melhor se eu me comportasse mais como um menino. Isso tornaria minha vida mais fácil."

Quando criança, Gosniowski foi espancado por outros estudantes que fizeram xingamentos homofóbicos que ele ainda não entendia. Ele não quer que outros jovens sofram como ele, por isso recebeu com satisfação uma declaração do prefeito de Varsóvia prometendo promover a tolerância. Mas a reação à fala do prefeito o deixou abalado.

O partido governista da Polônia, Lei e Justiça, aproveitou a declaração para atacar os direitos dos homossexuais em sua campanha para as eleições da União Europeia, em maio, e para as eleições nacionais.

O partido, que já acusou imigrantes de ser uma ameaça à alma do país, nas últimas semanas transformou os gays em seu inimigo público número 1. Faz parte de uma tendência crescente na Europa Oriental e Central, onde partidos nacionalistas e populistas estão recorrendo cada vez mais a questões culturais — e ataques a pessoas gays — para atrair seus fiéis.

Na Romênia, onde o governo tentou e não conseguiu mudar a Constituição para proibir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ou na Hungria, onde os homossexuais são acusados de ser uma ameaça às famílias tradicionais, a causa LGBT está sendo menosprezada como parte de uma luta mais ampla contra o que os nacionalistas e os populistas chamam de “valores europeus”.

Jaroslaw Kaczynski, líder do Lei e Justiça e o político mais poderoso da Polônia, usou a convenção do partido, em março, para dizer que esta era uma guerra que a Polônia deveria vencer para sobreviver.

"Tudo se resume, como sabemos hoje, à sexualização de crianças desde a mais tenra infância", disse. "Nós precisamos lutar contra isso. Precisamos defender a família polonesa. Precisamos defendê-la furiosamente porque é uma ameaça à civilização, não apenas na Polônia, mas em toda a Europa, em toda a civilização baseada no cristianismo."

"Eu acho que a Polônia será uma região livre de LGBT", concordou Elzbieta Kruk, que está concorrendo pelo partido a um assento no Parlamento Europeu. "Eu espero que seja."

Comentários (3)

Atenção: Insultos e comentários em desacordo com o tema poderão ser despublicados.

  • em 29-04-2019 às 15:09 sassa
    disse tudo dona Florinda tudo! fiquei tocado e um tanto preocupado
  • em 13-04-2019 às 16:21 Carlos Augusto
    Engraçado ver segregação num país que quase foi dizimado pelo nazismo, ainda mais em Varsóvia, onde se encontrava o maior campo de cin
  • em 12-04-2019 às 10:32 Eu mesma.
    Lendo essa matéria, me Identifiquei com Maciej! Sou eu, a Dona Florinda, e vou deixar aqui, um breve resumo da minha vida! Nasci com uma deformidade, que me rendeu muita dor de cabeça, situações chatas e humilhantes! Aos 8 anos de idade, sofri abuso sexual, por parte de um amigo do meu tio! Na escola, virei alvo de alguns meninos, sim, vivia apanhando sem fazer nada, minha sorte, é que as meninas vinham em bando e me defendia daqueles nojentos! Nasci em berço cristão, em 1984,, pensa no horror que foi, pois naquela época, pelo menos eu, muito raramente via um gay na rua assumido, muito raro mesmo, teve um, que teve que sair fugido de lá, voltou anos depois, como um travesti, foi em 1997, tinha aquele preconceito, mais em menor grau! Bem, voltando sobre minha vida, com os preconceitos que passei, até mesmo agressão fisica gratuita, comecei a me fechar dentro de casa, praticamente não vivi minha vida normalmente, só sai para o basico! Na adolescência, meu pai me humilhou muito, me chava de viado desgraçado, que eu ia desonrra a familia, nossa, foram tatas coisas ruins, que me dão um arrepio tenebroso na espinha! Só fui namorar, conhecer o sexo, beijar na boca, com 18 anos, e felizmente, estou casado com o meu momo a 10 anos! Quando falo qaqui no site que sou casado a 10 anos, não é se gabando, apenas quero dizer, que é muito bom estar com um unico parceiro, se amando, e se respeintando acima de tudo! Isso de ficar com varios, vivendo a vida a lá Cazuza de ser é furada, quando vc se der conta, estara idoso, sosinho, frustrado e amargurado, se arrependendo amargamente, e tendo a solidão, como parceira! Minha unica amiga, que eu sabia que seu amor era 1000% verdadeiro, era minha mãezinha querida, infelizmente em maio de 2016 ela faleceu de cancer no seio, nossa, quase desfaleci de tanta tristeza! Toda via, hoje, não murmuro, pois sei que a hora dela chegou, Deus chamou ela, e tudo que Deus faz, pra mim está muito bom, aceito de bom grado, pois eu amo JESUS, apesar dos problemas! Hoje, se vc me perguntar assim, Vc é feliz? Eu respondo, SIM!!! Pois problemas todos tem, porém, cabe a nós decidir, chorar em cima de uma cama a vida toda, ou ir a luta, eu preferi, e prefiro lutar, não é facil, toda via, Jesus é comigo e venço todo o afronte que a vida poe no meu caminho! Em fim meus amigos, lutem sempre, nunca desistam por causa dos preconceitos! É fácil? Não! Porem, com Jesus e força de vontade, tudo é possivel! Beijos.